terça-feira, 30 de setembro de 2014

Temos um jogo corrido?

Daniel Thomas: poucos jogadores apanharam aqui mais do que ele...
Existem coisas que acontecem e você nem percebe. A saída de Daniel Thomas foi um desses casos. Claro que ficamos sabendo do seu corte, mas ninguém - na prática - ficou triste com a notícia. E quando ele foi re-integrado após a contusão de Knowshom Moreno, todos pensaram: meu Deus, ele voltou!!!. Pois é, ao que parece ele realmente voltou e achou um jeito de jogar.

Lamar Miller foi draftado em 2012 para ser o nome franquia durante algum tempo, até o time achar um verdadeiro corredor de elite. Sendo assim, ele ficaria ali atrás de Reggie Bush e faria alguma pressão em Thomas. E se ele rendesse mais do que isso, melhor. Acontece que suas duas primeiras temporada foram decepcionantes. Pra dizer o mínimo. Mas ele, ao que parecem arrumou um jeito de jogar.

Não tem como ser mera coincidência, que os dois improdutivos RBs de 2013 estejam conseguindo dobrar defesas com suas corridas e recebendo passes em quantidades nunca antes vistas. Eu não acredito em coincidências. 

Foram 4 partidas, mas Miller tem números excelentes se comparados aos de 2013. Ele correu até agora para 277 jardas em 49 carregadas, com uma média de 5,7 jarda por tentativa, com 2 TDs corridos e mais um recebido. Ok, ele só conseguiu marcar TDs correndo contra o Raiders, e isso tem que ser relativizado, mas ele tem feito o seu trabalho e ninguém espera que ele seja um Jamal Charles, não é mesmo? No ano passado inteiro ele correu para... 2 Tds!!! A média é o ponto mais interessante, já que acima de 4,5 é um número bom, passando de 5 ótimo e beirando os 6 é espetacular. Claro que isso tende a cair, mas vamos curtir o momento. Até porque a defesa do Packers, próximo adversário não é uma das 5 melhores contra o jogo corrido na temporada.

Já Daniel Thomas está sendo mais discreto, mas vem sendo útil demais para descansar o nosso starter, mesmo que só tenha corrido 7 vezes em duas partidas, tem uma média altíssima de 7,1 por tentativa, além de um passe para 25 jardas. Claro que ele precisa mais do que isso para podermos dizer que ele está impressionando, mas sejamos francos: alguém esperava sequer isso?

A resposta para o bom trabalho dos dois ( além de Moreno que ainda ficará de 3 a 6 jogos de fora ) é a OL. O setor que foi todo refeito do zero ( pois nem Mike Pouncey está jogando ) conseguiu encontrar uma - improvável - química rapidamente e nos deu um ataque corrido que inexistia em 2013. E com os mesmos jogadores correndo, o que é mais improvável ainda.

Mas alguém pode perguntar: quanto disso é mérito de Bill Lazor, o novo Coordenador? Para ser bem sincero, creio eu que seja pouco, credito mais ao excelente trabalho dos homens da Linha Ofensiva do que ao Lazor... até porque o avanço é só no jogo terrestre... mas ele tem algum crédito, mas não acho que seja o fator da mudança...

Manteremos tal desempenho na temporada inteira? Difícil saber, mas o início é animador. E só para avisar: o Miami é o sexto time no jogo corrido na Liga. Portanto, finalmente temos algo no Top Ten da Liga em termos de ataque. Pena que o jogo aéreo seja apenas o 23º...

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Pílulas do dia seguinte: Vencer é bom, mas dá para confiar?

ah, se ele jogasse assim toda partida, como fez no primeiro tempo ontem...
Não tem jeito, não dá para esquecer que o atropelamento de ontem foi contra o Raiders. Não dá... Eu coloco Raiders e Bills em patamares parecidos, embora a defesa do segundo seja melhor. Portanto, o time que fez o que fez ontem com o Raiders, deveria ter vencido o Bills. Mas todos vimos como o time foi uma droga diante do rival de divisão. E ao contrário do Raiders, ainda iremos encontrar o Buffalo outra vez, e dado o ( péssimo ) história recente... O The Phinsider listou 5 observações sobre a vitória de ontem. Eu irei citá-la aqui, dando meu olhar sobre elas:

Era uma partida para se vencer. E o time o fez - Não tem como pensar diferente. Perder para o Raiders ( a última foi em 2007, em Miami na última atuação decente da carreira de Danta Culpepper ) seria o fundo do poço. O time de preto e cinza seria rebaixado, caso isso fosse possível. E nós ainda estamos uma estágio acima disso. Não sei até quando, mas ainda estamos. Claro que sair atrás e responder com um FG não foi a melhor abertura, mas depois o time marcou mais 5 TDs sem resposta... mas o começo, deu um certo susto...

O ataque moveu-se com mais rapidez e consistência. Ok, foi contra o Raiders. Mas se o time portar-se assim diante de equipes mais fortes, pode conseguir bons resultados. Não queremos - e sabemos não ter - um super ataque, mas executar passes curtos entremeados por boas corridas dá para fazer e o time mostrou isso ontem. Foi ágil e eficaz. confundindo a defesa adversária. Ok, contra times mais fortes isso não será fácil, mas temos que tentar. Nas partidas anteriores, nem isso fizemos. Portanto é algo animador.

Tannehil teve uma grande partida. Em termos né? Eu mesmo me assustei com ele no primeiro tempo: 17/19, 202 jds, 2 Tds e 0 Int. Mas ai eu volto a dizer: foi contra o Raiders. E sabem contra quem ele também tivera uma grande partida assim? O Jaguars. Teve, é claro, a partida contra o Patriots ano passado, mas me parece um ponto fora da curva... mas ele foi bem ontem. Seguro, firme e decidido. Correu algumas vezes, soltou screen pass, play actions e até duas ou três bombas... foi bem. Mas foi contra o Raiders, portanto devagar com o andor... até para, se ele for outra vez mediano, não caiam criticas sobre ele, certo? Curiosamente, Matt Moore spo participou da partida em chamado "tempo de lixo", onde ninguém mais quer nada com a partida. A não ser evitar contusões...

A defesa foi firme e capitalizou com os erros. Bom, a nossa secundária tinha zero interceptações. Ontem conseguiu 3. Pois é, nada como encarar o Raiders... tá, eu sei que é chato ficar lembrando isso em todo parágrafo, mas lembrar que a defesa não fizera isso. Até fumble retornado para TD teve ontem. Mas sim, a defesa não tem nada a ver com a fraqueza do rival e surrou o ataque depois do primeiro drive deles, que terminou em TD. Foram 38 pontos seguidos do nosso ataque sem que o deles aparecesse. E quando apareceu, nossos titulares estavam sendo sabiamente poupados...

A Bye Week chega em boa hora. Sempre é bom uma pausa. Se ela vem com vitória, vira o melhor dos mundos. Serão mais de 10 dias de treinos para melhorar o que está dando certo e tentar recuperar o que não vem dando. Claro que existem problemas que independem apenas de mais treino. Fato. Mas dá para diminuir os impactos deles com repetições. E chegar descansado para a próxima partida.

domingo, 28 de setembro de 2014

Week 4: Dolphins 38 x 14 Raiders - Dá para jogar só contra o Oakland?

O Raiders fez o nosso time parecer uma potência...
Eu nem sei quando fora  a última vez em que o nosso time fizera 38 pontos seguidos, sem resposta alguma do adversário. Também fazia tempo que o time não ia para o vestiário vencendo por 3 posses de bola. Mais tempo ainda fazia que o time não passado o rodo em alguém... pena que tudo isso foi conseguido diante do Raiders. Que com todo o respeito que os seus valorosos torcedores merecem, é fraco demais... tanto é que nossa Secundária não tinha conseguido nenhuma interceptação, hoje conseguimos 3, com Grimes, Wilson e Aikens ( a primeira da carreira ). Ah se toda semana fosse contra o Raiders...

Eu estava com o pé atrás, mas sonhava que o time pudesse vencer o Oakland. Reitero, porque o rival é fraquíssimo. Mas não esperava tanto assim... tanto é que o nosso QB terminou com um primeiro tempo que ele jamais teve na NFL ( 17/19, 202 jardas, 2 Tds e 0 Int ). Tannehill até parecia um senhor QB, daqueles que tem a real dimensão da sua capacidade e que castiga os erros do adversário. Pena que ele só fez isso até hoje contra o Raiders...

A defesa pressionou e não de chances ao ataque(??) dos Raiders. Foram pressões, sacks e tudo mais. Após sairmos atrás, o time fez 38 pontos seguidos. Até que Tannehill conseguiu lançar uma Interceptação ( e ele consegue ficar sem uma ao menos?? ) e o Raiders caminhar para marcar mais 7 pontos. Após a interceptação Joe Philbin decidiu preservar Tannehill e mandou Moore ao campo, mas ele nada fez de destaque, até porque vários reservas entraram no ataque também...

O Jogo corrido também seguiu funcionando, o que nos leva a crer que encontramos realmente uma OL. Não dá para analisá-la protegendo o passe contra o Raiders, mas correndo ela vem mantendo uma boa consistência. Tanto que podemos reclamar de muitas coisas nas 4 partidas até aqui, menos do jogo corrido. Sinal de melhoras de Miller ou da OL? Talvez dos dois, porque não? Aguardemos as próximas partidas, mas a temporada de Lamar Miller é interessante até aqui. Não está sendo espetacular, mas bem melhor do que em 2013.

No mais, é comemorar com moderação a vitória e descansar na próxima semana e voltar revigorado e com o moral mais elevado para a ( dura ) sequência da temporada. Pois os próximos adversários estão diversos níveis acima do Raiders...

Week 4: Dolphins x Raiders - Será que dá pra confiar?

Nosso time não passa confiança, mas é contra o Raiders...

Jogo internacional. O Miami Dolphins é o time que mais jogou partidas fora dos Estados Unidos. Nas outras 5 vezes, 4 vitórias e 1 derrota, justamente em Londres. O time não é confiável, todos sabemos, mas é contra o Raiders... se perder pro Raiders pode tocar fogo e pensar logo na Firs Pick de 2015.