quarta-feira, 7 de outubro de 2015

E o que pensar sobre Ryan Tannehill?

Ele é ou não um problema?
Ryan Tannehill. Tá ai um nome que jamais esqueceremos. Mesmo que ele seja cortado um dia e que jamais jogue nada em outra equipe, ele jamais será esquecido. Antes de prosseguir eu vou listar alguns dados:
  • O Miami teve, durante praticamente 30 anos, uma estabilidade na posição de Quarterback com Bob Griese e Dan Marino ( ambos membros do Hall da Fama eleitos na primeira temporada de elegibilidade ), com o segundo praticamente atuando na sequencia do primeiro. Antes de Griese, tivemos apenas 3 Quarterbacks Starters e após Marino... bom, ai a lista é imensa;
  • Sendo assim, Ryan Tannehill detêm diversas marcas que talvez sejam suas por tempo: será, em breve, o terceiro com mais vitórias, com mais passes completos, com mais Touchdowns, etc, etc... tudo porque ele é o terceiro QB de nossa História a ser Starter por 4 temporadas seguidas. Contudo, ele ser dono dessas marcas não o tornam um ídolo. Ele tem esses números porque depois de Marino viramos uma espécie de Série B da NFL;
  • Os antecessores de Tannehill também tiveram seus problemas, é claro: falta de qualidade, recebedores, jogo corrido, péssimos treinadores e etc. Tannehill tem, a meu ver, certa mais uma temporada como Starter, pois eu duvido que o próximo Head Coach vá deixar-lhe no banco ou trocá-lo. Contudo, eu espero, o próximo comandante deve trazer alguém para - de fato - competir pelo posto, seja na Free Agency ou no Draft. Isso é certeza;
Eu jamais neguei que odiei a escolha. Estou acertando até aqui e isso, sempre vou dizer isso, não me deixa nem um pouco alegre ( como poderia né? ). É preciso entender que tudo o que Philbin fez, após assumir o time em 2012 foi por causa do fato de ter decidido escolher Tannehill no Draft. Fazia, acreditem, sentido ele querer um QB para montar o time no entorno dele, mas o que foi feito vai além disso e é isso que nos comprometeu. Primeiro escolhemos um OC ( Mike Sherman ) não pensando no time, mas no desenvolvimento de Tannehill. Era de conhecimento de todos que ele precisaria de desenvolvimento adequado para tornar-se um bom QB na NFL, haja vista, que ele tinha menos de 20 jogos como QBs na NCAA. Depois foi feita uma limpa no vestiário, de onde saíram jogadores com personalidade forte: Brandon Marshall ( doado para o Bears ), Karlos Dansby e Vontae Davis. Resultado? Sem líderes tivemos o Bullying Gate. 

Depois, por causa da temporada de 2012, o time inflou seu Salarý Cap com Mike Wallace e Brandon Gibson, porque Tannehill precisaria de alvos, mas deixamos Jake Long sair ( ok, o salário seria alto e ele rendeu muito mal depois disso ) sem repor - a altura - a sua saída. Resultado? Uma OL horrorosa em 2013 e o Bullying Gate. Ai veio 2014 e o time draftou no primeiro round um jogador de Segundo ( Ja'Wuan James ) e desperdiçou uma penca de picks em jogadores de OL que não rendem nada. Em 2015 trocamos os recebedores porque os outros não serviram e trouxemos um DL por 114 milhões, quando o problema claramente eram os LBs e a OL. Deu no que estamos vendo ai...

Isso é culpa direta de Tannehill? Claro que não, mas a escolha dele foi o ponto de partida disso tudo. Podemos, em último caso, dizer que o time estaria na mesma caso tivesse escolhido outro jogador naquela posição do Draft. É bem possível porque o nosso problema vai além de jogadores, mas eu acho que seria diferente. E se lembrarmos que recusamos dois alertas sobre um tal de Russell Wilson...

Mas Tannehill é ou não um problema? Hoje, pra mim, é um problema o Salário - insano - dado a ele. O time já o tinha sob contrato para 2016 e não existia pressa para assinar um extensão contratual. Ele vai receber 96 milhões até 2020 e só poderemos cortá-lo em 2017 ( um Cap Hit monstruoso se o cortarmos no ano que vem ). 

Sobre o desempenho dele em campo, ele é excelente numa coisa: conseguir números no Garbage Time ( quando a partida está decidida pro adversário ) e vencer partidas quando o time está eliminado ( sua melhor atuação da carreira foi contra o Vikings ano passado, quando o time já estava fora da post-season ). Tannehill teve algumas partidas boas, mas as desastrosas são em maior número. Ele também consegue atuar bem num quarto e ser desastroso no outro. Como não lembrar as duas interceptações ( bisonhas ) pro Bills no primeiro tempo e depois conseguir dois TDs e ver todos culpando Dan Carpenter pela derrota? Ou ainda do primeiro tempo bom contra o Pats ano passado em Foxborough e depois errar tudo no segundo? Sinceramente é uma oscilação grande demais para alguém que se pretende ser um All-Star QB.

Isso sem falar no que rolou no treino do sábado. Isso sem falar na sua incapacidade de mudar o ritmo do jogo, alterando as jogadas. Sempre é o mesmo modo, sempre chamando jogadas que carecem de tempo, que todos sabem que ele não vai ter. Chamar Sholder e Screen passes seria a saída, mas o time segue tentando passes mais longos e ai... bom, todos sabem.

Ele vai ficar mais tempo em Miami. E será dono de marcas que o colocarão com o terceiro melhor QB de nossa história. Mas não porque ele é bom e sim porque os outros foram desastrosos. E em certa medida, ele também o é. Só que um pouquinho menos que os seus antecessores.

4 comentários:

Ruy Pimentel disse...

Acho que o primeiro passo para mudança foi feita, porque quem realmente tava matando era o técnico, que colocou o Tanehill no pedestal e não colocou em minuto nenhum com concorrência contra ele. Acredito que 2016 Tanehill fique sim pois dependendo desse ano como Tanehill for, poderemos draftar um QB em 2016 e preparar o QB draftado para 2017 ser starter.

Flávio Vieira disse...

sim, ele vai ficar.Infelizmente... o time poderia abrir concorrência para 2016 e pensar para frente... mas...

deram a ele o contrato insano e imerecido de 96 milhoes que o deixa com vinculo conosco até 2020... sem necessidade alguma fizeram isso.

O time só terá alguma vantagem se o cortar após Junho de 2017... e mesmo assim o Cap Hit será grande. Ou seja, as merdas de Philbin seguirão produzindo seus efeitos...

Igor S. disse...

Acredito eu que Tannehill não é essa ruína que estamos achando devido ao momento do time. Quanto ao episódio do treino, o que foi noticiado foi de que ele realmente abordou o membro do Pratice Squad e falou algo como "Você quer o que? Ganhar o prêmio de melhor do treino". Arrogante? Talvez. Mas devido ao momento em que os Dolphins estão vivendo, qualquer coisa é motivo para instabilidade emocional, e cá pra nós, Tannehill não é conhecido por ser um líder ou um cara frio. Todos os rumores de assédio moral que ele possa ter exercido em cima do cara do pratice squad não passa de boatos, que só servem para desestabilizar mais ainda a equipe
Tendo crença que com o Dan Campbell pelo menos o "sangramento" será estancado, mas a temporada está perdida. A OL está terrível e acredito que será o foco das possíveis soluções agora...

Flávio Vieira disse...

Prezado Igor: não podemos minimizar o ocorrido. E eu não o estou maximizando porque não goste dele. Acontece que os QBs ganham mais e sao considerados fundamentais em suas equipes por algum motivo. Se querem o salário de líderes que arquem com a responsabilidade de liderarem suas equipes. E a atitude dele nao é de líder, algo que eu jamais sequer cogitei que ele pudesse ser um dia.

É mais do que arrogância, pra mim é prepotência mesmo. Se o time estivesse 2-1 e com uma derrota normal no domingo ficasse 2-2 seria diferente? Talvez nem ele fizesse isso, mas ele fez.

Enfim, agora é pensar em 2016 e perder TODAS as partidas até lá. Só faço questão de uma vitória: diante do Texans, a única das outras 31 que nunca conseguimos vencer.