terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Quem será o nosso Head Coach em 2016?

Os nomes são esses... e nenhum deles me anima.
Finda, definitivamente, a era Joe Philbin ( mesmo tendo sido demitido no começo da temporada, este ainda era o time dele, certo? ) é hora de ver quem será a próxima bucha... desculpem, o próximo Head Coach. Claro que todos sempre esperamos que nesse momento de mais um reconstrução finalmente acertemos a mão. Mas foram tantas e tantas as bolas fora que, desta vez, eu irei ficar com os dois pés ( só porque tenho apenas 2, porque se fossem 20 seriam todos eles ) bem atrás.

A imagem que ilustra este post ( e está será a quarta vez em que este Blog cobrirá a troca de Coach em 8 anos!!! ) a lista dos candidatos a HC e o dia em que serão entrevistados. Comecemos pelo fim: se eu sou Dan Campbell eu estaria procurando emprego agora mesmo, porque está mais do que claro que ele só será o Coach em 2016 se TODOS os outros recusarem o Miami Dolphins. A confiança nele é inferior a zero. Melhor buscar um local enquanto eles existem... Vou falar, o que sei, sobre cada um dos outros, pela ordem de entrevista:
  • Mike Smith: Foi o Coach os the Year em 2008, batendo Tony Sparano. Pois é, quem diria né? Ele fez um Falcons arrasado pela prisão de Michael Vick ( rinha de cachorro ) que deixará a franquia a pé em 2007. Selecionou Matt Ryan após nos decidirmos ficar com Jake Long e foi a post-season naquela temporada. Depois disso seu trabalho teve altos e baixos, como ir até uma final de NFC e ficar temporadas sem ir a post-season. Ele venceu 66 partidas e perdeu 46 em sete temporadas com o Falcons, com 4 idas a post-season. Contudo, suas duas últimas temporada ele venceu apenas 10 partidas, motivo pelo qual foi demitido. Mesmo assim é, para mim, o melhor dos nomes que estão sendo entrevistados. O que não quer dizer que eu o acho o salvador, pelo contrário até;
  • Mike Shanahan: Este tem anéis de Super Bowl, conquistados pelos Broncos de John Elway e cia no fim dos anos 90. É um dos produtos de Bill Walsh, mítico Coach dos Niners nos anos 70 e 80. Contudo, parece que parou no tempo desde o começo dos anos 2000. Comandou times medíocres no Broncos, fez escolhas e trades contestáveis ( algumas horrorosas mesmo ) até ser demitido. Em 2010 assumiu o Washington Redskins, e nos seus dois primeiros anos a campanha foi de 11-21. Em 2012 ele, que dividia as funçoes de GM mas tendo a palavra sinal sobre os assuntos, o time foi atrás de RGIII ( QB scrambler de Baylor ) e fez uma Trade agressiva com os Rams, subindo para a posição 2 do Draft. Essa trade custou o desenvolvimento da equipe nos anos seguintes, porque foram 2 escolhas de primeiro round e 1 de segundo. Contudo, com RGIII o time venceu a divisao depois de vários anos, mas Shanahan foi acusado de acabar com a carreira do novato, ao faze-lo jogar no limite de suas condições físicas. Foi tao exagerado que a NFL mudou as regras foi causa disso. Foi demitido ao fim de 2013 com uma campanha de 3-13. E isso não me parece nada interessante quando olhamos a nossa situação atual... Gostaria vê-lo bem longe de Miami;
  • Adam Gase: Este é bem jovem ( nasceu 1978 ) e passou 5 anos no Broncos até 2014, este último como Coordenador Ofensivo. Transferiu-se este anos para o Bears, ocupando a mesma função. Poderia ser uma escolha interessante para um equipe que tivesse estabilidade e pudesse aguardar o desenvolvimento de um Coordenador em um Treinador, mas para nós? Pode lhe faltar liderança, mas ainda parece algo melhor do que Shanahan;
  • Teryl Austin: Atual Coordenador Defensivo do Lions, desde 2014. Ficou 2 anos no Ravens como Coach da Secundária. É o único ligado diretamente a defesa na lista de nossos candidatos. Apesar de duas temporadas ruins do Lions, a defesa foi um setor sólido. Passou também pelo Seahawks ( entre 2003 e 2006 ) e o Cardinals ( 2007/2009 ). Para mim é um nome que corre por fora, mas que talvez seja, por isso mesmo, o que venha a assinar. Acredito ser o melhor dos nomes. Ou melhorando: o menos pior;
  • Dan Campbell: Parece-me carta fora do baralho, apenas se todos recusarem o Miami. E isso não pode ser descartado, sabemos bem. Ele me parece fraco para Head Coach e duvido que aceite seguir como Coordenador Ofensivo ( e eu nem queria ele fazendo isso ).
De um modo geral, eu não gosto dos nomes. E vou tratar com uma escolha comum, sem grandes esperanças, até porque ao contrário de 2008 e 2012 não temos Cap sobrando para manter nosso Free Agents e contratar outros, portanto a margem de manobra é reduzida. E só isso, num elenco cheio de buracos, já é uma má notícia.

Um comentário:

Heitor disse...

Acho que Hue Jackson poderia ser o melhor para Miami