domingo, 27 de novembro de 2016

Week 12: Dolphins 31 x 24 Niners - Haja coração, amigo...

Resumo da partida: no limite... mas vencemos
Parafraseando Dadá Marvilha, "não existe vitória feia. Feio é não vencer" ( a frase original é "não existe gol feio, feio é não fazer gol" ). E a vitória de hoje pode não ter sido exatamente feia, mas esteve longe de ser bonita e grandiosa. Quer dizer, até esteve perto mas os apagões tanto na defesa quanto no ataque, insistem em acontecer e depois de fazer 31x14 vivemos o maior deles. Antes de falar do final da partida, quero dizer uma coisa: como é bom vencer 6 partidas seguidas. É bom demais, é maravilhoso... 

Quem, como eu, não pegou o começo da partida ficou com medo de um tropeço em casa quando viu o 7x0 no placar. O ataque não se mexeu no primeiro quarto e a defesa parecia com uma letargia de outros tempos. Sorte que o Niners não entrou na partida com 1-9 a toa. Quando veio o segundo quarto, ai o Dolphins das últimas 5 semanas disse presente: negando tudo para o ataque dos Niners e conseguindo tudo no ataque. Viramos com facilidade para 14x07 e tudo parecia caminhar para uma tarde gloriosa no quente sul da Flórida. Parecia...

Na volta do segundo tempo, interceptação em Colin Kaepernick e bola perto da Red Zone. Poderia ser o ponto de exclamação, mas... é o Dolphins, não podemos esquecer disso. E após algumas escolhas questionáveis, veio o Fiedl Goal e 17x07. Só que ai o ataque do Niners deu sinais de vida e fez um Touchdown, encurtando o placar, para 17x14. Só que Kenyan Drake fez um retorno lindo para 78 jardas e deixou o time perto de, outra vez, matar a partida. Mas o velho ( ou o verdadeiro, vai saber ) Tannehill apareceu e com um sack onde prendeu demais a bola, o time saiu da FG range. 

O ataque do Niners saiu após um 3 and out e ai um pouco de magia apareceu. Com corridas e passes certos, Tannehill foi movendo o ataque até dar um passe preciso para DeVante Parker, que estava excelente na partida. Por falta de sorte ele caiu com a mão fora do campo após segurar o passe marcado por 2. No lance seguinte, após desafio vencido por Chip Kelly, Tannerhill deu outro passe no mesmo local, Kenny Stills segurou a bola, fintou o Safety Anthony Bethea e correu para end zone. fazendo 24x17. A defesa segurou outra vez o ataque de San Francisco e...

Tannehill comandou mais um drive para Touchdown ( o terceiro dele na partida ) e deu um passe sem grandes pretensões para Leonte Carroo e o novato fez o TD, com uma grande ajuda do marcador, é claro. Neste momento o placar mostrava 31x14 e parecia definitivo. Mas Kaepernick comandou um drive com jogadas malucas e acertou um passe de 1 jardas para Torey Smith levar o Niners para 21 pontos. Quando o nosso ataque não andou em campo, Kaep quase conseguia outro TD, mas ficou apenas no FG e placar em 24x31.

E o nosso ataque? Simplesmente parou. Muito porque DeVante Parker saiu machucado. Mas o time parou a uma jarda de matar a partida. Bola com o Niners e lá vem sofrimento. Primeiro porque, no meio do campo, eles converteram uma 4ª para 15. Depois, outra conversão de 4ª descida e uma catche quase impossível na Sideline, faltando 5 segundos. Byron Maxwell evitou o TD no lance seguinte ao aparecer do nada para fazer uma defesa a lá Neuer. E uma partida que parecia ganha foi para o último Snap podendo ter prorrogação. Com todos os alvos marcados, Kaepernick foi correr e tomou um fatality de Ndamukong Suh. Sensacional e a sexta vitória.

Não é hora de reclamar, e sim de celebrarmos o feito de que após ficar com 1-4 o time tenha chegado a inacreditáveis 7-4. De ver que o time pode atuar em alto nível, mesmo que seja em apenas partes do jogos. Que tem conseguido superar desfalques. Que silenciosamente jogadores do Draft vão dando as caras ( hoje Carroo e Drake ), que Alonso está jogando o fino, que Wake melhora a cada dia, que temos um Parker tornando-se monstruoso e de que Tannehill tem ficado longe do turnovers... enfim, que vamos vencendo. E te cuida, Ravens pois você pode ser o próximo. Eu não duvido de mais nada vindo deste time. E você?

4 comentários:

Rafael Stoque disse...

Sofrendo e ganhando de times bons e ruins, nessa toada da para sentir a post season chegando.
Lembro ano passado que perdemos a chance de post season em um jogo contra o Giants em casa que foi bastante emocionante (assisti no estádio esse jogo) porém aquele time não transmitia a confiança que esse transmite.
Considero mais duas derrotas certas até o final do ano (Ravens e Patriots), os outros 3 jogos temos obrigação de ganhar.
Com esse retrospecto podemos sonhar com post season?
Aproveito para comentar, WAKE é o cara...ouvi uma entrevista dele no rádio 1 semana antes do jogo contra o Rams e ele disse que possivelmente é o último ano da carreira dele em alto nível e tem a consciencia de que o corpo não é mais o mesmo. Será uma perda grande, mas o cara joga bem demais, mesmo velho
Go fins!!!

Flávio Vieira disse...

Rafael, não foi ano passado não... passamos longe de post-season em 2015.

quanto a Wake, é claro que ele fará falta. mas acho que sendo usado adequadamente em um sistema de rotação pode render bem ainda mais uns 3 anos, vide o que o Giants fez com Strahan.

Se perdemos para Ravens teremos que vencer os outros 3 e ainda tem o Cardinals pela frente. espero vencer 2 jogos entre Pats, Ravens e Cards. Acho apertado um 10-6 para se classificar.

mas quem seria maluco de reclamar de um 10-6, mesmo que sem post-season?

Guilherme Mitre disse...

Ah, Flávio, é bem pertinente reclamar sim...
Como torcedor do Dolphins de longa data (eu, desde 2000), "só fazer uma campanha digna" não basta mais. Basicamente porque quase TODOS os times da NFL se reinventaram nesse período que acompanho a liga (e já são quase 20 anos!).
Lembro de quando os Bengals eram uma piada! Vimos os Raiders brilharem pela última vez em 2001 com o Rich Gannon - assim como o Buccaneers, o Texans surgir do zero, o Seahawks ser um time água com açúcar danado com o Matt Hasselbeck... e tantos outros exemplos...

De lá pra cá, esses times fizeram grandes drafts, ótimas off seasons, se reinventaram.

Os Dolphins, bom, os Dolphins escolheram Cleo Lemon, Pat White, Cam Cameron, Jeff Ireland. E tantos outros exemplos.

Portanto, hoje, ao menos para mim, off season é obrigação.

Claro que dá pra lamentar muito mais se você for torcedor de um Browns, ou de um Jaguars... Mas eu quero mais. Afinal eu torço é para os Dolphins.

Flávio Vieira disse...

Guilherme, meu caro vc deve ter me entendido mal. o não criticar é quanto aos erros cometidos na partida contra o Niners e sim comemorar a vitória. Claro que, agora é praticamente obrigação conseguir a vaga. praticamente, porque em Miami...