domingo, 15 de outubro de 2017

Week 6: Dolphins 20 x 17 Falcons - Porque não jogam como no 2º tempo sempre??

Reshad Jones salva o time mais uma vez... que homem!!!!

Existem diversas maneiras de se analisar a vitória do Miami Dolphins em Atlanta hoje. Existe o lado pessimista, apontando que os Falcons fizeram uma entregada parecida com a do Super Bowl ( pior, porque o QB hoje era Cutler!!! ). Outra opção é ver que o time continua bem ruim, mas acho um meio de vencer. E tem a opção de que apenas comemorar e pouco se importar com os buracos do time. Seja qual for a escolha, o resultado final é que o time venceu.

Antes de falar da parte do jogo em que estivemos em campo, um dado: o Miami é a primeira equipe desde os Browns de 2004 a não marcar TD nos primeiros tempos das 5 primeiras partidas da temporada. Isso mesmo, ZERO TDs nos primeiro 30 minutos das partidas. O problema reside aqui: não será sempre que contaremos com benevolência dos rivais para virar a partida. Resolver isso é tarefa do Head Coach e do Coordenador Ofensivo. E até aqui, eles não fizeram nada para corrigir isso.

Quando o time entrou em campo, marcamos 20 pontos, não cometemos erros e viramos a partida. Mesmo que os Falcons tivessem feito, sei lá, mais 20 pontos, seria uma atuação animadora e não na conta de "garbage time" e sim feitos da equipe. O fato é que a defesa apareceu pra jogar e o ataque disse presente na temporada. Até aqui, o máximo que o time tinha feito era marcar 19 e 16 pontos, contra Chargers e Titans. Agora temos uma atuação boa/ótima do ataque.

Quero destacar que Cordrea Tankersley está sim se superando. E digo isso não apenas pelo tapa na bola no passe que poderia gerar a derrota e que jogou a bola nas mãos de Reshad Jones ( cena que ilustra este post ), mas pelo atuação como um todo. Já o seu colega... Xavien Howard está penando na temporada. Mas Cordrea é sim uma grata surpresa, dado o fato de como escolhemos ruim CBs em drafts. Jones salvou outra vez, conseguindo uma atuação irrepreensível. E na partida inteira, não apenas na metade.

Destaque também para a DL, que esmagou Matt Ryan, como todos já sabemos de que ela é capaz de fazer. Acontece que hoje eles ficaram descansando na sideline enquanto o ataque virava a partida, com drives longos. Assim, quando entravam em campo, forçavam a saída do ataque dos Falcons e parando o jogo corrido rival. Os LBs melhoraram um pouquinho, mas isso pode estar mais na conta da DL do que deles mesmos. Mas é um avanço.

No ataque, Cutler segue sendo Cutler, Tanto para o mal, quanto para o bem. Ele foi bem no segundo tempo, fez passes interessantes, parecia mais confiante. Talvez tenham dado um choque nele no intervalo, vai saber... E o que dizer de Jay Ajayi e suas 130 jardas? Este é o RB que precisamos e sabemos que ele pode ser. Mais atuações assim e o time só tem a ganhar. Jarvis Landry é um monstro. E ainda ficam regulando para renovar com ele. Sinceramente não dá pra entender terem renovado com Stills antes dele. Coisas de Miami...

Claro que temos que ressaltar que Adam Gase conseguiu fazer ajustes no time durante o intervalo, mas quanto disso deve-se ao relaxamento dos Falcons? Que quando estes quiseram voltar pro jogo, já era tarde... não sei dizer, mas o time foi outro depois do intervalo. Contra todos os prognósticos, o time foi lá e venceu. Como times vencedores conseguem fazer e como parecia que tínhamos voltado a fazer. Fizemos hoje, mas quantas vezes tiraremos 17 pontos de desvantagem no placar este ano? Poucas...

Sei que eu não esperava uma vitória e deixara isso claro. Acontece que muitos também pensavam assim, mas muitos preferem não expor suas opiniões, deixando para falar depois ( não é mesmo Dan Pereira?? ). Eu falo o que penso e na hora que digo. Não jogo pra torcida. Jamais fiz isso e jamais farei-o. Estou feliz com a vitória. Se tivéssemos batido ao menos os Jets ( os Saints estão on-fire ), hoje seríamos os líderes da divisão, com um jogo a menos. Mas... bom, todos sabem que existem muitos "mas" neste time. Por hoje, celebremos a vitória...

Por falar nos Jest, semana que vem é contra eles. Nem preciso dizer que vencer a partida é simplesmente crucial, mas vencer a partida não será fácil se tomarmos 14 ou mais pontos no primeiro tempo...

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Não importa o quanto seja reforçada, a OL dos Dolphins seguem não prestando

Pouncey e cia não tem jogada nada bem...
Existem várias maneiras de observar o ano de 2017 do Miami Dolphins. Nenhuma delas é boa ou animadora, infelizmente. Inexiste talento bruto de alto nível que possa ser desenvolvido na maioria dos setores. Tirante os já - para mim - estabelecidos Jarvis Landry e DeVante Parker acho a qualidade do jovens jogadores pouco animadora. Charles Harris talvez venha mesmo a ser um bom substituto, mas não parece que será uma estrela. Cordrea Tankersly dá indícios que vire um Starter decente, mas também não me passa confiança de que vá se tornar um all-star. Existem outros que poderiam ser citados. mas o texto de hoje é sobre a OL.

O time vem gastando picks e mais picks em drafts seguidos e o setor simplesmente não melhora. Alguns sites colocam o setor entre os 10 piores da temporada e é simplesmente impossível discordar deles. Como encontrar argumentos para contrapor isso se o setor não fornece sequer o básico para o QB e o RB do time? A temporada magnífica de Jay Ajayi não vai sair do papel e a culpa, claro, não é dele. Esforço e dedicação dele são irretocáveis. Ele dá tudo o que tem, mas batendo contra a parede, não tem muito o que fazer.

Se o setor fosse ruim, porque usassemos apenas picks de middle round para buscar reforços, ok. Mas não, o time gastou 2 picks de 1º round no setor em drafts recentes: o inútil Ja'Wuan James e o até aqui "indefinido" Laremy Tunsil. Se o primeiro foi um reach insano - pior a cada dia que vemos atletas escolhidos depois dele virarem estrelas - o segundo foi, ao menos, uma boa sacada no draft de 2016. Acontece que os 2 estão tendo uma temporada bem discreta, para ser bonzinho. Mas a culpa é só deles, quando o Coach do setor cheira cocaína em notas de 100 dólares do vestiário após uma atuação tenebrosa em campo?

Mike Pouncey é ídolo, é all-star mas talvez o seu tempo tenha passado. Suas, poucas, atuações em 2016 mostraram o jogador espetacular que ele é, mas o de 2017 mostra que as lesões minaram seu talento. Algo que vimos acontecer com Jake Long, o first overall pick de 2008. Aliás, o segundo escolhido naquele draft é o QB que iremos encarar no domingo. Se o Pouncey das poucas partidas do ano passado der as caras, ok. Mas até aqui, ele não deu... e nem acho que dirá presente até o fim da temporada. Uma pena.

O time não tem Guards confiáveis desde... bom, desde Ritchie Incognito. Vocês conhecem bem minha opinião sobre o Bullying Gate, que aquilo só possível porque Joe Philbin resolveu, para não milindrar o jovem QB, limar do vestiários todos os veteranos que pudesse representar uma má influência. Ficamos sem o talento de Brandon Marshall ( a época um dos 3 melhores WRs da Liga ) e de Vontae Davis e isso cobrou seu preço. Os Guards atuais não servem para muita coisa, mas Incognito jogava. E como jogava. Foi para os Bills e jogou até Pro-Bowl!!!

Voltando ao começo, temos que fazer uma análise realista: o time tem buracos imensos, alguns piorados com relação à 2016. Este time não está a uma estrela na defesa ou na OL de virar um time temido. Você não cobre tantos espaços num único draft. E no de 2017 não cobrimos carência alguma, por mais que Harris possa evoluir, a não escolha de LBs cobra agora seu preço. Mas o time escolher um no segundo round Flávio, azar se ele se machucou. Será que McMillan sozinho resolveria o problema nos LBs do time?? Acho que é querer demais de um calouro, não? Mas temos 2 DTs no elenco...

Meu medo é que, em nome de "proteger" o QB que ganha igual ao Aaron Rodgers, o time resolve investir é na OL... não que não precise, porque sim precisa. Mas é que reforçar via draft não tem adiantado...

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Uma vitória enganosa...

Landry conseguiu um TD. Aleluia!!!!
Vencer é, basicamente, o objetivo de todos os esportes profissionais. Entre vencer jogando mal e perder jogando bonito, eu claramente prefiro a segunda opção. Mas quando se perde e vence jogando mal, ai tem algum problema. Em 4 partidas até aqui, o Miami Dolphins não teve aquela atuação de time confiável. E é capaz que não tenha durante toda a temporada.

E aqui chegamos a uma dúvida eterna nos esportes: vencer jogando mal ou perder jogando bem. Basicamente, vencer é o objetivo de todos os esportes, coisa pra lá de óbvia. Mas jogar bem e perder, pode demonstrar que o time tenhas perspectivas de crescimento futuro. Vencer jogando, exceto numa casualidade muito grande, significa que o time esteja fazendo mais do que pode. E em que situação estamos em 2017?

Eu tendo a crer que no pior dos mundos: a OL não rende - falarei dela dura a semana, os LBs são um desastre e a secundária... tirando Reshad Jones falta qualidade demais por ai. É triste ver a defesa dos Dolphins em campo, tirando a nossa DL que anda monstruosa. Mas a defesa é um conjunto, não apenas um grupo de 4 jogadores que alinham contra a OL adversária. Em tempo, Charles Harris conseguiu seu primeiro sack. Ele não tem desapontado, tem feito uma evolução até que boa, mas não dá sinais de que será uma estrela. Até aqui, que fique claro.

E o ataque... bom, o "mago" Adam Gase não tem feito das suas. O time não melhorou basicamente nada entre o jogo contra os Chargers na estreia e este com os Titans. A qualidade dos adversários é que nos permitiram vencer 2 jogos, não nossas qualidades. Não por outro motivo, foi graças a erros de Field Goal que as vitórias foram conseguidas nos dois 2 casos. Contra Jets e Saints nem isso salvaria...

Ter Jay Cutler é parecido com aquele cara que volta para a namorada que lhe pôs chifres: todos sabem que vai dar no mesmo resultado, mas ele  - o corno - acredita que dessa vai dar certo. Todos sabiam antecipadamente que daria errado. Menos Adam Gase. E agora estamos pagando o pato. Salvo um súbita melhora da água para o vinho, iremos ficar com um 6-10. Que nem nos daria a chance de escolher um playmaker nato e nem ir para a post-season. A temporada de Jay Ajayi foi pro ralo, porque a OL não rende. Sobram os WRs ótimos, mas sem QB para lançar para ele. É uma pena ver tanto talento desperdiçado.

A vitória veio, mas a sinalização não é das melhores. Nossa defesa fica muito tempo em campo e assim cansa no fim, porque o ataque não tem capacidade de mover-se. Somando isso a falta de qualidade dos LBs e dos CBs... poderia ser pior: o time não ter a DL que tem. E n domingo o QB que vai lançar do outro lado é do Matt "the ice" Ryan... tenham pesadelos desde já...

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Week 5: Titans 10 x 16 Dolphins - Reshad Jones salva!!!

"in Reshad Jones we trust!!!!"
Eu confesso: não tive coragem de ver a partida. Fiquei entre meus sobrinhos que moram fora, a partida entre Jaguars x Steelers e o jogo Sim City 5. E pelo visto, não perdi grandes coisas. A não ser a mítica atuação do cara acima: Reshad Jones que, praticamente sozinho, ganhou o jogo pros Dolphins.

Sim, praticamente sozinho. Recuperou 2 fumbles, retornou um para TD demonstrando grande esperteza e inteligência, ao perceber que os árbitros não tinham parado a jogada. Conseguiu lances vigorosos e sobressaiu-se antes a falta de qualidade que impera ao seu redor na secundária. Enfim, ele foi o cara da partida.

Mas o ataque... meu Deus do Céu. Se Adam Gase é o mago dos ataques eu não quero conhecer quem seja ruim em termos de ataque. Não adianta culpar apenas Jay Cutler, porque eu não acredito que Ryan Tannehill faria diferente. Duvidam? Bom, quem viu a partida entre Cowboys e Packers jamais duvidaria. Como todos sabem, Tannehill ganha o mesmo salário que... Aaron Rodgers. Acho que isso resume a questão.

Jay Ajayi parece perdido, mas ai a OL tb não ajuda. E nosso Coach de OL foi demitido porque simplesmente tirou ( ou deixou ser fotografado ) uma foto cheirando cocaína!!! Pois é, até quando vencemos os problemas aparecem. E por falar em problemas, os LBs e os CBs seguem sendo o que eu sabia que seriam: horríveis!!! Teve momentos em que Matt Cassell parecia até um Tom Brady...

Mas tem a DL, sua linda!!! 6 sacks conseguidos, muitas pressões e tudo mais. Sem um grande número de faltas dessa vez, para ajudar. No mais, uma vitória sem grandes brilhos que, em tese, pode mais atrapalhar no final do ano que ajudar. Mas é bom fazermos as contas: 41 pontos em 4 partidas dá uma media ligeiramente acima de 10... e isso é sofrível. 

Como ademais, tende ser a temporada inteira...

domingo, 8 de outubro de 2017

Week 5: Titans x Dolphins - Vencer ou pensar em 2018

Uma dupla sensacional, não aproveitada...
Daqui a pouco o Miami Dolphins recebe o Tennessee Titans numa partida que, se não vencer já estaremos fora de qualquer chance de post-season. Pode parecer cedo, mas ficaremos 1-3 faltando 12 partidas, das quais 2 são contra o Patriots, o que nos deixaria com chance de vencer apenas 10. Sendo assim, o time só poderia perder mais uma dessas partidas e temos jogos contra Falcons, Buccs e cia... isso sem falar que já perdemos para os Jets e ainda teremos 2 partidas com os Bills, que lideram a divisão..

Contra os Titans não enfrentaremos o QB Marcus Mariota, que está machucado, mas a defesa dele é fortíssima. Ao menos o jogo corrido deles terão sérias dificuldades contra nossa DL, que é uma das melhores neste quesito. Assim sendo, a defesa não será tão exigida nos passes como foi diante dos Saints, mas também fora incrivelmente diante dos Jets, com o Josh McCown!!!

Se vencermos, teremos ainda alguma chance de post-season ( hoje eu digo que elas são praticamente descartáveis/inexistentes ), mas ainda ficaríamos sonhando. Perdendo, como eu disse, as chances seriam ZERO. Se perder, eu não vou querer que o nem vença mais. É duro dizer isso, mas ter uma escolha no Top Tree poderia trazer-nos um craque para melhorar a defesa de fato.

Por enquanto, sigamos buscando as vitórias. Mas se não vencer, 2018 vira o alvo. Infelizmente...

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Quando o time vai melhorar Adam Gase??

Desnecessárias legendas...
Adam Gase. Head Coach dos Miami Dolphins. Chamado de Mago dos ataques, parecia ter dado um jeito no time após o 10-6 do ano passado. Parecia...

Culpar Gase pelo atual estado das coisas é o óbvio: ele escolheu este grupo que ai está. Teve total liberdade nos 2 Drafts que comandou, fez a trades que quis, mandou embora quem achou que devia. Se o time não rende, natural levar as críticas. Porque o time não está ruim, está desastroso, terrível... está realmente doendo nos olhos ver o time em campo. Não pulso para cobrar que Tannehill fizesse a cirurgia ( ao que se sabe, foi escolha do jogador ) e quando ficou sem o titular escolheu buscar um aposentado para o seu lugar. O que pode ter rachado o grupo, porque muitos entendem que Moore deveria ser o Starter... enfim, ele fez o que quis, e precisava ter resultados. Que não está nem de longe agradando...

E mais uma vez não se trata de criticar um setor, os dois estão sofríveis. A defesa sem LBs e CBs e o ataque sem alma. A OL não rende e sem ela, não tem RB Top que produza. A defesa dos Saints era uma das piores de toda a NFL e não tomou um único ponto nosso!!! TGJ recebendo passe como se fosse uma estrela da Liga... 

Gase tem mais uma semana onde ele precisa mostrar seu dedo como HC. Precisa melhorar o time, para que não passemos mais uma semana com vergonha do time. Porque, até agora, o time pareceu um amontoado de jogadores. Assim como o era nas piores temporadas recentes. Que, ao que parece, não sumiram do Sul do Flórida...

domingo, 1 de outubro de 2017

Week 4: Saints 20x0 - E eu reclamando da semana passada...

Assim ficamos todos, sem acreditar no que vemos em campo...
Eu falei essa semana e vou repetir: todas as primeiras temporadas dos novos Head Coachs dos Dolphins foram bem melhores que a temporada anterior e pior do que a posterior. Foi assim com Tony Sparano ( 1-15 / 11-5 / 7-9 ), Joe Philbin ( 6-10 / 7/9 / 8-8 ) e agora eu cravo que também o é com Adam Gase ( 6-10 / 10-6 / 1-2 com reais chances de virar um 4-12 ). Seria aquela coisa de mover as estruturas, fazer os jogadores se mexerem e darem algo mais porque querem contratos. Depois do primeiro ano, tudo volta ao que sempre fora...

Eu, ao contrário de muitos, me mantive cético quanto ao "grande ano". Sempre em meus posts apontei o óbvio: a defesa não me parecia melhor. Nem fui muito profundo na escolha - agora claramente péssima - de Ryan Tannehill de não passar por processo cirúrgico. Um draft meia-boca ( mais um ), com escolhas sem cobrir as carências do time... apontei tudo isso, mas claro que para a maioria - sobretudo para quem não torce para o Miami e sim para Ryan Tannehill - eu sou o chato que é pessimista. Acho que o histórico recente do time me dá razão.

Sobre a partida de hoje: ficou MUITO claro que Adam Gase não melhorou em nada o time durante a semana. Coachs de qualidade fazem isso. Mas ele não apenas não melhorou, mas o time ficou ainda pior. Ainda sobre Gase: a escolha de Cutler pode, talvez, custar caro para ele. Eu fico pensando em Colin Kaepernick dando sopa e a gente com um QB que estava aposentado. Cutler deu uma enganada contra os Chargers e... só. Agora não está jogando nada. O passe dele que foi interceptado hoje foi coisa de debio mental.

A defesa, tirante a DL, simplesmente não tem qualidade. É fato. Mas alguns idiotas acham que a culpa é só de Matt Burke, nosso Coordenador Defensivo. Que tem culpa, é claro mas não sozinho. Os LBs do Miami não marcam ninguém e a secundária - como eu sempre apontei - é uma peneira. Até TGJ consegue parecer um grande WR!!! De bom mesmo, só alguns momentos de Cordrea Tankersley e um sack de Reshad Jones.

Com 1-2 o time é apenas o lanterna da Divisão, que é liderada - pasmem - pelo Buffalo Bills, com 3-1. E, sejamos francos, este time teria sido derrota pelos Buccs na semana 1. Marcou, nas três partidas o total de 25 pontos, uma média de 8 por jogo. Assustadoramente patético o ataque. Jay Ajayi não tem como ser o motor do time se a OL - outro setor que não melhorou - e o QB não ajudarem.

Semana que vem é contra o Titans, que anda jogando bem. Acho que irei viajar, dormir ou desligar-me da internet. Porque, pelo visto, voltamos a ser o saco de pancadas da NFL. Não que eu não tenha avisado... e sido criticado por isso.

Week 4 - Saints x Dolphins - Recuperação em Londres?

Tomara que ele ria bastante hoje, porque iremos precisar...
Daqui a pouco teremos a partida entre Dolphins x Saints, em Londres no Wembley Stadium. Como todos sabemos, isso é ruim porque perdemos um jogo como mandante e nem teremos Bye Week este ano. Mas isso, nem de longe, é o maior problema do time...

Depois de passar vergonha do domingo passado ao fazer Josh McCown parecer uma estrela de primeira linha, hoje nossa defesa(!!) vai ter que encarar um dos 5 melhores QB da NFL atual: Drew Brees. E como ele sabe como poucos aproveitar os buracos das defesas, temos a receita ideal para o desastre. Não temos LBs e nem CBs ( mas tem babaca que diz que o problema é só do Coordenador Defensivo ).

No ataque, como já era sabido, dependemos de que Jay Ajayi corra como um All-Star. Porque se ele for parado como contra a pífia defesa dos Jets... ai nossas chances serão ZERO. Mas se ele correr bem, teremos uma chance.

Eu particularmente, acho que iremos perder. Mas vai que eu esteja errado...

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Realmente "in Gase we trust"???

Amanheci meio como o Gase nesta foto...
Eu fiz uma escolha a um tempo atrás: ser pragmático. Não apenas aqui no Blog, mas na minha vida como um todo. Nada de sonhar alto, de ter altas expectativas com os outros e times, empresas, políticos e cia. Como diz Mel Gibson no filme o Patriota a seus filhos - que ainda crianças precisam matar soldados ingleses que tinha acabado de matar um irmão e capturado outro: "mire pequeno, erro pequeno". Com o nosso querido Miami Dolphins é mais do que um lema: é um obrigação, porque do contrário você vai sofrer muito.

E, mesmo sendo pragmático em meus comentários, eu fiquei muito puto com a derrota para os Jest... imagina quem repete o mantra que está no título deste post para fechar os olhos aos absurdos erros de planejamento feitos pelos Dolphins. Muitos deles já na gestão de Adam "the magician" Gase. Já falei deles, apontei aqui e - claro - recebi porrada por isso. Mas eles estão ai para quem quiser ver. Mas ao invés disso, preferem bloquear no Twitter quem diz o óbvio...

Mas realmente podemos acreditar plenamente em Adam Gase? Sendo bem pragmático, eu estou esperando mais pra crer. O primeiro ano dele, olhando-se apenas e tão somente os resultados, foi espetacular. Mas também assim o fora o primeiro de Tony Sparano... e mais ou menos o de Joe Philbin. Se o segundo não nos levou a post-season com os outros 2, ele deixou uma boa impressão, de que com os reforços certos ( jamais chegariam ) ele poderia nos levar de volta aos bons tempos do passado. Não deu certo, é claro. 

Mas Gase já é merecedor de críticas pesadas? Sim e não. Primeiro porque ele não tem culpa qualquer no fato de nosso QB ter preferido não fazer cirurgia. E muito menos dele ser o meia-boca que é e ganhar igual a Aaron Rodgers ( imagino o quanto o QB dos cabeça de queijo é zoado por causa disso ), mas... bom, ele draftou 2 WRs a peso de ouro ano passado e os dois simplesmente não recebem passes!!! Draftou, igualmente a pedo de ouro, um RB que não faz nada em campo. Isso sem falar nos CBs que não marcam ninguém... e eu nem quero falar da falta de LBs...

Gase, e ele sabe disso, precisa se provar nesta temporada. Optou por trazer Jay Cutler ao invés de Colin Kaepernick, uma escolha que pode ser muito contestada antes do meio da temporada. Ele sabe que chegar na post-season num ano e ficar 3 fora não vai contentar a torcida. Ele igualmente sabe que será imensamente cobrado se tivermos uma temporada terrível ( tipo um 5-11 ).

Assim sendo, realmente podemos acredita em Gase? Mais umas duas rodadas e de forma pragmática eu respondo a vocês... dependerá basicamente de como o time reagir da pífia e patética atuação contra os Jets...

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Week 3 - Dolphins 06 x 20 Jets - Que papelão!!!

um resumo da partida...
Antes de falar da partida, uma informação: criticar Donald Trump pela idiotice que ele falou é fácil, mas respeitar o contraditório em uma rede social não é feito. Assim ontem fui bloqueado no Twitter pelo perfil @BrDolphins porque disse o óbvio: a defesa ( exceto a DL ) não jogou nada porque o setor é fraquíssimo, não porque é mal treinado. Respeitar quem se opõe a sua opinião é básico do Regime Democrático. Tanto quanto apoiar os jogadores da NFL no ( merecido ) protesto contra o péssimo presidente dos EUA. Adiante...

O que pode-se dizer da palhaçada protagonizada pelo time dos Dolphins ontem no Met Life Stadium? Podemos fazer como Mauro César Pereira da ESPN Brasil e chamar de "patético, pífio, horroroso...". Mas isso realmente representa o que foi aquilo que tivemos o desprazer e desgosto de ver com nossa histórica camisa?

Podemos dizer que o time viveu um de seus maiores vexames, porque o rival não é apenas fraco, mas não está nem ai para a temporada, ao realizar trades e mais trades por picks, pensando claramente em 2018. Podemos dizer que aquela equipe tacanha dos anos de Sparano e Philbin talvez faria melhor. Podemos ainda apontar o óbvio ( que dá ban no Twitter ) que o time é mais fraco do que no ano passado.

Mas isso ajuda a entender o que aconteceu ontem? Que tal tem algo errado com o elenco? Talvez algo não tenha sido bem resolvido com a punição a Lawrence Timmons e isso tenha mexido com o elenco. Talvez, de fato, o DC Matt Burke tenha alguma culpa, mas será que ele seria capaz de, sozinho, piorar o setor com relação ao ano passado? Lembrando que o time já era bem ruim no setor.

Será se foi Burke quem escolheu - sozinho - trazer um único LB na Free Agency e um único LB no Draft? Será que foi ele mesmo o responsável por isso? Ou será que existem erros gravíssimos de planejamento feitos desde que Adam Gase assumiu a equipe? Erros apontados por mim neste texto aqui.

Mas será que isso explica aquilo ontem, na vergonhosa derrota para os Jets? Porque é preciso lembrar que varrer Bills e Jets estava na conta para conseguirmos voltar a post-season. Agora faltam 14 jogos sendo que 2 deles são contra o Pats. Em condições normais, o time tem 12 partidas para vencer - pelo menos - 9. Mas quem em sã consciência acredita que este time possa vencer 9 em 12 depois do que não apresentou ontem?

São derrotas assim que times vencedores evitam. São atuações assim que time vencedores não apresentam. O time pode responder bem a essa derrota? Poder até pode, mas eu duvido muito. Em tempo, no texto da partida passada eu deixara indícios que isso poderia acontecer. Eu só não achei que seria contra os Jets...

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Week 2: Chargers 17x19 Dolphins - Ajayi carrega o piano e nos coloca na liderança da AFC Leste

Ajayi é o cara...
Primeiramente, um pedido de desculpas: estou em Curitiba, a serviço, e não pude ver o jogo no domingo, porque estava viajando, voo atrasou e eu só cheguei no Hotel, pregadaço, depois das 03:00 da madrugada. Assim não puder fazer o que planejara, que era escrever no domingo a noite. Acontece, é da vida. Adiante... E sim, sobre Timmons e a troca com os Saints eu falo quando tiver tempo.

Segundo que existem 3 maneiras de ser ver a vitória ( e a liderança da AFC Leste!!! ) conseguida diante dos LA Chargers ( como é complicado não falar San Diego ). Vamos a elas:

  1. Vencemos e pouco importa como isso aconteceu. Vencer é o objetivo de todo time da NFL. Olhando por este prisma, os nossos defeitos poderão ser corrigidos e nossas virtudes melhoradas;
  2. Vencemos mas o rival errou 2 FGs e fez a festa na nossa secundária e LBs. Sendo assim, foi um dia ruim ou será uma tônica na temporada? Aqui cabe outro questionamento: como pode que estes 2 setores eram os mais fracos do time em 2016 e seguirem sendo duas porcarias? Entenderam agora porque eu critico tanto nossos Drafts? Desde quanto tempo que eu clamo por LBs e o time tem hoje um setor que parecer ser PIOR do que foi em 2017? Assim não dá. A secundária carece de qualidade, mas tem quem ache Xavien Howard um novo Richard Sherman. Por estre prisma temos pouco o que comemorar, porque não será todo jogo que erraram tantos FGs assim e contra times mais fortes, o estrago tende a ser maior;
  3. Vencemos e apesar da defesa ( tirando a DL ), o ataque andou - ao meno no segundo tempo - e Cutler mandou muito bem e Ajayi provou que pode ser o grande RB que deu as caras em 2016. Não posso negar que a atuação de Cutler superou TODAS as minhas expectativas. Parecia que era nosso QB a anos e conduziu bem o ataque, com um normal conservadorismo no começo e com frieza assustadora no final. Ajayi correu muito ( no bom e mal sentido ) e disse: eu estou aqui para fazer história. E para isso, a OL parecia coisa de time Super Bowl Contender. Parecia, mas não é ( igual Denorex... eita, acho que ninguém que vai ler este vai entender esta!!! ). Contudo foi uma boa estreia. Landry, Stills e Parker mostraram o que podem fazer e isso foi bom. Por este prisma, podemos esperar o ataque vencendo alguns tiroteios, mas não na casa dos 30 pontos. Mas, podemos vencer.
Existe um outro dado, que sei muitos não devem concordar comigo: a atuação de Cutler mostrou que Ryan Tannehill não é isso tudo. Ou alguém ai realmente acha que ele conseguiria muito mais do que Cutler? Um TD a mais? 2 FGs a mais? Venceríamos mais folgados, é claro. Mas isso valeria os 22,5 milhões que ele tem direito em 2018? Não estou cravando que ele seja cortado, mas devemos sim observar com carinho como Cutler vai se poder durante o ano. Porque se um QB  aposentado conseguir levar este time a post-season, o tal "frachise QB" teria que levá-lo mais longe. E duvido que ele seja capaz disso. Mas eu falo nisso durante a semana...

Por enquanto, estamos na liderança ( como não perdemos ). Domingo é contra os Jets e vencer é mais do que necessário, é obrigação. E, claro, gostaria de ser com qual visão os amigos se identificaram...

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Feliz 56 anos para Dan Marino

A Lenda está ficando mais velho...
Os mais novos não fazem ideia do que foi Dan Marino. Seus números - excepcionais - não representam a dimensão que Daniel Constantine Jr tem para o Miami Dolphins e uma transformação na NFL. Até a chegada dele na NFL, os QBs não eram vistos como hoje em dia. Nenhum QB chegara sequer perto da marca de 5mil jardas e de 50 TDs. Essas marcas sequer eram cogitadas.

Ai veio a temporada de 1984 e Dan Marino assombrou a NFL. Foram 14 vitórias, 5087 jardas passadas e 48 TDs. Marcas que levariam mais de duas décadas para serem quebradas. Isso mesmo: por mais de 20 anos ele seguiu sendo o único QB a tê-las. Depois veio Peyton Manning, Tom Brady e Drew Brees. E só. Um adendo importante: Marino tomava porrada abaixo do joelho, tomava tackle em quase todos os locais do corpo, não tinha pass interference ( não como é marcada hoje em dia ) e nunca teve um RB sequer decente.

Ele hoje faz 56 anos. E nunca é demais lembrar que em 1983 23 times passaram por ele. Com certeza todos, menos o Broncos e os Bills, lamentam isso até hoje...

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

NFL adia partida Dolphins x Buccs para Semana 11 e isso é péssimo

Hard Rock Stadium vai ficar vazio no domingo...
O Furacão Irma chega neste Domingo à Flórida. Todos devem saber disso a essa altura, creio eu. E também devem saber que a partida de abertura da temporada com os Bucccs foi adiada. O problema é para quando a NFL adiou a partida: a semana 11, que seria bye week dos 2 times.

O primeiro problema, óbvio, é que o time jogará 16 partidas seguidas, pois será usada a folga prevista na tabela para jogarmos a partida adiada. Mas temos uma desvantagem a mais que os Buccs: nós jogamos no domingo anterior em Londres, diante dos Saints. Portanto, nossa Bye Week, teria dupla função: recuperar jogadores da pesada viagem e aprimorar a equipe. Dupla perca, é claro.

Mas em todo caso, não tinha como ter a partida no domingo, nem mesmo na casa do rival, que também é da Flórida. Agora é encarar mais essa dificuldade e superá-la.

sábado, 2 de setembro de 2017

Phinsider lança previsão dos 53 que ficarão no elenco...

Essa camisa tem história...

Neste sábado os times precisam reduzirem seus elencos para o máximo de 53 jogadores e outros 10 no Pratice Squad ( com jogadores de no máximo 3 anos na Liga ). Portanto, entre hoje e fim da janela amanhã, muitas mudanças acontecerão. Por conta do meu novo trabalho, não estou tão familiarizado com todos os atuais jogadores dos Dolphins, mas eu sempre busco informações no The Phinsider, para mim a melhor fonte sobre o Dolphins.

Kevin Nogle listou os jogadores que ele entende que serão os escolhidos. Mas é bom ficarmos atentos porque outros times cortarão jogadores e eles podem - e muito - interessar aos Dolphins.



Ataque (23)
  • Quarterbacks (2) - Jay Cutler Matt Moore;
  • Running backs (4) - Jay Cutler, Kenyan Drake, Damien Williams e Senorise Perry;
  • Wide receivers (5) - Jarvis Landry, DeVante Parker, Kenny Stills, Leonte Carroo e Jakeem Grant;
  • Tight ends (3) - Julius Thomas, Anthony Fasano e MarQueis Gray
  • Offensive linemen (9) - Laremy Tunsil, Anthony Steen, Mike Pouncey, Jermon BushrodJa’Wuan James, Sam Young, Jesse Davis, Eric Smith e Isaac Asiata
Comentário: Nada de muita surpresa. Os WRs Carroo e Grant foram bem na pré-temporada e dada a falta de concorrência. Gase adora mesmo ter vários RBs para ter variações, mas acho a turma fraca nos reservas de Ajayi. A OL segue com problemas e como é bom ver Fasano de volta...

Defesa (26)

  • Defensive ends (5) - Cameron Wake, Andre Branch, William Hayes, Charles Harris e Terrence Fede;
  • Defensive tackles (5) - Ndamukong Suh, Davon GodchauxJordan Phillips, Vincent Taylor e Nick Williams;
  • Linebackers (7) - Kiko AlonsoLawrence Timmons, Mike HullRey Maualuga, Trevor Reilly, Chase Allen e Deon Lacey;
  • Cornerbacks (5) - Byron Maxwell, Xavien Howard, Bobby McCain, Cordrea Tankersley e Alterraun Verner;
  • Safeties (5) - Reshad Jones, Nate AllenMichael Thomas, Walt Aikens Maurice Smith.
Comentário: Aqui o calo do time, com os LBs. É um grupo mais fraco do que o do ano passado pra mim. Passamos 12 meses e o setor segue sendo ruim. Talvez consigamos melhorar com os cortes dos outros. Entre os CBs, onde alguns acham que é bom, eu também não me animo. DE bom, a DL. Que pode vir a ser a melhor da Liga.

Special Teams (3)


Practice Squad (10) - Brandon Doughty - QB, Thomas Duarte - TE, Drew Morgan WR, Damore’ea Stringfellow - WR, Avery Young - OT, Jake Brendel - C, Praise Martin-Oguike - DE, Tory McTyer - CB, Lafayette Pitts - CB, A.J. Hendy, S.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Jay Cutler parece bem a vontade em Miami

Cutler parece outra pessoa ou é apenas pré-temporada?
Sair da aposentadoria de QB e receber uma proposta de 13 milhões para jogar mais uma temporada podem mudar o patamar - nem que seja financeiro - de qualquer um. Esse é o caso de Jay Cutler, que tem entusiasmado a todos nos treinamentos. Ele, acreditem, está muito a vontade. E aqui começam as perguntas...

Primeiro não custa nada lembrar que Ryan Tannehill também estava assim nesta mesma época do ano passado. E a temporada dele não foi exatamente uma Brastemp... será que com Cutler será diferente? Ele tem uma vantagem que Tannehill não tinha: química com Adam Gase, nosso HC. Para Cutler não é como uma primeira vez, mas sim como voltar para casa e conhecer quase tudo.

Segundo qual Cutler será o que vai jogar: o de 2015 com Gase ou o do ano passado sem Gase? Ok, pode ser pegar no pé, mas é uma pergunta pertinente. O de 2015 é um QB para ser - até - Pro-Bowler, mas o de 2016... bom, este foi aposentado por falta de proposta para continuar jogando. O dos treinos parece na parte do tempo o de 2015. Seria ele capaz de se aproximar dos 30 TDs com no máximo 15/16 Ints, beirando as 4k jardas? Talvez seja pedir demais, é fato. Mas é aquela coisa, vai que ele consegue...

Por fim, uma outra pergunta pertinente: e Matt Moore nesta equação? Como ficará ele reserva de um ex-aposentado? Por enquanto, ele está bem mas resta o medo do que isso pode produzir de ruim no vestiário.

Sabem quantos jogadores temos na lista dos 100 melhores no site da ESPN?

Aqui porque eles estão na lista...
Na lista anual dos 100 melhores jogadores que o site da ESPN faz, eis que temos apenas 3 jogadores. Antes de prosseguir, um dado: se dividirmos 100 por 32 ( numero de franquias ) cada time ficaria com 3 jogadores e sobrariam 4.  Neste caso, se nós temos 3 quer dizer que temos apenas uma média simples, inexiste algo de bom nisso. Como comparativo Jets e Bills tem apenas 1. Mas o Pats tem 7, três deles entre os 50, dois entre os 11. E claro, o número 1.

Estão na lista, por ordem crescente: Suh ( 26 ), Wake ( 78 ) e Landry ( 94 ). Notem que não temos ninguém no Top 15, no top 20 e nem no Top 25 e apenas um entre os 50. Se lembrarmos que nosso FQB ( coisa ele nem é e nem nunca será ) é um dos 6 mais bem pagos da sua posição, temos um grande problema. 

Eu senti falta de Jay Ajayi, mas faz sentido ele não estar na lista: porque ele precisa se provar de que o ocorrido em 2016 não foi um acaso. Se ele conseguir correr 1,5k de jardas, fatalmente estará bem posicionado em 2018. Mike Pouncey e Reshad Jones seriam merecedores, mas como enfrentam problemas de contusão, creio que isso tenha pesado. E é justo não figurarem na lista. Mas poderiam e podem eventualmente voltarem no ano que vem.

É um dado sintomático a percepção de grandes jogadores que os outros tenham do nosso elenco. Isso só demonstra o que digo a tempos: temos um time fraco. E que é lamentável que 2 dos 3 jogadores sejam do mesmo setor, a DL. Nem mesmo distribuição por todo o elenco temos. E o outro escolhido, sequer é reconhecido como jogador do elenco, tendo até agora não recebido uma extensão contratual. Lamentável...

E um dado, caso você não olhe a lista: porque ali pela casa dos 80 e verá um ex-Dolphins na Lista. E pense que ano que vem Landry poderá estar na mesma situação: um dos 100 melhores, mas sem usar nossa camisa. Infelizmente, não parece algo tão improvável assim...

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Porque o Miami trocaria Jarvis Landry?

'The Juice" tem feitos históricos na Liga, mesmo sem um QB que preste...
Não sou botafoguense, mas tenho amigos que torcem para o time da "estrela solitária" e eles usam um mantra de que "existem coisas que só acontecem com o Botafogo". Verdade ou não, eu estou praticamente importando essa frase para o Miami Dolphins.

Na off-season renovamos com Kenny Stills ( um WR pra lá de comum ) num acordo de médio prazo, além do contrato assustador dado a um DE para lá de questionável ( Andre Branch ). Se levarmos em conta que Ryan Tannehill recebe o sexto maior salário da Liga ( empatado com um tal de Aaron Rodgers ) e que Ndamukong Suh é o maior salário da Liga fora os QBs, temos uma clara explicação porque faltou espaço no Cap para assinar com Jarvis Landry.

Acontece que dos citados acima, tirando Suh, nenhum deles sequer chegam perto do talento espetacular que Landy tem e já demonstrou na Liga. Nenhum outro WR recebeu mais passes do que ele, que por sinal é apenas o recordista da NFL neste quesito para recebedores nos seus 3 primeiros anos. E olhem que ele concorreu com o seu amigo pessoal Odell Beckham Jr, colega dele de time em LSU. Landry é, acreditem, um All-Star. Fora ele, no time, temos apenas Cameron Wake e, tirando as contusões da equação, Reshad Jones e Mike Pouncey. Como dar mega contratos a jogadores questionáveis e negá-lo a um dos poucos All-Star do elenco?

É ai onde entra a frase dos botafoguenses, porque só aqui que Branchs e Stills receberiam contratos novos e o melhor WR do time ( e um dos melhores jogadores do elenco e da Liga!!! ) seria relegado a um segundo, terceiro plano. Jamais o time poderia deixar que Landry fosse para seu último ano de rookie sem contrato. Santo Deus, o time deu uma extensão para Ryan Tannehill ao fim do seu terceiro ano quando ele nem fazia ( e ainda não fez ) por merecer, quando o time o tinha sob contrato por mais duas temporadas, mas deixa Landry de fora? Simplesmente, surreal.

Durante o fim de semana, Mike Tannenbaum disse que o Miami estaria realizando uma trade importante antes do fim da pré-temporada. E, lógico, alguns times entenderam que Landry poderia ser negociado. E ligaram, é claro. Eu mesmo ligaria se fosse GM de alguma equipe da NFL. E o burburinho instalou-se em todo o Sul da Flórida. E ao que parece, não existe fundo de verdade, mas o boato só existiu porque Landry não estará sob contrato no ano que vem. Em suma: o Miami pede para que coisas assim aconteçam.

Landry poderá, com base na procura por seu nome, forçar uma saída no ano que vem ou dificultar ao máximo um novo acerto, tirando mais e mais recursos do nosso Front Office. Uma coisa é certa: satisfeito ele não está. Tem sido político nas suas entrevistas, mas quem estaria feliz ganhando menos do que Stills? Ninguém, é claro. O CBA ( acordo coletivo entre Liga e Jogadores ) estipula regras bem rígidas, mas a franquia deu um reconhecimento a Tannehill e não o fez com alguém muito melhor do que ele... outra vez, são "coisas que só acontecem com os Dolphins".

Infelizmente. E em uma tenebrosa trade, creio eu, o máximo que conseguiríamos era uma escolha de segundo round, com mais alguma no ano seguinte. Ou seja, nada. Sem falar que Landry - não me canso de dizer - é um jogador tão bom, mas tão bom que nem parece ter sido draftado por nós. E talvez por isso, por não parecer jogador, o time não o queira conosco. Prefiram as perebas com nossa cara...

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

A cirurgia de Ryan Tannehill será hoje

Tannehill será submetido a cirurgia hoje...
Goste-se ou não dele ( e eu não gosto, como todos sabem ) mas a contusão de Ryan Tannehill abateu a todos. Não gosto de ver meu time com Jay Cutler, mesmo que não goste dele com Tannehill, mas é impossível negar que o camisa 17 é melhor do que Cutler ( o que não quer dizer lá grandes coisas ).

Enfim, ele fez um erro de avaliação, não fez a cirurgia em Dezembro com medo de perder parte dos jogos desta temporada e agora perdeu-a por completo. O rompimento dos ligamentos foi um desastre ( para ele com certeza ) e agora não teve como escapar do procedimento cirúrgico. Não se sabe quanto da decisão pela não realização da cirurgia teve participação de Adam Gase e cia, mas se influenciaram a decisão de Tannehill marcaram um belo gol contra.

Hoje é o dia. Ryan Tannehil fará a reconstrução dos ligamentos do joelho esquerdo e ficará em recuperação entre 10 e 12 meses. Se a for o mínimo, ele voltaria para o começo da TC do ano que vem. Se for a segunda, só voltaria perto do começo da temporada. Em ambos os casos existem dúvidas quanto ao seu rendimento, porque pouquíssimos jogadores renderam em alto nível após um ACL. E eu garanto que ele jamais em sua carreira atuou em alto nível, o que implicaria que ele não apenas precisaria voltar bem, mas voltar melhor. Bem melhor, para ser mais preciso.

E neste quesito, praticamente ninguém na NFL o fez ( após cirurgias complicadas ). Só consigo me lembrar de Drew Brees. Em todo caso, ótima recuperação para ele, que é uma boa pessoa e jamais meteu-se em confusão. 

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Erros da gestão Gase que já estão custando caro...

Esse é o quarteto que tem tomado as decisões desde ano passado...
Errar é humano, mas no Miami Dolphins isso parece ser elevado a potência infinita. Ano após anos vemos erros se somarem aos já escabrosos do passado, seja recente ou até meio que remoto. Não adianta, sempre teremos algum erro de planejamento que vai cobrar seu preço em algum momento da temporada. Irei listar os que, a meu ver, já podem comprometer não apenas esta temporada, mas até mesmo a próxima e que foram cometido já na gestão Adam Gase. Vamos à eles:

  • Falta de um QB jovem. Esse talvez seja o menos percebido, mas pode vir a ser o pior dele. Técnicos recém chegados - sobretudo quando deixam a condição de Coordenadores - costumam apostar em um jovem QB, com quem possam criar uma química. Quando isso não é possível ( imaginem um HC chegando em New Orleans e querendo barrar Brees por exemplo!! ), eles procuram por alguma oportunidade em middle ou late rounds para terem o seu "QB", mesmo com uma estrela no time. Acontece que Gase não foi contratado para isso e sim para "consertar" Ryan Tannehill. E é aqui que está o erro: o time não tem um QB jovem que pudesse ter sido desenvolvido para ficar no lugar de Tannehill em uma eventualidade. Não fizeram em 2016 e assustadoramente não fizeram em 2017, quando era um risco a ser considerado Tannehill não terminar a temporada. Resultado disso: temos agora Jay Cutler no time e seguimos com Matt Moore. Qual é o futuro do time, caso Tannehill não volte mais a jogar bem ( isso se ele um dia tenha feito isso, é claro )?? Nenhum. Assim temos um erro. E dos grandes. Se ele não puder voltar rendendo bem ou for cortado ( algo a ser considerado com certeza ), teremos que começar do ZERO. E isso amigos, é um grave erro de planejamento. Como exemplo, cito o rival Patriots que tem um HOF em campo e segue escolhendo QB em drafts e até já lucrou picks com isso. E hoje tem um reserva que é elogiado por muitos. Nós nem Starter elogiável temos.
  • Para que Linebackers mesmo?. Não sei o que se passa na cabeça de Chris Grier ( GM que não manda em nada ), Stephen Ross ( que só assina cheques ), Adam Gase ( o mago?? ) e de Mike Tannenbaum ( ex-Jets e que foi o responsável por contratar Brett Favre ), mas será se eles realmente sabem que um time vencedor costuma ter grandes LBs? E que pegando apenas refugos e UDFA não se consegue ter um grande setor? O time não escolheu nenhum LB em 2016 e este ano só escolheu 1 - mas achou por bem draftar dois DTs. E o escolhido está fora da temporada, assim como Koa Misi ( que aliás, se aposentou ). Como esses 4 senhores deixaram a equipe ficar sem LBs? Sinceramente, uma piada. 
  • Queimando escolhas sem necessidade alguma. Quarterback e Linebacker jovem não temos, mas CB meia-boca tem de sobra. E queimando picks para isso. Ano passado queimamos uma pick de 4º Round ( que poderia ter sido usada para draftar um LB, por exemplo ) apenas para subir 4 posições no segundo round para... draftar Xavien Howard!!! Que muito provavelmente estaria disponível em nossa pick original, e mesmo que não estivesse, ele não vale - e jamais valerá - a escolha. Ele jamais será um All-Star porque simplesmente não tem capacidade para tanto. No mesmo draft, como se fosse pouco, o time queimou 2 escolhas do draft de 2017 ( mais a 6ª de 2016 ) para escolher um... WR!!! O time já tinha Jarvis Landry e DeVante Parker, santo Deus!!! A menos que o escolhido fosse um novo Jerry Rice, Paul Warfield, Calvin Johnson jamais poderíamos ter feito tamanha merda ( desculpem a palavra ). E draftamos uma porcaria chamada Leonte Carroo. Me diz ai leitor: você lembra dele fazendo algo em campo? Porque eu não. Só nestas ações, foram 4 escolhas trocadas para, praticamente, nada. Para mim Howard é Starter por falta de alguém melhor - o que quer dizer muita coisa - não por ser ótimo. E Carroo... obviamente, nestas 4 escolhas ( sem falar nos jogadores escolhidos nelas ) daria para ter conseguido - citando o erro 2 - algum LB melhor do que os que não temos.
  • Reforçando a OL quando nem era necessário. Eu sei que Laremy Tunsil tem potencial de All-Star - alguns exageram um pouco e falam em HOF - mas mesmo assim, existiam LBs, CBs e DEs que eram mais necessários do que ele naquele momento. Ok, eu sei que por causa dele mandamos o Albert embora ( e o mesmo foi cortado e não receberemos pick por ele ) e seu monstruoso contrato e isso vem a ser uma coisa boa. Que com ele no time, Jay Ajayi tem mais chances de correr 1,6k jardas. Sim, eu sei de tudo isso, mas de que vai adiantar ele correr tudo isso, se os RBs adversários fizerem o mesmo em nossa defesa? De que vai adiantar tudo de bom que ele trouxe se nossa secundária seguir sendo uma das piores da NFL? De nada, é claro. Além do que ele, parece ser um injure prone... Pra finalizar, não custa nada lembrar que em 2015 tínhamos catado um OT no primeiro round e ele até hoje não rendeu em alo nível, como deveria fazer um jogador de first round ( que era cotado pra sair no segundo, quiçá no terceiro ). Este erro aqui, ao menos, não e culpa de Gase.
  • Potencializar setores que já são bons em detrimento dos que não são. Coloco aqui só para sintetizar tudo o que foi dito acima. Reforçamos, na era Gase, os WRs e a DL, mas não fizemos adições na de QB, entre os LBs e - apenas - mais ou menos na secundária. Se a secundária fosse boa e estivéssemos apenas tentando melhorá-la ainda ia, mas nem de longe era o caso. E não cito a OL, porque não era bom o setor antes dele e recebeu bons reforços para ser, quem sabe, enfim um grande setor. Do que serviu ao time escolher Leonte Carroo e Jakeem Grant num setor com Parker e Landry? E os DTs realmente eram assim super necessários, mais do que os LBs que não vieram? Os reforços na secundária foram bons ou ainda é um setor muito frágil?
São alguns questionamentos, que precisam serem feitos. Porque tem muita gente ai achando que já viramos um Packers, um Steelers ou um Patriots em gestão de elenco. E passa MUITO longe disso...

sábado, 12 de agosto de 2017

Miami de olho no mercado, mas por enquanto Mike Hull é o MLB

Hull é quem ficou com a vaga de McMillan...
Não escondo de ninguém que o time do Miami ainda tem buracos terríveis, que nem passaram perto de serem cobertos nessta off-season. E não estou falando da posição de QB, mas sim a de LB. Neste ano trouxemos apenas 2 jogadores para reforçar um setor que era um dos piores de toda a NFL. Um calouro ( McMillan ) e um veterano ( Timmons ) estão bem distante do que eu achava necessário. E agora que McMillan está fora da temporada, temos apenas um Veterano como reforço...

Com a saída de McMillan, bem como a anterior de Koa Misi, o time está teoricamente mais fraco do que estava quando fomos massacrados pelos Steelers. Ter passados bons LBs no primeiro round - mesmo que Charles Harris pareça mesmo promissor - deverá cobrar um alto preço ao setor. Eu avisei, é claro.

Agora temos que Mike Hull - na foto conseguindo uma interceptação na partida contra os Cards - é quem ficará com a vaga. Que, é preciso dizer, McMillan nem tinha conseguido ainda em campo, mas todos sabiam que ele seria o Starter. Sem ele no time, Hull vira automaticamente o titular, mas e o time não vai contratar não? Bom, parece que sim... mas quem?

Ai começam os problemas. As opções de mercado agora passam longe de animar alguém e uma trade como a do ano passado que nos trouxe Kiko Alonso não aparecem todo dia. Sendo assim, o time deve esperar pelo dia dos cortes e observar com bastante cuidado os nomes dos LBs que foram dispensados. É aquela coisa: o lixo de alguém pode ser a refeição de outros.

Em todo caso não teremos o setor em desenvolvimento que seria o adequado, porque apenas teremos algo remendado. Tudo porque o front office simplesmente parece que não percebeu o buraco do time. E agora terá que tampá-lo com fita crepe. E isso é um problema grande... tomara que Hull tenha mais dias como os da foto e que os futuros contratados possam ajudar muito.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Agora é Oficial: Tannehill fará cirurgia e só volta em 2018

Terá sido esse o lance final de Tannehill em Miami?
Ryan Tannehill foi colocado oficialmente da IR ( Lista de Machucados ) e agora - de fato  está fora da temporada. Ele fará uma cirurgia - o que inexplicavelmente não foi feito no fim de 2016 - e talvez só volte em 2018. Talvez porque poucos jogadores conseguiram voltar em alto nível de uma cirurgia dessa complexidade... e isso se considerarmos que um dia ele tenha jogado em alto nível.

A imagem acima é forte e foi num jogo que naquele momento estava sob controle e nem resultou em falta. Essa tem uma chance nada desprezível de ter sido a última dele como QB. Em Miami as chances são imensas, mas como QB também pode ficar sendo a última jogada.

Quanto à situação dele em Miami, convém citar que no ano que vem ele receberia 22 milhões e seu corte custaria "apenas" 5 milhões. Parece uma escolha fácil, mas não é: e se ele for cortado e virar ( não imagino que estou escrevendo isso ) um Drew Brees da vida? 

Em todo caso, agora é com Moore e Cutler. E isso é, acreditem, terrível.

Contratem uma benzedeira: McMillan fora da temporada...

McMillan está fora da temporada. E isso é um desastre de verdade...
Miami Dolphins era, para alguns, um time capaz de vencer 12 partidas este anos. Quem assim pensava ia na linha de que Adam Gase refizera um time com pouco e agora com mais peças e uma temporada vitoriosa, as coisas só melhorariam, Faltou combinar com a sorte: depois de perder Ryan Tannehill e Koa Misi, ontem o time perdeu o calouro que seria a melhora do setor dos LBs: Raekwon McMillan. 

Sem termos um setor sequer mediano, agora perdemos 2 titulares antes da semana 2 da pré-temporada. As chances de post-season caem a cada dia. Se com a contusão de Tannehill deixou muitos tristes, a de McMillan me deixou estarrecido. Sem LBs de qualidade, time algum chega em lugar algum.

De nada vai adiantar Jay Ajayi correr 3mil jardas se não tiver ninguém marcando na defesa. E por mais que a DL seja forte, são os LBs quem seguram o ritmo da defesa, deixando os DLs no 4-3 livres para perseguirem o QB adversário. Se não existir essa segurança, os DEs ficam na dúvida entre pressionar ou marcar TEs, RB e WRs e o QB adversário vai deitar e rolar contra a secundária.

Esperar para ver o que o front office vai fazer. Mas eu já não acredito mais em, sequer, 9 vitórias este ano.

domingo, 6 de agosto de 2017

Afinal de contas, o que podemos esperar dessa temporada 2017?

Adam Gase terá que se provar para seguir vencendo...
As manchetes e o desespero dos torcedores são ou não muito exageradas quanto à contusão de Ryan Tannehill?? Eu acredito que sim porque não estamos de um time Super Bowl Contender e, muito menos, de um QB Top Five. No primeiro caso o time não tem OL, LB e Secundária para ser Contender ao Super Bowl e o QB nunca foi - e nunca será - sequer um Top 10. Por isso eu acho que as análises são fora do contexto, porque fica parecendo que com a saída de Tannehill o time sai da categoria de excelente para porcaria. E isso não é verdade...

Tannehill não é sequer o melhor jogador do ataque do Miami. Na frente dele existem, fora de ordem: Mike Pouncey, Jarvis Landry e Jay Ajayi. Ele no máximo seria colocado no mesmo patamar do RB, mas com certeza absoluta está atrás dos outros 2. E isso é fato, não questão de gosto. Se ampliarmos para o elenco inteiro, ainda teríamos Ndamukong Suh, Cameron Wake e Reshad Jones, novamente sem qualquer ordem. Sendo assim, Tannehill seria no máximo o sexto ou sétimo melhor jogador do elenco. Como pode, então, a saída de alguém assim gerar tantas notícias exasperadas?

Claro que chegamos ao ponto que na NFL atual, a posição de QB é a mais importante. A liga é hoje uma liga de passes, onde o jogo aéreo é o que faz times campeões. Tempos como os que Trent Dilfer foi campeão de Super Bowl estão cada vez mais distantes. Ter um excelente jogo corrido com um QB meia-boca não tem dado em nada mais do que presenças na post-season, mas com vida curta. Super Bowl é quase sem chance. Tannehill chama a atenção por jogar onde joga ( uma franquia de passado vitorioso e com 2 QBs HOF ) e por ser o menos ruim de uma lista de 18 QBs desde que Dan Marino se aposentou.

Mas sem Tannehill ( e com Cutler ) pode ir até onde nesta temporada? A rigor, onde poderia ir com Tannehill. Ou não. Tudo depende dos outros setores, o que já seria o caso com Tannehill. Poucos tem observado que a OL está com problemas ( Ted Larsen rompeu biceps e Asiata está decepcionando ) e que os LBs seguem como o pior setor coletivo do time ( McMillan tem jogado na segunda equipe ). Sem boas atuações destes setores, o Miami não vai longe na temporada. A segunda metade é bem dura e acumular vitórias na primeira metade ( algo com 6-2 ) para ficar com 4-4 na segunda metade ( teremos duas derrotas praticamente certas contra o Pats ).

Matt Morre deve ser o Starter na primeira semana, mas se vai ficar como Starter é outro papo. Cutler será uma sombra e vai sempre pressionar toda vez que o Moore errar. É o correto fazer isso? Sim e não. Sim porque se Moore não for bem, teremos alguém com "qualidade" para colocar no lugar. Não porque ele ficará inseguro e, convenhamos, segurança já não é o ponto forte dele. 

O time pode conseguir 10 vitórias tanto com Moore ou com Cutler, desde que Jay Ajayi possa superar a marca das 1,6 mil jardas ( e para isso precisaremos que a OL seja Top Five ), que a Secundária consiga grandes atuações e os LBs fiquem entre os 10 melhores setores da NFL. Alguém ai acredita nisso? Porque eu não acredito... Adam Gase precisa superar todas as expectativas quanto à sua capacidade de "mago dos QBs". Se vai conseguir ou não, é 

Mas se, e apenas se, tudo der certo poderemos jogar em Janeiro. Mas que não me perguntem o que acontecerá caso cheguemos lá, porque ai é querer demais. 

Jay Cutler assina por uma temporada...

Cutler e Gase tiveram um bom ano em Chicago...
Existem várias maneiras de enxergar a contratação de Jay Cutler ( um ano e 10 milhões, podendo chegar em 13 milhões com incentivos ) mas nenhuma delas é boa ou - no máximo - alvissareira. O que mais ouviremos durante as transmissões da ESPN e nos Blogs é que Adam Gase é o mago dos QBs e que teve extraiu de Cutler o melhor ano dele em 2015. Muito por causa disso, ele foi contratado por nós em 2016. E é por isso que o Front Office está virando às costas para Colin Kaepernick, que seria uma opção bem melhor do que Cutler.

Tem também a versão de que ele teria uma adaptação mais fácil do que qualquer outro e a de que ele na verdade seria a melhor opção dentre as disponíveis, fora de uma troca, é claro. Eu não me animo nem um pouco com essa contratação, porque ela não traz nada de diferente ao que já temos com Moore. Acredito que Kaep seria melhor, por trazer algo que o elenco não tem hoje. Mas isso agora não adianta mais, até porque estivemos perto ( ou fomos ) de ser rejeitados por um QB aposentado!!!

Agora é esperar para ver o que isso causará no elenco e como essa contratação impactará Matt Moore, uma vez que o contrato dele é menos da metade do que receberá Cutler. E se Cutler realmente terá desempenho adequado ou será apenas um cara que vai ganhar uma montanha de dinheiro.

Sobre Ryan Tannehill não existem informações oficiais, mas pagar tanto para Cutler deve indicar que ele passará por cirurgia. E que, talvez, nunca mais volta a atuar em alto nível. Poucos QBs conseguiram isso na carreira. Isso sem lembrar que Ryan Tannehill jamais atuou em alto nível...

sábado, 5 de agosto de 2017

Jason Taylor agora é um imortal da NFL




Jason Taylor é o meu jogador favorito de todos os tempos depois da "lenda" Dan Marino. Ele jogou 13 temporadas com os Dolphins, foi selecionado num terceiro round em 1996. Ter atuado pelo Jets poderia ser uma mancha, mas quem liga? Ele é o sexto maior sackador da Liga e é o único jogador dos Dolphins a ser eleito DPOY, em 2006. Ele também é o jogador com mais sacks ante Tom Brady e um 2 únicos defensores a terem mais vitórias do que derrotas contra ele. 

Desde o Super Bowl deste ano que ele é um Imortal. Faltava, contudo, a inclusão em Canton, Ohio. E claro, receber a cobiçada jaqueta dourada e o busto. Agora não falta mais e ele é imortal para toda a NFL. Para nós ele já era bem antes de parar ( primeira imagem deste post ), mas o fato dele ter entrado na primeira temporada elegível apenas reforça o monstro que ele foi em campo. 

Vou deixar para vocês identificarem quem vem a ser o jogador ao lado de Taylor. Ele está entre os meus 10 jogadores favoritos e jogou vários anos com Taylor. Quem consegue descobrir sem usar o Google??