segunda-feira, 5 de março de 2018

Front Office deve achar o que nosso time é muito forte para fazer o que tem feito recentemente





Entra ano e sai ano e tudo segue na mesma em Miami: nada de bom acontece. Até mesmo nas  - raríssimas - temporadas em que conseguimos quebrar a barreira da mediocridade e chegar na post-season, nada de bom se sustenta. Em 2008 era um jogo corrido eficiente, que desapareceu nas temporadas seguintes e em 2016 a figura de Jay Ajayi, doado aos Eagles em um dos piores negócios recentes da NFL.

Escolhas de Drafts assustadoramente ruins, muitas da quais nem sequer viram titulares ou quando viram é por falta de alguém melhor no lugar, somam-se a negócios desastrosos na Free Agency. Acrescente a isso conceder contratos insanos a jogadores medianos como Andrew Branch, Kenny Stills e Ryan Tannehill... e por fim o não reconhecimento a talentos de verdade que deixam o time de graça ( Olivier Vernon, Lamar Miller e agora Jarvis Landry ). 

A mediocridade é assustadora em Miami e, infelizmente, parece desconhecer quaisquer limites. Nada e nem ninguém impede que os erros sigam sendo cometidos. Como pode Mike Tannenbaum seguir como Vice-Presidente de Operações após tantos erros? Só pelo erro imperdoável na condução no caso Jarvis Landry deveria render uma demissão. Ele errou de todas as formas possíveis e imagináveis. Estamos deixando um All-Star sair da pior e mais vexaminosa maneira. É como se ele fosse um câncer dentro do time, do elenco... mas ele JAMAIS reclamou. Jogou a temporada de 2017 com o mesmo empenho e dedicação das anteriores. Deu o máximo de si e foi recompensado em campo como um dos destaques da temporada. Mas pelo Front Office...

Fica parecendo, como coloquei no tópico, que temos uma equipe muito forte, que com 2 ou 3 reforços no Draft vai jogar o Super Bowl. Porque só assim para entender como doamos nossos melhores talentos ( Ajayi e Landry ) e trazemos como reforço um DE ( bom, mas não crucial ) que ocupa 11mi no Salary Cap. Que hoje é de -8mi. Sinceramente, não dá para entender...

O time não tem OL, não tem TE, não tem LB e muito menos tem QB ( e eu acho que não temos RB também, se quiserem saber ). Como disse em outros posts,, para cobrir estes buracos ( sem falar que para mim nossa secundária é bem mais ou menos ), o time precisaria de 10 reforços de bom/alto/excelente nível. Pelo menos de 4 All-Star: 1 LB, 1TE, 1OT e 1QB. Isso para sair de fiasco para um time bom. Se quisermos entrar no Hall de Super Contenders, ai ao menos o dobro seria necessário.

Ao que parece o plano para 2018 está 100% focado na volta de Ryan Tannehill. Vou repetir: a contusão dele é séria e de cada 10 QBs que a sofreram - em média - apenas 3 voltam jogando como antes e apenas um destes volta melhor. Como o MELHOR dele já não era suficiente, apostar tudo nele é um erro sem tamanho. Mas um erro comum aos Dolphins. Lembrando que ele receberá nada menos que 19,8mi este ano. No post seguinte tratarei do erros cometidos com o Cap. Abaixo, a lista dos maiores salários dos Dolphins atualmente:


Notem atentamente dentre estes nomes, quantos de fato merecem o contrato que possuem e faça uma reflexão. Um dado: Kenny Stills receberá quase 10mi e o time não quer pagar 12 para Landry...

Nenhum comentário: