sexta-feira, 27 de abril de 2018

Análise da Pick: Minkah Fitzpatrick

Por essa escolha ninguém esperava...
Apontei em alguns textos, e por alguns anos, que o Miami Dolphins não tinha um plano no Draft. Pra mim segue sem um, mas ao menos agora criou uma tendência: escolher o BPA ( best player avaliable ou em bom português o melhor jogador disponível ). Minkah Fitzpatrick era, contestavelmente, o melhor prospecto na boar na 11ª escolha. Por mais que você geste Tremaine Edmunds, ele não é BPA mais valioso sobre Fitzpatrick. O que não quer dizer que se o time o tivesse escolhido seria um erro e eu aqui estaria criticando a pick, pelo contrário. Mas existe uma clara sinalização dada pelos Dolphins desde 2016: é BPA e o resto se resolve depois.

Falarei ainda hoje sobre este possível depois, mas agora é hora de tecer alguns comentários sobre a escolha. O principal deles é que Fitzpatrick tem capacidade para elevar o nível do setor. E quando você atua duas vezes contra Tom Brady por ano isso tem seu valor. Nossa DL perdeu força, mas ainda é boa o suficiente para pressionar o QB. Faltam LBs, mas ainda temos mais 7 picks neste draft, isso sem Trades. Fitzpatrick é cara que chega e os OCs terão alterar seus planos, porque ele tem instintos e capacidade suficientes para negar recepções, corridas e - sobretudo - TDs aos adversários.

Ele e Jones formam, desde já, uma dupla de sonhos. Juventude e experiência que se completam num segundo nível da defesa que pode virar mítico. Teremos 2 ou 3 anos de alto/bom nível de Jones, com ele ensinando muito ao agora companheiro. Isso é vita e é o que queremos/desejamos que acontecesse com Charles Harris. Foi uma baita escolha e ainda existem LBs que podem ajudar bastante o setor, disponíveis na board. Um deles, com certeza, será escolhido.

O primeiro round foi louco, com uma corrida desenfreada por Centers ( !!! ), Defensive Tackles e Linebackers. Mas o caminho para um ótimo draft foi pavimentado com a escolha de Fitzpatrick. Se ele irá ou não ser um líder em campo, como em todo rookie, só o tempo dirá. Mas como análises são prévias, eu estou feliz com a escolha. Pena que as inúteis vitórias de sempre nos fizeram perder um QB promissor e que Cardinals e Bills venderam quase a alma para nos impedir de conseguir isso.

Mas Fitzpatrick é um Dolphins agora. E isso é uma boa notícia...

Nenhum comentário: