domingo, 27 de maio de 2018

Perfil do Escolhido: Minkah Fitzpatrick

Ele tende a ser All-Star... tomara que vingue mesmo.
O Miami Dolphins tem contado com um pouco de sorte recentemente nos drafts para conseguir atletas de alto valor em picks fora da ordem natural. Em 2016 foi assim com o OT Laremy Tunsil. Agora em 2018 foi a vez de Minkah Fitzpatrick, Safety de Alabama. Ele era cotado para Top 5 no Draft, mas sobrou para nos na 11ª pick. Assim com Tunsil só temos a ganhar com ele no elenco, mas ao contrário do Tackle de Ole Miss, Fitzpatrick não caiu por motivos extracampo, pelo contrário. Ele é o que podemos chamar de atleta modelo, que não se mete em confusões. E que dá a alma em campo.

Assim sendo, vejamos o que pode ser dito do novo xerife da defesa:

Nome: Minkah Fitzpatrick - Idade: 21 anos ( 17/11/1996 )
Altura: 1,85m - Peso: 93kg - Universidade: Alabama - Classe: Junior

Visão geral

Fitzpatrick aumenta o nível de intensidade tão alto quanto possível. Ele tem experiência atuando Nickel Cornerback, mas provavelmente será usado como Safety, podendo ser usado como linebacker em situações específicas do jogo. Fitzpatrick brilhou constantemente desde sua primeira temporada em Alabama, o que o fez ser uma das estrelas do Draft. Sua versatilidade, caráter e desejo de sucesso devem torná-lo um bom Starter.

Ponto Positivos
  • Competitivo, com uma história de brilhar em grandes partidas;
  • Versátil com experiência em atuar em quase todo o campo: pode entrar e cobrir o slot, jogar como Safety ou ainda atuar como Nickel;
  • Bom footwork, que lhe permite mudar de direção com grande agilidade;
  • Ótima visão na marcação mano a mano e atua em alto nível na marcação em zona;
  • Tem nove interceptações na carreira, com quatro pick-six;
  • Não se intimida com os fortes Tackles;
  • Consegue realizar Blitz;
  • Era um destaque nos time especiais em Alabama, mas não deve atuar assim em Miami.
Pontos Negativos
  • Tem deficiência na cobertura, o que não o permitirá atuar com CB em tempo integral;
  • Permite separação por confiar na sua capacidade;
  • Seus instintos são bons, mas precisa melhorá-los para atuar no fundo do campo;
  • Por vezes é afoito demais.
Notas - A maioria dos jogadores dos Crimson Tide, não importa o tamanho do talento, ficam no banco no primeiro ano em Alabama, muitos até no segundo ano. Fitzpatrick entrou em campo imediatamente em 2015, começando 10 partidas. Jogou tão bem que terminou ganhando o prémio de Freshman All-American e Freshman All-SEC depois de conseguir 45 tackles ( três para perda ). Em 2016 mudou-se para Safety quando o veterano Eddie Jackson se machucou. O resultado? Ele liderou a equipe com 6 interceptações ( 186 jardas em retorno destas ), 2 pick-six para estabelecer o recorde de carreira escolar com 4. Ele foi nomeado para o primeiro time All-American ao conseguir 66 tackles e 5 TFL.

Nenhum comentário: