segunda-feira, 23 de julho de 2018

Nossa Defesa pode ser Top Ten na temporada?

Temos bons nomes. mas isso forma uma grande unidade??
Rober Quinn, Jordan Phillips, Akeem Spence e Cameron Wake na Linha Defensiva.
Jerome Baker, Kiko Alonso e Raekwon Mcmillan de Linebackers.
Xavien Howard, Cordrea Tankersly, Reshad Jones e Minkah FitzPatrick na secundária.

Olhando assim, tirante um outro nome, parece um setor capaz de torna-se temido na NFL. Este grupo consegue unir explosão, experiência e qualidade em boas doses. São bons jogadores, com alguns bons jogadores reservas, mesmo que apenas na DL. Mas existem problemas: eu mesmo não confio do Coordenador Defensivo, Matt Burke. Outro ponto é quanto aos CBs, mesmo que a entrada de Fitzpatrick tenha tudo para melhorá-lo. Mas no fim, o maior problema nem está no setor.

Está no ataque. Na NFL atual os grandes ataques ( e iremos enfrentar alguns este ano ) marcam com regularidade acima dos 20 pontos. Algo que o nosso - falarei dele amanhã - passa longe de ser capaz de marcar. Então quando entrarmos numa batalha defensiva, nosso ataque fará ou não toda a diferença. Ficar descansando fora de campo é a melhor forma de uma Defesa ser Top. Se ela fica em campo muito tempo, o desempenho decairá e até mesmo um ataque mediano será capaz aproveitar o cansaço do setor.

Sobre as peças, eu lamento que não tenhamos melhores LBs. Passados tantos anos o setor segue sendo nem frágil, para ser polido. Dependemos de um LB esforçado ( Alonso ), e - na prática - 2 rookies ( McMillan e Baker ), Se os titulares não são uma brastemp, imaginem os reservas. O setor carece de mais peças e infelizmente não as teremos mais este ano. É, seguramente, o calo do setor.

O ponto forte é a DL, que já era assim nos últimos anos. Cameron Wake segue superando a barreira do tempo e tem tudo para fazer outra grande temporada. Do lado oposto temos o grande reforço do FA na defesa: Robert Quinn adquirido numa trade com o LA Rams. É ótimo, forte e vai firme no QB adversário. No banco temos o contestado Andrew Branch e o rookie que praticamente nada fez ano passado, Charles Harris.  Pelo meio temos o maior desfalque: Nadmukong Suh, cortado. Para o seu lugar veio Akeem Spence adquirido junto aos Lions por uma escolha de sétima rodada. Além dele temos Jordan Phillips que cresceu ano passado e pode seguir progredindo agora em 2018. Ainda contamos com boa reposição em Davon Goudchaux e Vicent Taylor, escolhidos no draft do ano passado. 

Entre os membros da secundária, temos  tudo para ter um grande salto de qualidade. O time já contava com um All-Star em Reshad Jones e agora conseguiu outro grande jogador em Minkah Fitzpatrick. Uma rara combinação de força, talento, experiência e juventude se encontra nesta dupla. TJ Mcdonald é um bom reserva. Os CBs titulares não são do meu total agrado, mas evoluíram bem atuando juntos ano passado. Xavien Howard ainda comete faltas demais e arrisca demais, cometendo erros grosseiros até, mas deve amadurecer agora. Ao seu lado temos Cordrea Tankerly que era rookie e cometeu erros naturais de rookie e dele se espera mais nesta temporada. Temos Cornell Asmonstrog é aposta vinda deste draft e Walt Ainkens e Tonny Lippett cumprem bem o papel de reservas com boa qualidade.

Se o ataque ajudar, este setor tem como virar Top Ten, respondendo a pergunta do tópico. Mas este se não é que atrapalha...

Nenhum comentário: