sábado, 12 de maio de 2018

Estamos melhores ou piores do que um ano atrás??

Para alguns, o ataque está bem melhor... estamos?

Um debate deu-se na Net: alguns, sabe-se lá porque, acreditam que estamos melhores do que no ano passado. Sinceramente, eu não sei como. Antes de falarmos sobre porque eu considero que não estamos melhores, um ponto fundamental: a comparação não é como terminamos a temporada e sim como estávamos exatamente um ano atrás, no pós-draft. Porque de forma até desonesta, eu tive que ouvir: se com Cutler o time venceu 6 partidas... Pois é, isso é deturpar a situação para validar a sua "opinião". Dividirei em duas análises por tópicos, ataque e defesa. Vamos aos argumentos:

ATAQUE:
  • Quarterback - Exatamente um ano atrás existia um debate interessante: Tannehill voltaria jogando no seu melhor nível depois da contusão sofrida contra os Cardinals? Passado um ano, a indefinição é maior, porque agora ele está voltando de uma cirurgia, onde raríssimos jogadores voltaram jogando melhor, sendo que poucos voltaram jogando o mesmo de antes. E como o antes de Tannehill não já não servia para os Dolphins. Imagina, se acontecer com ele o que acontece com a imensa maioria, que volta é jogando pior?
  • Runningback - Aqui eu sou seco: estamos piores. O Ajayi de um ano atrás era aquele que conseguira uma ótima temporada, sem o qual jamais teríamos ido a post-season. Agora não o temos e por mais que Drake venha a ser melhor, não tem como estarmos melhor es do que antes. Ao menos temos um rookie em quem depositar maiores esperanças. Mas não é o suficiente.
  • Tight Ends - Único ponto onde acredito que possamos ter avançado em relação ao ano passado. Não que eu esteja jogando no colo de 2 rookies transformar o setor, até porque por melhor que eles sejam eles ainda são apenas o que são: rookies. E depende do QB. Mas, não posso negar que exista uma perspectiva de melhora.
  • Wide Receivers - Acho que só o fato da saída de um All-Star encerre o assunto. Ou algum doido ai é capaz de falar que não pioramos de maneira drástica com a saída do melhor recebedor de Slot da NFL?? A saída de Jarvis Landry, talvez NUNCA seja reparada. 
  • Linha Ofensiva - Comecemos pelo óbvio: contratar via trade um Center caro e que jogava em uma das piores OLs da NFL não repõe a saída de um All-Star, como Mike Pouncey. Mesmo ele tendo convivido com problemas de contusão. Se somarmos o fato de que o RT seguirá Ja'Wuan James ( péssimo ), que o LT Laremy Tunsil ficou devendo ano passado e que os Guards não inspiram super confiança, podemos dizer que, no máximo, a expectativa é a mesma. No máximo.
DEFESA
  • Linha Defensiva - Perder um All-Star vai cobrar seu preço. Trazer um DT dos Lions porque tem "relações" com o atual Coach também. É apostar nos jovens do setor, que são bons, mas talvez não o bastante. Se fosse só isso... o time draftou Charles Harris e um ano atrás ele era a apostar elevar o nível do setor, mas ele quase nem jogou. Lindo, não? Pois, o time assumiu o possível erro e contratou via trade Robert Quinn, dos Rams ( que por sinal assinou com Suh ). Não me parece uma boa receita, mas enfim serve para que possamos entender que se não melhorou, ao menos a perca deve ser pequena. Sem falar que Cameron Wake não é eterno, infelizmente.
  • Linebackers - Ah, o setor... era um dos piores do ano passado e assim segue. Ano passado o time tinha seus problemas e eles não melhoraram muito. E um detalhe: não pode-se apontar o "rookie" Raekwon McMillan, pois ele estava no elenco ano passado. O único reforço do setor é Jerome Baker, que passa longe de ser uma brastemp. Ano passado o time também apostava na contratação de Lawrence Timmons, que não deu certo. Então, estamos piores.
  • Secundária - Talvez tenhamos trocado o All-Star da DL por um Safety. Talvez, porque é um rookie, que pode ser all-star, pode demorar 2 ou 3 anos para render em alto ou ainda ser um bust. E só esta expectativa coloca o setor em viés positivo. Reshad Jones será usado de forma melhor e terá descanso salutar este ano, o que pode estender sua carreira. Entre os CBs, Howard e Tankersly não são os jogadores dos meus sonhos, mas podem melhorar este ano e formar uma boa dupla. O setor está sim mais forte, mas não nos esqueçamos que é uma expectativa focada em um rookie.
Façam as contas e decidam se estamos melhores ou não com relação a 365 dias atrás... para mim, resta provado que não.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Perfil dos escolhidos: Quentin Polling

Um LB em fim de feira pode trazer surpresas...
Não vejo sentido de fazer um perfil de Kicker, que tende a nem ficar entre os 53 da temporada. Assim pulo Jason Sanders e vou direto para a pick anterior a ele: o LB de Ohio, Quentin Polling. Vamos ao perfil:

Nome: Quentin Polling - Idade: 23 anos ( 17/08/1994 ) 
Altura: 1,83m - Peso: 106,5kg - Universidade: Ohio - Classe: Sênior

Pontos Positivos:

  • Obteve bons números no Combine, o que demonstra sua força física excelente;
  • Tem mãos grandes e boa flexibilidade.
  • Boa produção na carreira, que incluem 43,5 tackles para perda de jardas, 18 sacks e 7 interceptações. 
  • Treinadores amam sua inteligência em campo e sua capacidade em realizar as chamadas defensivas. 
  • Obtém bons movimentos iniciais quando na cobertura em e tem capacidade de lidar com a cobertura individual.
Pontos Fracos: 

  • Devido a força, sua velocidade é um problema;
  • Tem problemas na marcação do jogo corrido, com uma resposta tardia;
  • Seus números de tackles tem um alto índice de tackles ajudando companheiros;
  • Tem muito o que evoluir na mecânica contra os homens da OL, não conseguindo livrar-se dele e na NFL os OLs são bem melhores do que NCAA
  • Total de tackles perdidos é um pouco altos. 
Visão Geral - Como eu disse no dia do Draft, aqui não podemos exigir que chegue um jogador pronto para comandar o setor. Se ele fosse um destes, não seria escolhido no sétimo round, é claro. Ele tem problemas sérios na mecânica, sendo tipo um touro doido que vai pra cima e pronto. Contra os Tackles da NCAA muitas vezes dá certo, mas na NFL... justamente por isso ele deve ser usada na NFL em situações bem específicas, ficando mais no time de especialistas, onde sua força será bem útil desde o começo. Boa aposta no fim do draft e que pode dar certo. E se der, já será excelente...