terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Pílulas ( do fiasco ) do dia seguinte: Apenas salvem meu Miami, por favor!!!

A cara de Dan Marino diz tudo sobre este Miami
Quando Ryan Tannehill lançou um pato morto e este virou um TD de defesa dos Jaguars, a imagem acima foi tirada. O grande Dan Marino, o melhor jogador da outrora grandiosa história da franquia, parece não acreditar no que via. Ele, que segue pra mim, o melhor QB da História da NFL deve ter soltado um "putz". Ele, ninguém duvida, entende do assunto.

Os outros na foto são pessoas que tem poder de comando, mas são totalmente incompetentes nisso. Um não sabe nada do esporte e delega a um bando de incapazes as decisões dentro da franquia. Assim, desta maneira, o time não tem uma linha de comando clara. Tratarei disso depois, mas é um dos motivos da mesmice recente em Miami. Mas existem outros.

Eu disse neste espaço a algum tempo que quando contrataram Adam Gase não pediram a ele um ataque eficiente, mas sim que consertasse o QB torto que o time escolhera em 2012. Sim, Adam Gase veio para tornar Ryan Tannehil numa estrela. Contratações assim não podem dar certo. E não deu. Depois Gase, ao lado de Tannenbaum, acumularam erros e mais erros nestes 3 anos. Todos bem conhecidos, mas posso citar alguns piores: não melhora da OL, troca dos WRs, doação de estrelas ( Ajayi e Landry ), não draftar bons LBs, péssima gestão de CAP e, uma péssima primeira impressão ao gastar 3 picks para draftar Leonte Carroo. Dentre outros.

No domingo a equipe desnudou que é extremamente mal treinada, ao ser engolida aos poucos pelo limitado Jaguars, que alternou entre 2 QBs horríveis e mesmo assim parecia uma grande unidade. A defesa deles simplesmente trucidou o nosso ataque, que só foi capaz de marcar 7 pontos. Apenas SETE. Se lembrarmos que foram apenas 10 contra os Vikings... é surreal a mediocridade nesta franquia. E não vemos ninguém  chutar o pau da barraca.  Vemos é Coach e QB rirem após derrotas assim. Falta vontade de vencer!!!! 

O que fazer? Renovação total. Do zero. Poucos podem ficar além dos rookies e que ainda estejam em contrato de novato. Dos que não se enquadram nesta lista, corte em quase todos. E tentar, mais uma vez, encontrar alguém que salve a franquia. Quem? Talvez ele esteja na foto. Sim, Dan Marino. Eu colocaria ele pra ser qualquer coisa dentro da franquia. Talvez seja a última esperança.

Sobre a partida, o que dizer? No fim, vencer não serviria de nada. Mas era obrigação vencer. Mas é o Miami, que não - reitero - é uma franquia da NFL. Sorte nossa que não tem rebaixamento. Porque se tivesse...

domingo, 23 de dezembro de 2018

Que Miami é esse, meu irmão(2)??

Ah como eu adoraria que Marino fosse eterno...
Serei curto e grosso: Miami não é um time de Futebol Americano. Miami joga em outro esporte, porque tudo que fazem é errado e/ou ao contrário. Times precisam de bons jogadores. Miami quase não os tem. Times precisam ser bem treinados. Miami não o é. Times precisam de um Front Office eficiente. O do Miami é um dos piores.

Porque só isso explica o que time fez nas últimas duas partidas: tomar 58 pontos de dois péssimos ataques e marcar apenas 17 pontos. Sim, apenas 17 porque os outros sete foram conseguidos por uma pick six de Minkah Fitzpatrick. Em suma, coisa pra lá de patética. E isso porque uns cegos/doidos falaram que éramos favoritos na partida de hoje. Este Miami não é favorito contra ninguém. Não tem time não merece esta condição.

Sobre a partida, o que dizer? Sinceramente, nada. Tomar 17x07 de um time que teve uma quarta para 46!!!! é o fim da picada. Espero, de coração, que tudo se refeito a partir de 2019: corte de Tannehill, demissão de Gase e de Tannenbaum. Só não peço outro dono porque isso não vai rolar. Enfim, estou bem puto com esta franquia. Mas faz tempo que estou assim e não tenho a menor esperança de que mude no curto prazo.

Mas existem os cegos que acham que está tudo bem. A estes, eu apenas deixo uma sonora gargalhada.