terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Temos um Novo ( nem tanto ) General Manager, mas o que esperar dele?

Será se agora vai?
Serei mais franco com todos vocês: eu não estou animado com esta nova reconstrução. Todas as outras deram errado, então porque esta em especial dará certo? Não consigo apostar minhas fichas nesta reconstrução em especial. Por mais que Chris Grier virando o manda-chuva faça sentido, são as ações a partir de agora é que complica. E elas passam muito além de contratar um bom Coach e ter bons Coordenadores. Envolve outras nuanças além de escolher bem no draft ou não realizar "deslizes" na Free Agency.

Criar uma mentalidade vencedora numa franquia acostumada a fazer 8-8 em quase todos os anos desde 1994 ( a franquia está 199-201 desde então ) é muito mais complicado do que num time que vivia dias de glórias em 2012 e passou 5 anos patinando. Estamos a mais de duas décadas perdidos no tempo. Sem ir sequer a uma final de AFC. Neste tempos os Jaguars, sim o Jacksonville, foi a duas. Os Raiders jogaram Super Bowl. Ou se preferir, os Cardinals quase venceram um. De 2000 para cá vencemos uma partida de post-season e só estivemos lá 4 vezes. E nada, absolutamente nada, aponta que estaremos no Hard Rock Stadium jogando o Super Bowl 54.

Temos talentos no elenco, mas o melhor setor talvez seja a Secundária. E mesmo ele tem buracos, onde falta um CB#2. A DL, que a três anos era motivo de extremo orgulho, hoje é um dos maiores problemas. Uma surpresa é que, passados 7 anos desde 2012, a OL segue sendo um problema. O time precisa de um QB. Falta um LB dominante, um TE também. Como resolver estes problemas em um Draft? Não tem como. Por isso a fala de Ross que o time agora não terá pressa. Resta ver o quanto isso é verdade mesmo ou apenas palavras para cativar bons candidatos para Head Coach e Coordenadores. 

Hoje, primeiro dia de 2019, o pensamento é: o time precisa de defesa. Um DT/DE/OLB é prioridade zero. A classe do ano que vem é ruim de QBs e eu só arriscaria em um no meio do draft. Ah, e Tannehill? Na entrevista de ontem ele foi citado como homem do elenco, não com esteio da reconstrução. O que isso quer dizer? Que não querem avisar que ele será cortado, porque creio que queiram trocá-lo conseguindo assim alguma pick. 

E essa já é uma grande notícia. Porque eu me orgulho demais de NUNCA ter-me enganado com ele. Fui contra antes dele sequer ser draftado. E o tempo deu-me razão. Infelizmente, diga-se de passagem.

Nenhum comentário: