domingo, 19 de novembro de 2017

Week 11: Buccs 30 x 20 Dolphins - Show de horrores em Miami

Todos parecem grandes times contra nós...

Não, eu não vi a partida. E não perdi muita coisa, com certeza. No segundo quarto tudo deu errado, o time tomou 17 pontos num apagão pavoroso, segundo relatos. Perdemos e agora o time tem 4-6. Se existiam chances remotas de classificação para a post-season, elas não existem mais. Faltam 6 partidas e duas derrotas são mais do que certas, serão surras, contra os Pats. Portanto, o máximo que será possível fazer é um 8-8. Nem preciso dizer que por mim, seriam só derrotas de agora em diante...

Jay Cutler foi, digamos assim, bem ruim na partida. Saiu, oficialmente, por conta de uma suspeita de concussão, mas... acho que ele sairia de todo jeito. Matt Moore entrou, contou com um esforço da defesa no quarto período e... num fogo na bomba ele conseguiu empatar a partida em 20 pontos. Ai a defesa entregou a rapadura num drive final do Buccs e eles fizeram 23x20. 

Poderia ter acabado ai... mas é o Dolphins, não se esqueçam e na tentativa desesperada de vencer a partida veio um fumble e o Buccs, já com o cronometro parado, marcaram mais  um touchdown para elevar o placar 30x20... Patético é pouco para definir isso... Nada funcionou direito neste time hoje, mas as discussões seguirão acaloradas no futuro do time.

Adam Gase está com seus dias contados em Miami e suas escolhas terríveis, dentre as quais contratar Jay Cutler, trocar Jay Ajayi sem motivos e não ter investido em um QB no draft em suas oportunidades. Resta saber se Stephen Ross vai cometer o mesmo erro que fez mantendo além do necessário Tony Sparano ( 2008-2011 ) e Joe Philbin ( 2012-2015 ). É preciso tomar uma decisão rapidamente e a zorra que está sendo esta temporada não deixa espaço para outra atitude. Mandar ele embora e arrumar um outro QB, porque é claro que Ryan Tannehill não vai dar opção.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Week 10: Dolphins 21 x 45 Panthers - Mais um massacre em horário nobre...

Esses 2 mereciam coisa melhor...
O que dizer depois de mais uma vez termos passado vergonha em horário nobre? Que era o esperado por causa da ? Que infelizmente sabemos que vai voltar a acontecer nos anos vindouros? Que no ano que vem com um Draft e uma free agency resolveremos o problema?

Acredite quem quiser, naquilo que quiser acreditar, mas sinceramente eu não aguento mais. Quantos anos mais de mediocridades precisaremos passar para que finalmente tenhamos ao menos dignidade? Será que não importa trocar de técnico, general manager, de proprietário... nada altera a ruindade instalada em Miami? Será que precisaremos trocar de... time? Sinceramente é o que falta...

Sobre a partida em si, alguém ai viu melhoras no time desde o massacre sofrido para os Ravens? Aliás, alguém ai já conseguiu entender a troca de Jay Ajayi? Tipo, com a troca era de esperar que Adam Gase, o mago dos ataques, fizesse o setor sair do lugar não? Pois bem, foram 45 pontos é verdade nas duas partidas, mas metade disto quando o jogo já estava perdido, no chamado Garbage Time...

O ataque do Miami Dolphins ou é o pior da NFL ou um dos 3 piores em todas as categorias. Só temos uma coisa boa: aproveitamento na Red Zone. Então qual é o problema? Simples: enquanto time vencedores chegam 5 ou 6 vezes na Red Zone por partida, nós chegamos 2. Chegar lá é o problema. E mais uma vez o Garbage Time aparece: o aproveitamento é o melhor da NFL quando o time está perdendo por 2 posses no quarto final da partida. Assustador. 

A defesa não tem como render em alto nível se o ataque não produz. E na segunda... bom, até que o ataque foi bem, mas ai Jay Cutler lançou uma interceptação tosca ao extremo. Alguns apontarão que Ryan Tannehill voltará em 2018... mas, a questão é: ele vai voltar como era a antes da cirurgia? E o Tannehill de antes da cirurgia mudaria este time no Contender que almejamos? Eu tenho certeza que não. Mas hoje não falaremos dele. Hoje não...

Perder em Charlotte estava nas minhas contas, porque o Panthers é um time melhor. Mas eu, sabe-se lá porque, esperava que numa empolgação de uma campanha positiva ( 7-2 em sonhos delirantes ), a equipe conseguisse equilibrar e quem sabe até mesmo vencer a partida. Mas com 4-4 e vindo de massacres... foi aquilo que ( não ) se viu em campo. Patético, bizarro e humilhante. A próxima partida é contra os Buccs, que é um adversário contra o qual jogaríamos na Semana 1, mas por causa do furacão irma foi remarcada a nossa semana de bye.

Sobre o jogo, pouca coisa a dizer. Só que não sei porque a NFL marca jogos nossos em prime-time... o resultado é sempre o mesmo. Depois eu ainda posso fazer uma análise de atuações. Mas como mostra a foto que ilustra este post, Cameron Wake Ndamukong Suh mereciam mais do que este time atual em que jogam. Assim como outros, dentre eles DeVante Parker e Jarvis Landry.

domingo, 12 de novembro de 2017

Prêmios de Meio de Temporada...

Cameron Wake é sempre uma aposta segura...
A temporada está na metade. Estamos exatamente com .500 de aproveitamento com 4-4. E os problemas do time atual parecem nem terem sido atualizados: OL, QB, RB, LBs e DBs... escapam apenas a DL e os WRs, exatamente como na temporada anterior. Portanto, tirar ganhadores de prêmios sempre é complicado, mas sabem como é temos que nos esforçar e retirar os melhores dentre as perebas que infestam o time.

Assim sendo, vamos aos nomes dos que para mim, são os melhores e até mesmo os piores que mereceram os prêmios:
  • MVP - Cameron Wake. Wakezilla é o cara deste time. Aos 35 anos ele segue como um dos destaques do time e também da NFL. Sempre doa-se 100% em cada Snap e luta até o fim da partida, pouco importando o placar. Pena que está envelhecendo e deve ficar sem um anel de campeão. A menos que troque de time, mas sua dedicação aos Dolphins é inquestionável;
  • MVP Ofensivo - Jarvis Landry e DeVante Parker. Os dois são o ponto fora da curva em drafts na história do Miami Dolphins. São bons demais para terem sido escolhidos por nós. O primeiro - sem QB que preste - quebrou o recorde de mais recepções nas primeiras 4 temporadas da história da NFL. O segundo tem feito das suas e realiza catches miraculosas. Merecem o prêmio. Infelizmente por falta de concorrência;
  • MVP Defensivo - Reshad Jones e Ndamukong Suh. Cameron Wake é o melhor do time, por isso tem que ter alguém na defesa, certo? Acontece que temos 2 jogando muito bem em Jones e Suh. São destaques de seus setores, tem produzido muito bem e destoam da mesmice que é a defesa dos Dolphins. Jones é o melhor membro de uma secundária sofrível e Suh é o esteio da DL ao lado de Wake. Não para discordar...;
  • Surpresa - Cordrea Tankersley. O rookie de Clemson tem sim feito das suas. Atua sem apoio no setor e por isso fazer as coisas bem feitas ganha projeção. Tem cometido erros naturais de um rookie, mas já é bem melhor que seu colega de posição Xavien Howard. Outra vez pela tenho que apontar o fato de a concorrência não é alta. Infelizmente;
  • Decepção - Mike Pouncey. Eu fiquei na dúvida se colocaria Xavien Howard aqui também ou se colocava Adam Gase aqui. Mas decepção é um sentimento relativo a alguém de quem esperamos muito, porque ele tem muito a dar. E neste categoria só o Center se enquadra. É decepcionante a temporada dele até aqui;
  • Troféu Abacaxi - Byron Maxwell. Conseguiu ser pior do que Xavien Howard. Precisa mais?
E ai, gostou? Concorda? Discorda de algum prêmio? Faltou alguém? Poste sua lista ai nos comentários.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Week 9: Raiders 27 x 24 Dolphins - Caindo na real...

Uma das melhores jogadas da temporada...

Antes da temporada começar, sejamos francos, 4-4 era uma aposta ousada para o Miami Dolphins no meio da temporada. Só loucos apostariam em 6-2, mas apostar em 2-6 não era surreal. Claro e evidente que na conta de todos estava varrer os Jets, mas poucos cravaram vencer na Geórgia. Levar 2 shoutouts não estava na conta, mas ter um dos piores ataques sim.

Perder pros Raiders é estranho porque me acostumara a vence-los. Até sem grandes dificuldades. Mas este Raiders de agora é melhor que os Dolphins. Bem melhor, diga-se. O time lutou, perdeu de pouco mas sejamos bem francos em afirmar que jamais demonstramos condições de vencer o Sunday Night de ontem.

Jay Cutler teve aquela que foi a sua melhor atuação com a camisa dos Dolphins, mas apenas passar a bola pro lado não ganha jogos. Ao menos dessa vez, contudo ele não errou e a culpa da derrota não pode ser creditada a ele. Jay Ajayi fez sim falta, somente porque ele é melhor do que Drake e Williams juntos. Mas o ataque conseguiu andar de uma maneira interessante, mas isso é enganador. A defesa segue sendo apenas a DL e mais nada. Os LBs e, sobretudo, a secundária foi uma draga. Xavien Howard é de uma tristeza de ver jogar. A DL pressionou e segue dando 100% em casa Snap, mas não é o suficiente.

O time não demonstra melhoras como um todo e a assustadora quantidade de faltas também não ajudam. Foi uma atuação boa? Só se usarmos como parâmetro a partida anterior. Em todo caso, é uma derrota. Mais uma derrota. E as vaias que foram ouvidas no Hard Rock Stadium são apenas o começo, caso mais derrotas venham... e eu não acredito que elas venham, porque o calendário vai ficar mais apertado agora. Iremos encarar 2 vezes Bills e sobretudo os Pats. Fazer 1-3 é o mais indicado hoje. Eu não vejo este time vencendo os Patriots. O amigo leitor consegue ver??

Agora é esperar pela partida de segunda que vem em Charlotte. Será a terceira partida em prime time e até aqui, estamos 0-2. E nada aponta que iremos evitar o 0-3.

sábado, 4 de novembro de 2017

Pensamentos diversos sobre esta semana...

Este jogador Pro-Bowler não está mais conosco...
A menos que o amigo leitor tenha viajado para um lugar sem qualquer contato com o mundo moderno, sabe que fizemos mais uma das nossas típicas ações. No caso, doar jogadores a troco de nada. A perola da vez foi trocar ( doar ) Jay Ajayi para o Philadelfia Eagles por uma inútil escolha de quarto round. Um RB com potencial para ser All-Star deveria valer, ao menos, uma escolha de segundo round.

Aqui uma divagação: os Patriots conseguiram uma escolha de segundo round com cara de primeiro ( porque os Niners ficarão entre os 5 piores times da temporada ) e nós pegamos uma escolha de quarto com cara de quinto, porque os Eagles tem todas as possibilidades de ficar entre os 5 melhores. E o jogador dos Pats não era nem Stater... e Ajayi é RB para correr consistentemente 1,5k jardas por temporada. Garapolo é uma aposta, que nunca fez nada de assombroso na liga, enquanto que Ajayi já tem feito históricos. Não é complicado saber quem vence e quem só perde há quase 20 anos...

Voltando apenas ao Miami, li um texto de Armando Salguero - trazido pelo amigo Victor no Grupo de WhatsApp do Blog, onde ele aponta que adquirimos um LB junto aos Saints. Seu nome? Stephone Anthony que até agora... não jogou nenhum snap na defesa. Apenas no time de especialistas. Valeu a pena né?

Voltemos a falar de Ajayi. Ele saiu do time porque cobrou o time após a derrota ( vergonhosa ) contra os Ravens. E um dado: sabem quantos TDs corridos marcamos este ano? ZERO. Mas é claro, é mais fácil trocar o seu RB All-Star do que fazer o ataque funcionar com as perebas escolhidas por Adam Gase.

Aliás, sobre Gase, uma pergunta: ele não será cobrado pela bagunça que o time? E o caso do ataque que não sai do lugar, vai ficar assim mesmo? E, mais, a ausência de QBs escolhidos nos drafts recentes, ninguém fala nada? Isso sem falar em termos Jay Cutler como Starter. Assombroso. Estou eu cobrando a demissão de Gase? Talvez, mas com certeza ele não merecerá continuar no cargo se o jogo corrido não melhorar sem Ajayi. Será se alguém ai aposta um real nisso? Porque eu não...

Kennyan Drake e Dammien Williams não são melhores do que Jay Ajayi. Se o fossem, ele não seria Starter. Esta troca me lembra - em diversos pontos - com a de Brandon Marshall, quando quiseram limpar o vestiário, mas doaram o jogador por nada. E nas picks conseguidas trouxeram Michael Egnew ( TE, 2012 ) e Dallas Thomas ( OG, 2013 ). Ou seja, doamos e não conseguimos ninguém com isso.

Lembro, para finalizar, outra coisa: nem quando achamos um RB no fim do Draft o time consegue mantê-lo no elenco. Em 2012 escolhemos Lamar Miller no quarto round e em 2015 "achamos" Jay Ajayi no quinto round. Ambos agora fora do Miami, que não tem um RB sequer meia-boca no elenco. E outra: é culpa de Jay Ajayi as péssimas escolhas para a OL que o time tem feito?

Amanhã a noite tem os Sunday Night, contra os Raiders. E eu, claro, não estou nem um pouco confiante em uma vitória. Aliás, eu nem sei se quero que o time vença mais partidas... se bem que, de que adianta boa posição no draft, se o time não sabe escolher? E mesmo quando acha talentos, doa-os para outros times?

Sinceramente, como disse no texto pós-troca, eu estou me cansando com isso. É muita incompetência para uma franquia só. Não fossem os Browns...

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Carta Aberta ao Miami Dolphins, seu proprietário, seu GM e seu Head Coach

O passado seguirá cada dia mais distante...
Eu amo o Miami Dolphins desde muito tempo. Em algum momento dos anos 80, por interferência do saudoso Luciano do Valle, eu virei torcedor do Miami Dolphins. Mas não foi a esta franquia desorganizada e derrotada que eu me apaixonei. Saúdo demais os que foram arrebatados por esta zona que é os Dolphins desde o fim dos anos 90. Os senhores da foto que ilustram este post, todos tem 80 anos ou mais e estão próximos de morrerem sem ver o time que tornaram famosos voltar a vencer um Super Bowl.

Eu amo o Miami Dolphins. Sofro demais com ele. Toda vez que tomamos uma surra eu fico ensandecido, tresloucado até. Eu amo este time tanto quanto amo o Santos Futebol Clube, meu time no que vocês chamam de Soccer. Amo tanto amo o LA Lakers, o NY Rangers, o NY Yankees e o LA Galaxy. Amo mais, se vocês quiserem saber. Porque para o glorioso Miami Dolphins eu criei este blog. Só dos Dolphins já comprei camisa um dia. Só dos Dolphins eu fico fora de mim quando somos surrados.

Sobrevivi às péssimas escolhas, sobrevivi ao Monday Night Miracle ( sabe-se lá como ), sobrevivi às trades insanas, sobrevivi a TGJ, a Pat White... estou sobrevivendo à Ryan Tannehill. Mas senhores Adam Gase, Stephen Ross, Mike Tannenbaum e Chris Grier não sei se sobreviverei ao que vocês estão fazendo agora. Esta Trade de Jay Ajayi por uma escolha de 4º round beira a loucura. E na verdade, o é. Como vocês podem ter feito isso, após o time tomar 40 pontos sem marcar nenhum dos Ravens, na quinta passada? De teremos tomado de zero também contra os Saints? De teremos perdido para o então zerado NY Jets? Vocês querem mesmo acabar com a franquia?

Parem com isso. Façam coisas decentes, sensatas e aceitáveis. Doar um dos melhores RB por nada é idiotice. Nada do que ele possa ter feito justifica doá-lo por nada. E nós, torcedores, não merecemos isso. O que vocês estão nos pedindo é que aguentemos uma nova reconstrução, que não vai dar em nada como as outras que foram feitas desde que Dan Marino se aposentou? É isso que vocês querem que passemos outra vez? Depois vocês ainda não entendem porque o Estádio não lota. Como seria possível lotar um estádio cometendo erros absurdos como este de hoje? Quem é sádico o suficiente para ir semana após semana, ano após ano ao estádio ver um time ruim, mal comandado e mal montado? Haja vontade de sofrer...

Salvem o nosso Dolphins, porque nós o queremos grande. Nós o queremos vencedor. Nós o queremos ganhando outro Lombardi. Não sendo a piada da NFL. Sorte nossa que existe - com todo o respeito aos seus torcedores - um Cleveland Browns, que consegue pior do que nós, mas isso não me serve de consolo. Respeitem esta camisa, que um dia envergou varal. E se não forem capazes de fazer isso, que saíam. O quanto antes...

Porque eu estou cansando de perder. E muitos outros também o estão. E podem largar o time se vocês seguirem sendo tão trapalhões como estão sendo. E isso cansa... 

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Week 8 - Dolphins ZERO x 40 Ravens - O que dizer sobre aquilo que aconteceu em Baltimore?

Amanhecemos todos assim...
Não, isto não é o post da palhaçada protagonizada pelo Miami Dolphins ontem. Isso, se eu fizer, será depois. Aqui é só uma postagem para que, quem quiser, lamentarmos o que tivemos que ver ontem.  Só isso...

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Surpresa em Miami: Byron Maxwell é cortado e David Fales é promovido do Pratice Squad

Maxwell foi cortado em movimento surpreendente...
Com a contusão de Jay Cutler, quebrou algumas costelas, o time precisava se mexer. E como se mexeu: cortamos o CB Byron Maxwell e seu grande salário e subimos o QB David Fales da Pratice Squad. 

Subir o QB era mais do que esperado, o time só estava com Matt Moore e time nenhum da NFL vai para uma partida sem QB reserva. Mas o corte do CB... bom, em tese é uma surpresa, mas que pode abrir espaços interessantes no Salary Cap, que poderia ser aproveitado para assinar com Jarvis Landry um contrato de longo prazo. Se é isso que será feito ou não, é difícil saber... Mas o corte tem sentido: ele não tem atuado bem, ficado até no banco. Mas não deixa de surpreender...

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Vencer é bom, de virada mais ainda... mas fazer tudo isso em cima dos Jets é bom demais!!!!

 j
O jogo foi tão louco que esse lance terminou em recepção!!!
Sou obrigado a reconhecer: eu jamais imaginei que o time estaria com 4-2 na sétima semana ( contando já com a folga forçada na primeira semana ). Acho que poucos esperavam que com Jay Cutler de QB o time conseguiria vencer 4 na temporada inteira. Mas eis que estamos com 4-2 ( e como os Buccs não está assim uma brastemp, o time poderia estar com 5-2 ), e seguimos na zona de classificação para a post-season. Claro que todos sabemos que a primeira metade é mais fácil ( ou menos complicada ) que a segunda parte, mas sejamos francos: dá ou não para sonhar com 10-6 com atuações como a de ontem, tirante a defesa do primeiro tempo?

Antes de passar para a parte boa, tenho que lembrar que o time segue tendo espasmos assustadores durante a partida, que deixam qualquer um fora do sério. Tomar 209 jardas e 4 TDs de um QB All-Star seria aceitável... mas de Josh McCown?? Ai ferra. Ficar 14 pontos atrás de time SB Contender como os Falcons é ruim, mas não absurdo, mas dos Jets é tenebroso. Reitero: não temos time para ficar virando partidas semana atrás de semana. É um fato, não um gosto. Adiante...

Dito isto, vamos ao que de bom/ótimo aconteceu. Primeiramente a boa atuação de Matt Moore. Disse quando contrataram Jay Cutler que ele nada acrescentava ao tipo de QB que Ryan Tannehill é e muito menos era melhor do que Moore. Ficou provado ontem, que eu talvez tenha razão. Ele entrou frio, sem treinar com os titulares e demorou um pouco para engrenar, lançou um interceptação, mas quem ficou surpreso com isso? Se ele não as lançasse, seria Starter, certo? Mas foi como ele tratou o resto da partida, sobretudo o quarto período que encheu os olhos. E detalhe: Jay Cutler foi bem na partida, não um desastre. Mesmo que a interceptação dele poderia ter sido evitada, ele estava no buraco e o passe tentado teria rendido várias jardas. Acontece e mais uma vez: ele estava aposentado por algum motivo, não é mesmo?

Chegamos então aos WRs. Que coisa linda fizeram Jarvis Landry e Kenny Stills. Um melhor que o outro, cada um com várias jogadas dinâmicas, com recepções incríveis ( a da foto mesmo foi espetacular ) e com 3 TDs fundamentais para a vitória. Destaque também para o esforço de Jay Ajayi, que mesmo não produzindo muitas jardas, seguiu batalhando em suas 20 tentativas de corrida( tratarei disso durante a semana ), sendo fundamental para cansar a defesa dos Jets. Fasano também apareceu na hora certa, para marcar um TD importantíssimo.

A defesa tem, como sempre, ser dividida entre a DL e os outros. Por mais que tenham subido de nível no segundo tempo, foi a DL o ponto de desequilíbrio do setor, com pressões e sacks. E quem se destaca, mais uma vez, é Cameron Wake, Um líder nato, doa-se totalmente em cada snap e ontem conseguiu 2,5 sacks, fora pressões e mais pressões em McCown. Aos 35 anos já tem 6 sacks, um por partida e se mantiver a média recente... Ndamukong Suh foi preciso, embora siga cometendo suas faltas desnecessárias. Os LBs foram melhores nesta partida, mas existe um fosso que eles precisam superar. A secundaria estava sendo facilmente queimada, mas subiu o nível no segundo tempo, mas também precisa melhorar. E muito.

No mais, uma vitória marcante, que pode realmente sinalizar uma mudança de paradigma na temporada. Na quinta teremos os Ravens, em Baltimore, numa partida que está longe de ser fácil, mas se o time jogar os 60 minutos em bom nível, temos uma chance real de vencer. Depois de ontem, fica complicado pensar o contrário...

domingo, 22 de outubro de 2017

Week 7: Jets 28 x 31 Dolphins - Aqui não, sua lambisgoia!!!!

Landry e Stills mostraram quem manda no Hard Rock Stadium...
Definitivamente a temporada de 2017 não é uma temporada comum. Primeiro passamos 5 partidas sem marcar TDs no primeiro tempo. Depois conseguimos a maior virada de nossa história semana passada contra os Falcons, tirando uma desvantagem de 17 pontos. E hoje, conseguimos marcar pontos ( 14 para ser preciso ), mas tomamos 21 e o resultado não parecia nada animador. Tomamos mais um TD e com 28x14 muitos, eu incluso, desistiram da partida. Mas esta realmente não é uma temporada qualquer...

Com atuações monstras da defesa e de Matt Moore ( que entrara no lugar de Cutler graças a contusão ), o time dos Dolphins viraram a partida faltando menos de 1 minuto pro fim, após uma interceptação milagrosa de Bobby McCain que deu-nos a chance de chutar um FG e vencer a partida.

Com o resultado chegamos a uma campanha de 4-2 e se os Falcons derrotarem os Pats amanhã... bem, seremos líderes da divisão. Um resultado bastante plausível embora pouco provável. Além disso, deixamos nossos mais odiados rivais com 3-4 e uma campanha negativa. como disse no texto anterior a partida, evitamos uma dolorosa varrida. E agora podemos olhar para frente, sonhando até com post-season. Quem diria não??

Amanhã, uma análise mais detalhada da partida e as atuações.