sábado, 26 de abril de 2008

Imagens First Roud Pick - Jake Long

Ele e o Comissário da Liga. Feliz ele, não acham??

Ele cai muito bem com esta camisa. Futuro HOF? Em 10 anos eu lhe respondo...

Como é bom ter gente competente no Front Office. GDBAT eram capazes de draftarem o DRC ou o Ellis...

A família Long ficou feliz. A família Dolphins idem...

Draft - 1° dia

Que começe a nova era Parcells!!
Hoje rolou o 1° dia do draft da NFL e podemos considerar Miami um dos times mais felizes nas suas escolhas.

1° Pick(1 overall) - Jake Long (foto) foi a primeira escolha do Dolphins e o primeiro jogador overall. Saindo de Michigan para suprir uma de nossas maiores necessidades, uma OL que de segurança, espera-se de Jake que ele seja nada menos de que um Hall-of-Famer por Miami, isto mesmo, HOF. Orlando Pace, último OT selecionado como 1° overall parece tomar este rumo, então é isto que os torcedores de Miami esperam de Jake, e pelo o que mostrou na universidade ele é totalmente capaz disso.

2° pick (31 overall) - Phillip Merling, Defensive End de Clemson, foi quem sabe nosso presente de draft. Merling era muito cotado para ser um first rounder, sobrar para Miami no segundo round foi algo inesperado, e como era de se esperar de Bill Parcells ele não negou o presente e o escolheu sem hesitar. Merling vem para ser DE titular por Miami, tanto no sistema 4-3 quanto no 3-4, tirando provavelmente a posição de Matt Roth. O único porém de Merling seria seu injury prone, o que alguns dão como motivo de ele ter sobrado para Miami no segundo round.

3° pick (57 overall) - Chad Henne, QB de Michigan, foi um sólido starter por sua universidade e já está entrosado com nosso primeiro pick, Jake Long, pois ambos jogavam juntos. Tem um excelente braço, é esperto, tem liderança e pareçe ser durável. Contra ele contam o fato de sua precisão ser contestada, não conseguir lidar bem com a pressão no pocket, não ser exatamente muito móvel e as vezes segurar muito a bola. Vem com a aprovação de Bill Parcells, mas não exatamente com a confiança de todos torcedores, que preferiam Brian Brohm, que foi pego um pick antes de Miami poder escolhe-lo. Espera-se que lute pela posição de titular com John Beck.

Miami ainda têm 6 picks disponiveis, 3° round (64 overall); ; 4° round (115 overall);6° round (195 overall); 6° round (204 overall); 7° round (208 overall) e 7° round (245 overall). Com a pick do terceiro round espera-se que draftemos Dan Connor, ILB, ou Mario Manningham, WR. O resto das escolhas entram no campo da especulação e da sorte, e contando com ela quem sabe achamos um steal, tipo Zach Thomas.

Draft 2008. 2° Round Picks: Phillip Merling - DE e Chad Henne QB

Usando a primeira escolha do segundo Round o Miami Dolphins escolhe o ótimo DE Phillip Merling. Em um draft para lá de maluco - nenhum WR no primeiro round - o Miami optou por tapar um buraco na Defesa. O jogador é sólido, e eu sinceramente não o esperava em Miami. Mas já que ele caiu no nosso colo, nossa defesa está agora mais forte.
Poderíamos ter escolhido um dos WR´s disponíveis, mas Parcells deve ter pensado que eles podem dar conta do recado, ajudando o jogo corrido do time, e que também Beck, melhor protegido por Long será um QB decente. Espero que isso aconteça, e que Brohom não vire um FQB...
E na segunda escolha do round 2 o Miami trouxe um QB...??? A questão é: quem é este QB?? Eu não conheço e nunca ouvi falar dele. O Green Bay roubou o meu preferido. Penso que o Parcells não fez trade up para pegar o Brohom pq pensou que o Packers jamais draftariam ele... deixamos passar, por enquanto, o LB Dan Connor. Mas em todo caso, Chad Henne é melhor que McCown...

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Novo colaborador

Bom galera, aqui quem fala é o mais novo colaborador do blog Undefeat Team. Meu nome é Felipe Pio, gaúcho de Porto Alegre e torcedor do Dolphins desde 2003/2004. Vou tentar postar por aqui regularmente e ajudar no crescimento do blog.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Dúvidas e incertezas...

Esta é a primeira de uma série de análises sobre a "década perdida" do Miami ( toda quinta terá um texto sobre este assunto ). Esta década em que vivemos é apenas a pior da história do Dolphins. Apenas duas PS em 10 - contando que não iremos neste e pouco provavelmente no que vem - é o pior aproveitamento. Estas matérias visam mostrar aos jovens o porquê de estarmos nessa situação.
Dois fatos importantes desta década do Miami Dolphins:
1 - Primeira quinzena de Janeiro de 2001. Foi quando o tempo parou em Miami.
2 - Segunda quinzena de Abril de 2008. Será que o tempo voltará a andar??
A primeira data é de quando fomos para a Post-Season pela última vez. A segunda é deste período em que vivemos. Entre as duas passamos ainda alguns momentos de alguma felicidade, mas jogamos 128 jogos e vencemos apenas 61 ( 0,476 de aproveitamento ). Como uma franquia com a história do Miami pode fazer isso, logo após ter o maior QB de todos os tempos em suas fileiras por quase 20 anos?
Tudo começa ainda na era Marino. O nosso Front Office sempre pareceu meio preguiçoso, moroso, confiando que bastava o braço de Marino para irmos longe. E isso serviu por um tempo. Na década de 90, fomos a PS em oito anos, mas só jogamos uma final de AFC. Mas Flávio o que isso quer dizer?? Marino levava o time nas costas até um certo ponto, mas faltava ajuda, qualidade, jogadores com mais talento. Até 1995 o nosso Head Coach era o Hall of Fame Don Shula. Mas como com o maior vencedor dos técnicos da história da Liga, não jogamos uma final de Conferência?? Acomodação pode ser uma palavra útil.
Shula é uma espécie de iminência parda - tipo Johan Cruiiff para o Barcelona - e que tem um respeito quase incontestável. Com o passar dos anos, seus métodos e suas táticas ficaram ultrapassadas, mas como Marino em campo, as vitórias ainda assim apareciam. Flávio você está pondo culpa no Shula pela situação atual? Não, eu não sou louco. O que quero apontar é que o fato de ter o melhor técnico e o melhor QB, tiraram das costas de Huizenga e do FO a responsabilidade. O time era da elite, tinha duas das maiores estrelas da história da liga e isso deveria resolver.
Mas nada é tão simples assim. Com Marino e seu super braço, as defesa passaram a ler com mais facilidade o ataque: com pressão nele - Marino nunca foi rápido - e com excelentes CB e S era possível diminuir os estragos. Sem um jogo corrido eficiente, Marino tinha que soltar mais e mais bombas, se arriscando assim sempre mais e as Int´s sempre apareciam. Culpa de Marino? É claro que não. Mas aqui aparece uma culpa de Shula: arrumar alternativas. O Miami nunca conseguiu atrair bons Coordenadores Ofensivos, pois eles não aceitavam se subordinar ao métodos antiquados de Shula, por isso nosso OC normalmente eram ex-jogadores ou profissionais de pouca qualidade...
Quando finalmente Shula saiu, em 1995, veio Jimmy Jonhson que havia vencido 2 SB pelos Cowboys. Outro erro: sem estrutura - Shula trabalhava quase que sozinho - ele pouco pôde fazer. Mesmo assim, em três anos ele levou o time duas vezes para o Divisional Playoffs... Ele também foi o responsável por montar uma nova defesa ( Zach Thomas e Jason Taylor foram draftados sob sua batuta ), e por mudar o pensamento em Miami. Mudamos o foco: antes o ataque era forte, mas a defesa não. No fim dos anos 90 era o contrário, mas Marino ainda estava lá. Os problemas aconteceram depois de sua, prevísivel, aposentadoria...

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Rapidinhas do "Day after"...

  • De um modo geral, a nação Dolphins achou excelente a escolha antecipada de Jake Long. A maioria das opiniões no9 Fórum o Quarterback foram de aprovação. Como disse ontem, que DEUS ilumine o caminho de JL... e o do Miami também...
  • Boatos dão conta que duas franquias fizeram propostas ao Miami para uma troca envolvendo Jason Taylor. Não se sabe ainda quais franquias foram essas, mas o Miami fixou preço: duas escolhas, sendo uma delas de primeiro round. Próximos capítulos, ou não, nos próximos dias... Eu particularmente acharia uma boa se a escolha de first round fosse uma TOP 15...
  • Jarred Allen, ex-Chiefs, foi trocado com Vikings por três escolhas ( uma de primeiro e duas de terceiro round ). Ponto para o Miami: a defesa do Chiefs está mais fraca do que era, e os enfrentaremos no final da temporada...
  • Anquan Boldin WR TOP da Liga, disse que quer sair do Cardinals. Motivo: a diferença entre o salário oferecido a ele para renovar o contrato e o já acertado com o outro WR TOP do time, Larry Fitzgerald. Será que ele aceitaria jogar em uma franquia, digamos assim, mais tradicional??
  • O Blog ThePhinsider (www.thephinsider.com/2008/4/22/076/98972 ) fez uma análise dos picks perdidos pelo Miami nos últimos 10 anos, em rounds baixos, do terceiro em diante. É de chorar ao ver tanto jogador TOP que poderia estar em Miami. Lá tem um link para o NFL Draft onde é possível ver todos os picks do Miami. Tem ano, recente - tipo 2003 - que mais nenhum dos escolhidos jogam em Miami. Alguns nem mesmo estão mais na Liga... Santa incompetência, diria o Robin...;
  • Se não temos mais o first round pick para nos preocupar, ficaram outras questões: o que fazer com as duas escolhas de segundo round que temos?? Trocá-las para garantirmos o Brohom? Escolher, respectivamente, defesa e OL? Ou irmos de OL/Defesa e WR, já que ninguém merece TGJ, Wilford e Hagan como opções? Ou optar só por defesa? Respostas para estas e outras perguntas, sábado no Draft.

terça-feira, 22 de abril de 2008

Agora é Oficial: Jake Long é do Miami

Me dá medo de pensar no que o Jeff Ireland está pensando ao olhar para o Jakie Long...

Iniciando o seu primeiro Draft, os homens que agora cuidam do destino do Miami Dolphins ( Bill Parcells, Jeff Ireland e Tony Sparano - irei criar uma sigla para eles ) fizeram hoje o anúncio - acertado ao meu ver - de Jake Long como a escolha de primeiro round deste Draft. Como tem o direito de escolher quem quiser, o Miami quis encerrar com toda a especulação em torno de quem seria o escolhido. Farei, mais uma vez uma análise dele:
1 - É o melhor jogador de OL disponível neste draft. E o Miami tinha que fazer uma escolha crucial: draftar alguém que resolvesse na Defesa ou garantir proteção aos QB´s do elenco?? Fez, reitero isso, a escolha certa;
2 - O contrato será de 5 anos, 30 milhões garantidos. Nada mal. Tomara que ele devolva em campo cada centavo com excelente bloquieos;
3 - Comparando com o ano passado, deste vez cobrimos uma real necessidade. Ainda precisamos de um FQB, mas com Jake Long os atuais poderão trabalhar mais sossegados;
4 - Ele é uma escolha sólida. O outro Long também seria, mas acho que estamos mais fracos na OL do que na DL;
5 - E a defesa Flávio?? Ainda temos mais 7 escolhas, duas delas no segundo round para solucionarmos nossos problemas defensivos...
Agora, amigos torcedores do Miami ou não, está feito. Que Deus ilumine o caminho de Jake Long...
PS: O Podcast ficaria pronto hoje, mas com esta antecipação da escolha, farei-o amanhã, postando-o na quinta.

Video da aprensentação dele em Miami:

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Futuro: O que esperar de TGJ??

Fim de semana tem Draft, e não custa nada ( ou será que custa??? ) lembrar o - péssimo - draft do ano passado. E sempre que falarmos sobre o draft de 2007 todos irão se lembrar do Retornador Ted Ginn Jr. Ele merecia tal escolha?? Tem talento para virar um WR Top da Liga?? Conseguirá um dia nos levar ao SB com algum catch milagroso ou sensacional corte em seus marcadores?? Infelizmente as respostas para estas, e outra tantas, perguntas ainda não tem respostas. Podem até mesmo nunca terem.
O que se sabe é que teremos ele com a nossa camisa para mais uma temporada ( e se cumprir o contrato até o fim, sem renovação, por mais três após ). Ele poderá evoluir neste tempo, e é nisto que temos que acreditar. A questão é justamente outra: algum dia poderemos dizer, com plena certeza, que ele foi melhor escolha do que Brad Quinn - em minha opinião um futuro FQB - e se tornar um símbolo de uma mudança de ares em Miami?? Ou será um marco a nos lembrar da pior temporada de nossa história?? Só o tempo dirá...
Mas eu tenho uma oponião bem particular: ele nunca será nem mesmo um WR mediano. E sempre, ao olhar para a camisa 19, terei ânsia de vômito, ao lembrar que a escolha dele pelo GDBAT¹ nos custou Brad Quinn...
Mas como sempre quero o melhor para o meu time, espero que ele e Beck - outro que na minha opinião não tem talento nem para segurar bola em Field Goal - possam fazer uma dupla infernal e que um dia eu os veja levantando o "Vince Lombardi" sendo, ambos, destaques decisivos na conquista. Como disse torço para o Miami de forma incondicional e gostaria de ver isso um dia... mas não tenho nem 10% de convicção de que se realize...
1 - GDBAT - É a forma carinhosa como me refiro aos gênios que escolheram TGJ e John Beck ao invés de Brad Quinn. Grande Dupla de Bestas Atrapalhadoras de Times...