quarta-feira, 29 de setembro de 2010

2-1 e veio a primeira derrota...

Perder, é claro, ninguém gosta e ainda por cima para o mais odiado rival ( e em tese, o mais forte da divisão ). Mas temos que ver a derrota diante do Jets por outros aspectos além do óbvio. Sendo assim, algumas considerações sobre a derrota de domingo:
  • Jason Allen não pode marcar o melhor WR rival. Isso me parece tão claro, mas não sei por que não o era ( espero que agora seja ) para Mike Nolan. Não faço a menor ideia se Nolan o conhecia antes de chegar ao Dolphins - bem provável que não - mas acho que nosso DC pensou estar diante de alguém que nunca tivera uma chance real de mostrar o seu valor, ou se preferirem, de um injustiçado. Só assim para ele ter destacado Allen para marcar Braylon Edwards, que não é um Moss, mas nem de longe é um TGJ. Edwards humilhou Allen de todas as formas possíveis e, embora não seja a única razão, foi um responsáveis por nossa derrota. Espero que agora coloquem Sean Smith - que reitero é excelente - ou que ao menos coloquem Davis contra Randy Moss. Porque do contrário...
  • Ainda sobre Mike Nolan, espero que o mesmo veja que é preciso bem mais do que apenas mandar Blitz para anular um QB, ou que ele tem que achar um meio de entrar em OLs melhores. Claro que a do Jets é comparável a nossa, mas alguém viu Mark Sanchez ser pressionado domingo? QB sem pressão = derrota. Simples assim.
  • No entanto tenho algumas coisas a dizer sobre o trabalho de Nolan: ele tem um ILB de primeira linha em Channing Crowder, mas o mesmo está machucado. Assim tem que escalar Tim Dobbins, que foi trágico domingo ou Bobby Carpenter que até que não jogou mal, mas não está no nível que precisamos. Mesmo assim, existe o que ser corrigido. E urgentemente.
  • Porque insistimos tanto em usar a Wild Cat? Em dias que a jogada renda jardas, ok faz sentido usá-la. Mas com Chad Henne sendo quase que espetacular e sem o jogo corrido progredir, porque insistir na Wild Cat? Tivemos duas ou três situações de segundas descidas para 3, 4 jardas que viraram terceira pra 9/10 jardas.
  • Alguém ainda duvida das capacidades de Chad Henne? Espero que não...
  • Alguém acha que não valeu a pena trazer Brandon Marshall? E que o mesmo tem como ser ainda mais mortal do que o era no Broncos?
  • Já o nosso jogo corrido... pois é, mas cabe aqui uma observação: John Jerry - destaque nas duas primeiras partidas - estava machucado e foi substituido por Pat McQuistan, que claramente está bem abaixo do nível do novato.
  • Erros defensivos matam. Ter duas vezes o Jets em situação de terceira pra 15/18 jardas e ceder o first down foram uma das razões da derrota. Não podemos permitir tais vantagens para o Pats segunda, porque - de novo - será fatal.
Este é um apanhado. Amanhã, posto mais...

4 comentários:

Unknown disse...

Falou tudo, Flavio, mais uma vez!
E é engraçado o contrasenso do jogo aéreo do Miami se destacar tanto em relação ao terrestre - o que há anos não acontecia. Espero que isso se deva às características da defesa dos Jets. Porque se o jogo corrido for o que sempre tem sido na história recente (excelente), iremos longe, muito longe. B19, Bess Best e Henne (que também pode ter um apelido à lá Chad "Cool" Henne) nos garantirão pelos ares.

Flávio Vieira disse...

eu sempre coloquei fé nas qualidades do Henne, resalte-se. espero que usemos mais o passe ao invés da Wild Cat...

Equipe Phinaticos disse...

Flavio tem gente dizendo que Dobbins é melhor que o Carpenter brincadeira né, ve la comunidade depois...

Lamentavel ver um fã do Dolphins falando besteira parece que nem viu o jogo mais blz,

Henne voltou heim, graças a Deus...

vc curtiu as fotos que coloco do jogo, achei em um blog do Phins no EUA depois te mando.

Flávio Vieira disse...

Dobbins e Carpenter são iguais: rendem mais no Special Team. Em termos de ILB, eu ainda fico com Carpenter, mas por ser menos trágico, não por ser melhor. se é que me entende...