terça-feira, 26 de novembro de 2013

Um plano louco, mas que poderia dar certo...

Os dois são cunhados, são ídolos nossos e duvido que fizessem pior do que os outros GMs recentes...
É quase uma unanimidade que Jeff Ireland deve ser demitido. Qualquer plano de reconstrução que não inclua isso e eu suspendo o Blog por um mês. A demissão do responsável direto pela mediocridade do Miami desde 2009, não merece ser responsável por preparar mais uma temporada. Ele já demonstrou não ter capacidade para tanto. E todos concordam com isso.

Sendo assim eu, se fosse Stephen Ross chamaria os dois da foto para conversar. E proporia uma parceria entre eles na gestão do time. Thomas ficaria como Vice-Presidente de Operações, onde se preocuparia com os detalhes mais burocráticos do time. Taylor seria o General Manager e dividiria com o amigo e cunhado a gestão do time. Os dois, ídolos natos deste time, chegariam sem qualquer tipo de pressão contra e com o apoio de todos os fãs. Caso os dois não aceitassem - e isso é uma possibilidade real, eu iria atrás de outras pessoas com identificação conosco tais: Sam Madison, Patrick Surtain... até achar alguém que aceitasse. Marino eu não procuraria por dois motivos: a) ele é comentarista e; b) já está fora a muito tempo da NFL.

Com eles no comando, creio eu, recuperaríamos a credibilidade perdida, ou parte dela ao menos. Ai passaríamos para o passo crucial: decidir se demite-se ou não Joe Philbin. Conta pra sua demissão as viradas diante de Patriots e Panthers sem conseguir marcar ao menos um Field Goal. Conta igualmente pela demissão os dois drafts apagados, onde os melhores valores são jogadores de terceiro ou quarto rounds, sem falar de picks com total cara de busts ( Egnew ), que nem entram em campo direito ( Thomas, Gillislee, Jenkins... ) ou que já estão fora dos planos ( Martin ). Também conta contra ele ter escolhido o Coordenador Ofensivo na base da amizade e não da competência ( Sherman ). E existe algo que conta a seu favor? Sim, tem algo: ele era o Coordenador de Aaron Rodgers no Super Bowl. Pois é, parece que fica claro que eu demitiria ele ao fim da temporada...

Se ele fosse demitido, quem contratar? Nenhum Coach da NFL aceitaria trocar de time pra assumir o Miami, ao menos os que eu gostaria de contratar. Além do que seria necessário contratar outro Coordenador Ofensivo, embora isso nem fosse preciso citar. Eu buscaria alguém na NCAA, alguém ousado e com experiência no ataque. Não vou arriscar um nome, mas seria alguém este perfil acima. Para OC eu também iria buscar na NCAA ou então alguém que esteja em algum time com bom ataque, tipo o Broncos.

Kevin Coyle, por mim, ficaria no time. A menos que pedisse para sair. Neste caso eu tentaria contratar alguém no Ravens, Bears ou Hawks. Se não conseguisse nestes times, iria buscar na NCAA em times com grandes defesas, como Alabama e LSU. Iria remontar todo o Staff a partir destas peças, trazendo pessoas de times e franquias vencedoras. Pessoas com experiência no que fazem ( tentando nunca mais repetir o que fizemos com Sparano que de Treinador de OL passou para Head Coach sem estágio ).

Refeito todo o Staff, ou parte dele, ai seria a hora de repensar jogador por jogador que fosse Free Agent e jogadores com mercado para ser trocado. Tudo isso antes de pensar no Draft. Que eu deixarei para outro texto...

Um comentário:

Anônimo disse...

Falou Tudo Sem Mais Eu Faria o Mesmo