sexta-feira, 25 de outubro de 2013

E 2014?

Será este o futuro de nosso estádio, ficar as moscas?
A temporada 2013 está a perigo, e todos sabemos bem disso. Após fazer 3-0 corremos um risco enorme de ficarmos 3-4 depois da partida no Gillete Stadium diante do NE Patriots. E sendo bem realista, eu conto com 3-4, mas entendo quem nutra esperanças do contrário. Nosso retrospecto recente diante do time do "cinema" é meio complicado: 7 derrotas seguidas e 12 derrotas nos últimos 15 jogos. Esperar por vitória, diante do time de Tom Brady, é ser torcedor ao extremo. Eu não sou assim a muito tempo...

Mas ficar com 3-4 pode fazer com a temporada de 2013 vá pro, quanto novidade, buraco. Sendo assim talvez já seja hora de pensar em 2014 e mais uma vez ficar esperando por uma temporada melhor. Estamos assim desde... desde... bom, faz tanto tempo que eu nem me lembro mais. Mas é algo que é preciso fazer e eu tenho feito isto aqui neste espaço desde 2007. Sempre pensando no ano que vem ( exceto 2008, em que vivemos um conto de fadas ). Mas o que fazer em 2014? Vamos lá ao que eu faria em ordem de importância:
  1. Demitir Mark Sherman Jeff Ireland. Está claro pra qualquer torcedor que ficar com este velho decadente não vai ajudar em nada. Até mesmo para os mais desligados, isso está claro. Eu contrataria alguém da NCAA, possivelmente de Oregon ou de Stanford. Já Jeff Ireland está fazendo hora extra depois que draftou ( ou permitiu que alguém o fizesse ) Pat White. Pode-se dizer que ele fez um trabalho legal em 2013, mas nem tanto: deixou o time sem OL.
  2. Draftar um Left Tackle. Qualquer coisa fora um LT no primeiro round seria desastroso. Tivemos chance de ter um este ano, que já estaria rendendo em campo, mas ficamos com Dion Jordan ( não criticando ele, mas está clara o erro que foi passar Lane Johnson ). O problema para isso é que possivelmente teremos que fazer uma trade up, pois deveremos ficar acima da 13ª ou 14ª pick e portanto longe do melhores tackles;
  3. Trazer um outro Quarterback. Aqui é polêmico, mas é o meu pensamento. Partindo do principio de que 2013 realmente vá pro ralo seria o caso de pensar em competição no posto de QB. Matt Moore não é melhor do que Tannehill, talvez na mesma ou talvez um pouco/abaixo, mas tenho 100% de certeza: não é QB pro Miami. Sendo assim, e já com duas temporadas perdidas, eu traria um QB no Draft, talvez até mesmo na famigerada segunda rodada ( Beck, Henne e White foram escolhidos assim ). Tipo um Matt Barkley sobrar pro terceiro round irmos nele. O que de pior pode acontecer? Ele não render, certo? Ou seja, nada de novo. Valeria o risco creio eu;
  4. Reforçar o time com alguns veteranos bons de bola. Não sei exatamente porque, mas Joe Philbin prefere jogadores bem jovens no time. Não sei exatamente o porque, mas ele tende a contratar jogadores jovens em detrimento dos veteranos. O único jogador mais velho contrato foi Tyson Clabo e, talvez, Grimes - que nem é tão velho assim. Deixar de trazer, ou tentar, jogadores como Charles Woodson pra mim foi um erro, mesmo que tenhamos trazido Grimes. Jogadores que já estiveram nos grandes jogos e são capazes de fazer o algo a mais ( me arrepio só de lembrar o Woodson na sideline, com o ombro deslocado, em um SB dando moral pros seus companheiros vencerem o Steelers ). É hora de trazer estes jogadores pra Miami. Vai ser fácil isso? Claro que não. Mas temos que tentar...
Seriam, nesta ordem, as minhas ações. Talvez algumas outras mudanças pontuais precisassem serem feitas ( contratar um RB melhor do que os que temos ou mexer ainda mais no Coach Staff ), mas se estes passos fossem bem executados já teríamos boas possibilidades de melhoras... daria certo? Não sei, mas não fazer mudanças mais radicais também não vai resolver. 

Eu não demitiria Joe Philbin se querem saber. Ele parece-me competente e que sabe o que faz. O seu maior erro foi ter escolhido o Coordenador de Ataque em função do Quarterback ( ou o contrário ). E ao que parece, nenhum dos dois vai render o que ele esperava...

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Dan Marino de General Manager?

Por enquanto isso é apenas um sonho...
Eu gosto de comparar, sempre. Comparações servem para embasar um ponto de vista ou apenas para demonstrar o quão as situações comparadas são distintas entre si ou por fim como uma pode servir de inspiração para a outra. E o time que mais serve de comparação hoje na NFL é o Denver Broncos, seu QB, o elenco fantástico e o General Manager que montou tudo isso: John Elway.

Elway é um HOF, daqueles que entraram sem qualquer dificuldade. Foi escolhido na mítica turma de 1983. A mesma em que nós escolhemos um tal de... bom, o cara da foto. Elway parou no mesmo ano que Marino, ambos foram eleitos no mesmo ano... só que Elway, por essas maldades da história do esporte, venceu 2 dos 5 Super Bowls no qual esteve, enquanto que o nosso Dan Marino perdeu o único ao qual conseguiu participar.

Bom eu gosto de comparar. E Elway é o homem por trás do sucesso do Denver, seu único time na NFL. Poderia Daniel Marino Constantine Marino Jr fazer o mesmo? Bom ai é complicado de garantir, mas eu preferiria perder com ele no comando do que perder com o Ireland...

Claro eu falo perder, porque poderia ser uma realidade. Mas eu prefiro pensar que ele pudesse nos levar a um nível melhor ( porque pior... ), fazer algo pelo time dele ( mesmo que torça pros Steelers, pois é de Pittsburgh ), tentar mudar a situação, péssima, atual.

E sabem o que ele disse essa semana: "Eu sempre penso em estar envolvido no futebol, estar no meio mesmo" disse ele no programa Showtime. "Você vê John Elway, o sucesso que ele conseguiu. É algo que faz você pensar, pensar em voltar pro jogo. É algo que eu olho com carinho, algo que eu consideraria".

Está dada a senha. Basta que Stephen Ross tenha coragem suficiente para contratá-lo. E o histórico mostra que é capaz de algum time conseguir isso bem na nossa cara... E você leitor, o que acha?

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Miami adquire Tackle do Ravens...

Um negócio que, sinceramente, não me agradou...
O Front Office do Miami ficou em desespero após a derrota pro Bills. Não sem motivos, é claro pois agora o sinal vermelho está ligado, até porque domingo iremos encarar o Patriots ( e com televisão, pela ESPN ) com uma chance real de ficar 0-4 na sequência e tendo que encarar na semana seguinte o embalado Bengals.

Por isso o time foi até o Ravens e por uma escolha de Sexto Round trouxemos o Left Tackle Bryant McKinnie. O cara é bom, tem uma carreira consolidada, mas é um veterano em decadência. E nunca jogou de Right Tackle. Sua contratação, pra mim, demonstra desespero, em todos os sentidos:
  • Este time tem prazo de validade curto, pois jogadores chave estão ficando velhos ( Wake, Soliai, Starks ), com contratos por vencer em pouco tempo ( Odrick, Starks, Soliai, Pouncey entre outros ) ou que está ficando claro que não são o que deles se esperava ( ai a lista é grande e polêmica, mas fico com dois: Misi e Miller );
  • Estamos, até agora, com 4 temporadas com mais derrotas do que vitórias e a última ida a post-season, 2008, está ficando cada dia com cara de "sonho";
  • O Front-Office sabe que se não for a post-season, a venda de tickets irá diminuir ainda mais sem falar que a confiança gerada em 2012 e agora irá desaparecer.
A troca pode gerar coisas boas agora, como uma melhora da OL já que pior do que tá não fica ( ou fica? ). Mas no longo prazo, creio eu que isso não irá trazer-nos benefícios. Sem falar que sempre existiria a esperança de conseguir um Tom Brady no sexto round...

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Eu já vi esse filme...

Este é um post 100% polêmico. Portanto se você não quer ler críticas à Direção do Miami, aos Coachs ( antigos e atuais ) ou a Ryan Tannehill nem passe desta linha.

Vamos começar pelas 2 fotos abaixo para que vocês possam entender do que trata este post:
Em 2010 pegamos o Vikings de Favre, candidato ao Super Bowl, e os vencemos fazendo 2-0...
Com este TD ( o primeiro de sua carreira ) vencemos o Falcons e fizemos 3-0. O Falcons, assim como o Vikings em 2010, era candidato ao Super Bowl...

E o Miami está 3-3, depois de fazer 3-0. As fotos acima retratam momentos marcantes de 2010 ( Favre foi sackado 5 vezes naquele dia, além de ter tomado 2 ints ) e 2013 ( TD de Sims em um lindo drive comandado por Ryan Tannehill ). Nas duas situações ficamos cotados para irmos longe na temporada. Mas antes de prosseguir, vamos a algumas coincidências entre as duas temporadas:
  1. Nos dois anos o time vinha de temporadas 7-9 e com cheiro de post-season em ambas;
  2. Também tínhamos um QB jovem que parecia promissor e do qual esperávamos evolução;
  3. Em ambas as temporadas, o time fizera a contratação de um WR de extrema qualidade;
  4. Nas duas temporadas o time perdeu partidas seguidas e desperdiçou o excelente começo;
  5. Em 2010 o time fez 7-9. Em 2013 não sabemos, mas a post-season ficou mais distante com a derrota pro Bills.
Já dá pra ter uma ideia de que paralelo eu quero traçar aqui. Em 2010 o QB era Chad Henne que parecia promissor entre as temporadas de 2009 ( venceu 7 jogos em 13 que fora Starter ) e a de 2010. Era consenso que o problema maior era a ausência de um grande WR. Ai o time foi atrás de Brandon Marshall.

Assim como em 2010, o QB promissor ( para alguns, não pra mim ) está ai. Ryan Tannehill deixou algumas ( poucas ) boas impressões e assim como em 2010, era consenso que a ausência de WRs era o grande problema. E o time trouxe não apenas um, mas dois WR: Mike Wallace e Brandon Gibson.

As similaridades são muitas não é mesmo? Pois bem, isso quer dizer que estamos na mesma? Talvez sim, talvez não. Para quem gosta de Tannehill estamos melhores. Pra mim, na mesma. Mas o mais interessante é que se o time não for a post-season ( e isso é uma possibilidade grande ) estaremos pelo quinto ano seguido sem jogar em Janeiro.

E o Front Office? Pois bem, nosso Owner Stephen Ross perdeu a chance de mudar nossos rumos 2 vezes: em 2011 quando perdeu Jim Harbaugh pros Niners e quando não conseguiu convencer Peyton Manning em jogar pra nós. O nosso GM Jeff Ireland deveria ter sido demitido quando draftou Pat White, mas está ai fazendo das suas.

Em 2012 o time trouxe um novo Coach que parecia ter mudado as coisas. Mas isso Sparano também fizera, com o bônus de vencer a divisão em seu primeiro ano. Está claro pra todos que Mike Sherman foi uma esclha ruim para ser o nosso OC, mas foi ele quem bancou Tannehill que fora seu jogador na Texas A&M. Ou quem sabe, foi o contrário, a escolha de Tannehill foi quem determinou a vinda de Sherman. A certeza é que o nosso ataque é um dos piores da Liga em diversos pontos.

Em 2010 a discussão era se Henne era bom ou não. Eu estava - praticamente sozinho - do lado do que o apoiavam. Agora em 2013 a discussão é a mesma, só que com Tannehill e eu praticamente sozinho entre os seus críticos. Assim como em 2010, agora em 2013 o time patina em jogos fáceis ( como ontem diante do Bills ) e consegue vencer times grandes ( Vikings e Falcons respectivamente ). Mas o que é certo é que a vinda dos reforços pro grupo de Receivers ( Marshall em 2010 e Wallace/Gibson este ano ), não melhoraram o nível das atuações dos QBs. 

E sabem o que é mais angustiante? Em 2007 na nossa pior temporada o time precisava de um QB e de um Letf Tackle e WRs. Passados desastrosos ( exceto 2008 ) anos, só o problema dos WRs foi, aparentemente, resolvido...

Enfim, pode ser que ao fim as temporadas terminem de modo diferentes. Pode ser, quem sabe. Mas semana que vem tem o Patriots no Gillete Stadium, que pra mim é derrota certa. Resta-nos torcer por dias melhores, mas a história recente mostra que isso está longe de Miami...

domingo, 20 de outubro de 2013

Week 7: Bills 23 x 21 Dolphins - Perder, perder...

Um QB, um jogo, dois tempos distintos: um genial e outro pra esquecer. Mais um...
Poucas coisas boas podem ser escritas quando o time perde, em casa, pro Bills ( sem QB ) e chega terceira derrota seguida, após estar 3-0. Por isso mesmo, eu vou isentar-me de chatear vocês leitores com minhas, merecidas e justas, críticas a Ryan Tannehill... Mas vou falar só uma coisa: ele vai de besta a bestial muito rápido. 

Fiquemos pensando no que ainda podemos esperar de 2013... ou se já seria o caso de pensar em 2014, porque semana que vem temos só o Pats fora de casa.