quinta-feira, 15 de maio de 2014

O que mudou este ano até aqui: Ataque

O pior setor tem muitas mudanças... vai dar certo?
Findo o Draft é hora de pensar: melhoramos ou estamos na mesma? Começo a tentar responder esta pergunta por aquele que é um dos piores setores de toda a NFL: o ataque do Miami. Que tem muito o que melhorar, mas... pois é, ao que parece - e olhando apenas para as peças adicionadas, não podemos garantir que o que foi feito até aqui dará resultado.

Vamos começar listando as peças adicionadas via Free Agency:
  • Knowshown Moreno ( RB ), ex-Broncos. Jogando no time do melhor QB da Liga ( talvez o melhor de todos os tempos ), ele conseguiu 10 Tds e 1.038 jardas. Como comparação Lamar Miller correu 709 jardas e marcou 2 Tds. Moreno é, portanto, uma ótima adição pro Ataque;
  • Brandon Albert ( LT ), ex-Chiefs. Valerá quanto pesa? Só o tempo dirá, mas ele é um upgrade enorme ao que tínhamos em 2013. Se será o que precisamos é outro papo;
  • Shelley Smith ( OG ), ex-Rams. Vem para ser Starter. Embora a concorrência facilite demais este seu "desafio";
  • Jason Fox ( RT ), ex-Lions. Veio para fazer Depth. E com o Draft de James será reserva na temporada inteira;
  • Kevin Cone e Jordan Rodgers. Um WR ex-Cards e um QB ex-Buccs para serem apenas, digamos assim, figurantes.
Além destes, temos que lembrar que teremos um no Coordenador Ofensivo, o "espetacular" Bill Lazor, cujo grande trabalho foi ser Coach de QBs no Eagles. Eu, e muitos analistas, deduzimos que Hickey e Philbin esperem que ele faça por Ryan Tannehill o que fez/teria feito com Nick Foles, que foi um dos melhores QBs da temporada, tendo lançado para 23 Tds e apenas 2 Interceptações e que foi, sem dúvida, o diferencial para ir para a post-season. Duvido que ele possa fazer isso, pois a mente criativa no Eagles é Chipp Kelly. Mas enfim...

Além destes, chegaram para o ataque, via Draft ( considerando só os 7 rounds, portanto UDFA não são contados ):
  • Ja'Wuan James ( RT ), Tennessee. A primeira escolha, jogador que pode jogar desde o primeiro dia, mas que foi um REACH absurdo, um dos maiores do Draft;
  • Jarvis Landry ( WR ), LSU. Vem para ser o recebedor do Slot. Poderia ser escolhido depois, mas nada que o classifique como um Reach grande. Pode ser tornar um excelente jogador, mas suas mãos não são das melhores;
  • Billy Turner ( OT ), North Dakota State. Outro Reach. O Miami queimou uma escolha de quarto round para poder draftá-lo. Apesar de listado como OT, a ideia será utilizá-lo como Guard. Pode, apesar disso, ter sido a melhor escolha do time. A conferir;
  • Arthur Lynch ( TE ), Georgia. Outro Tight End? Outro que mais bloqueia do que recebe? Pois é. Como Clay virou "estrela" e Sims ainda merece outra chance, quem deve se preocupar com esta pick é Michael Egnew;
  • Matt Hazel ( WR ), Coastal Carolina. Em tese, pra mim, um desperdício de pick. Não é melhor do que os que já estavam no elenco e não é um Special Teamer.
Conclusão:

Temos uma nova OL e disso todos já sabiam que iria acontecer. Albert, Turner, Pouncey, Smith e James tem tudo para serem um avanço, dos grandes, com relação a 2013. Vamos ser sinceros, seria um absurdo, mesmo para nós, conseguir montar um setor tão ridículo quando o ano passado.  Contudo, não esperem uma OL entre as 10 primeiras. Construir uma OL Top leva anos e muito treinamento, além das peças ideais. Não ser uma das 10 piores já será ótimo.

O Quarterback é o mesmo, mas o Coordenador não e isso também pode ajudar bastante, mesmo que Lazor se demonstre um fracasso. Nenhum Coordenador de Ataque durou mais do que duas temporadas em Miami ( dois dos últimos 8, apenas uma ), mas se ele for ao menos criativo e usar o jogo corrido, poderemos ter alguma melhora. A Deep Ball com Wallace, contudo, não tem coordenador que dê jeito: depende do QB. E nem é porque eu não gosto de Tannehill, e sim porque de nada adianta o OC criar a jogada se a bola não chegar. Portanto, para termos um ataque melhor, Tannehill tem que acertar a bola nas mãos de Wallace primeiro. Se a bola chegar, ai cabe a um dos recebedores mais bem pago da Liga, segurá-la.

Moreno é a peça que pode mudar o ataque. Claro que tanto ele quanto Tannehill precisam da OL e Plano de Jogo montados por Lazor, mas se ele conseguir correr para mais de mil jardas e marcas uns 8 Tds, já teremos feio quase o dobro de 2013. Landry pode ocupar o posto de Gibson, que todos já sabiam ser um atleta com sérios problemas de durabilidade. Se ele fixar-se como Slot e demonstrar regularidade, teremos melhorado o setor.

Mas e a saga dos Tight Ends de Middle Rounds? Pois é... Clay deve seguir como Starter, mas não esperem dele mais do que ele possa entregar, que é fazer o básico. Não esperem evolução dele porque vão se desapontar, ele é aquele de 2013. Sims pode melhorar, mas também é um TE de bloqueios, não de receber, assim como Lynch. Egnew é quem poderia ser o nosso "Gronk", mas está claro que isso também é pedir demais dele. Possivelmente ele até seja cortado, pois me parece meio sem lógica manter 4 TEs no Roster da Temporada.

Avaliação:

Temos motivo para esperar mais do ataque, mas são novidades demais. Lazor não tem nada que o credencie para ser um ótimo OC, a OL feita por dois Free Agents e dois Rookies é uma incógnita ( sei que perceberam a sutileza da palavra escolhida ) e pode não render o esperado. Junte-se a isso que nosso QB é inconstante e uma ausência de alvos seguros e que consigam, na marra, as grandes recepções é claro que temos que aguardar. Tudo pode dar liga e o time deslanchar na temporada. Mas não é o mais provável que aconteça. 

Será, enfim, um ano de transição. Que pode render pra cima ou para baixo. Até a quarta semana saberemos as respostas...

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Controlando comentários

Censura? Não, apenas respeito por quem lê o Blog...
O Blog já viveu períodos de comentários livres, depois de comentários moderados e desde 2012 os mesmos eram totalmente livres. sem exigir sequer os usuários tivessem conta no Google. Pois agora irei voltar a moderá-los e para comentar será necessário ter conta do Google.

Um tal de anônimo acredita que sou ruim de inglês por ser, vejam que coisa, Nordestino. Não, eu não sou Nordestino. Nasci em São Bernardo de Campo, estado de São Paulo e eu me orgulho desta condição. Tenho o sangue bandeirante em minhas veias. Mas eu sou neto e filho de nordestinos, minhas esposa e filhos são nordestinos. E também me orgulho disso. Talvez até mais do que ser paulista. Talvez.

Criticar minha opinião é da vida, pode-se gostar do que posto ou não ( recentemente mais pessoas tem divergido do que concordado ), mas ofender-me e a região na qual eu moro, não é aceito neste espaço.

Quero avisar aos desavisados que o Blogger consegue registar o IP e já pedi que eles notifiquem, por RACISMO, o imbecil do comentário.

Quem quiser ser cadastro no Blog para comentar, mande e-mail para flaviojvieira@yahoo.com.br e se mandarem comentários ofensivos, eu também irei notificar o meliante.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Lista dos Rookies não draftados...

Anthony Johnson, DT de LSU. Um dos 10 melhores UDFA é do Miami...
Após o fim do Draft ainda existem diversos jogadores disponíveis. Abaixo com quem assinamos:
  • Brock Jensen, QB, North Dakota State
  • Ryan Lankford, WR, Illinois
  • Gator Hoskins, TE/FB, Marshall
  • Gasten Gabriel, OT, Southeastern Louisiana
  • David Hurd, OT, Arkansas
  • Curtis Porter, DT, Miami
  • Anthony Johnson, DT, LSU
  • Garrison Smith, DT, Georgia
  • Shayon Green, DE, Miami
  • Tevin Mims, DE, South Florida
  • Derrell Johnson, OLB, East Carolina
  • Andrew Wilson, LB, Missouri
  • Deion Belue, DB, Alabama
  • Demetrius Wright Jr., CB/S, USC
  • Stephen Clark, P, Auburn
Muitos destes jogadores caiam logo no primeiro corte. Isso acontece sempre e é até o mais previsível. Porém, às vezes, jogadores desta turma conseguem romper a barreira e ficar entre os 53 eleitos da temporada. Além de Johnson, é bom ficar de olho em Mims e em Wilson.

domingo, 11 de maio de 2014

Análise do Walter Football sobre o Draft do Miami...

Landry recebeu uma nota melhor do que a de James. E isso diz muito sobre o Draft...
O Site Walter Football faz uma cobertura intensa do Draft. E analisa pick por pick e todos os times. Aqui eu traduzo/adapto o texto de lá para o nosso Blog. Espero que gostem ( o texto original clique aqui )

Nota do Draft: C

Metas no NFL Draft 2014: Prioridade número 1 de Miami é encontrar várias atualizações na linha ofensiva para compensar a ridícula situação Jonathan Martin/Richie Incognito no ano passado. Ajuda também é necessária entre os linebackers, wide receivers e cornerbacks, mas conseguir melhorar o bloqueio para Ryan Tannehill, tem que ser objetivo principal da equipe.

Resultado: Quantas maneiras existem para estragar um Draft? Já’Wuan James foi uma seleção infeliz na primeira rodada. Eu entendo a enorme necessidade, e eu até listei ele no meu Mock Draft, mas era um jogador distante do primeiro round. Nós falamos com cinco equipes sobre a escolha, e nenhum deles tinha ele como uma sólida perspectiva na primeira rodada. Não estou dizendo que James não pode arrasar, mas Miami provavelmente teria sido capaz de obtê-lo no segundo round.

O restante foi decente. Billy Turner, que pode realmente ser melhor do que James foi uma escolha sólida. Jarvis Landry fornece profundidade necessária no elenco. Walt Aikens e Jordan Tripp foram steals.

Se o Dolphins não tivesse escolha de primeiro roud, eu poderia dar-lhes um "B" no geral. No entanto, o erro em James tem que deixá-los numa graduação inferior.

Grades individuais: 
  • 019: Ja’Wuan James, OT – Tennessee. Nota: C-. Eu amei a reação do público a esta escolha, muitas das pessoas perguntou: "Quem?" O Front Office queria James o tempo todo, mas não há dúvida de que esta escolha foi um reach. James poderia ter sido escolhido na escolha de segundo roud. Eu daria uma nota Miami até pior do que C-, mas temos que pensar sobre o que aconteceu no ano passado. O Miami teria que montar uma nova Linha Ofensiva para proteger Ryan Tannehill, e com os quatro melhores tackles já draftados (assim como CJ Mosley e Ryan Shazier ), eles não tinham muita escolha. Eu só queria que Miami tivesse trocado para baixo. 
  • 063: Jarvis Landry, WR – LSU. Nota: B-. O Dolphins mostrou um interesse em recebedores antes do Draft, e é fácil perceber porquê. Eles não tinham nada além da inconsistente dupla Mike Wallace e Brian Hartline. Isso não é mais o caso, como Jarvis Landry vai entrar em cena e provavelmente se tornará novo receptor no slolt da equipe. Isso pode ser considerado um reach, mas não é nada chocante. 
  • 067: Billy Turner, OT - North Dakota State. Nota: B. O Dolphins não perdeu tempo para prosseguir a reconstrução de sua OL. Billy Turner é um habilidoso jogador que deve/pode ser capaz de contribuir desde o começo e capaz de fazer o torcedor esquecer dos ( diversos ) problemas no ano passado. Turner tem números para ser considerado um upgrade, mas pode-se dizer isso de diversos tackles. Eu realmente coloquei Turner sendo draftado pelo Miami na terceira rodada no meu Mock Draft, então eu acredito que essa é a faixa certa para ele. 
  • 125: Walt Aikens, CB – Liberty. Nota: A-. Alguém em nossa equipe implorou que o Dolphins adicionasse mais altura na secundária. E o time conseguiu isso com o Walt Aikens. Cortland Finnegan está programado para ser Starter, mas parece que tem "área de desastre " escrito sobre ele. Mesmo sendo uma pick de quarto roud, Aikens pode acabar deixando Finnegan no banco em algum momento nesta temporada. 
  • 155: Arthur Lynch, TE – Georgia. Nota: B. O Dolphins teve que encontrar outro alvo de linha para Ryan Tannehill. Arthur Lynch faz sentido no quinto round. Esta não é uma ótima escolha, mas faz muito sentido. 
  • 171: Jordan Tripp, OLB – Montana. Nota: A. Esperava-se que o time escolhesse um linebacker muito mais cedo do que isso - talvez até no primeiro round. Demorou demais, mas ajuda que Jordan Tripp oferece torna-o um grande valor. Tripp provavelmente deveria ter sido escolhido bem antes, provavelmente nos Rouds 3-4. 
  • 190: Matt Hazel, WR – Coastal Carolina. Nota: B. Mais profundidade na recepção faz algum sentido. O round também é certo, como Matt Hazel era visto como uma perspectiva de 6-7 round. Eu não me sinto satisfeito sobre esta escolha, de um jeito ou de outro. 
  • 234: Terrence Fede, DE – Marista. Nota: B. Terrence Fede ia gerar uma boa quantidade de interesse se virasse um UDFA, por isso os Dolphins só queria pegá-lo antes do fim do Draft. Uma quarta opção para atuar como DE era uma necessidade para Miami.

Qual a finalidade de um Blog?

Botando a boca no trombone...
Este Blog existe para passar uma visão, pessoal, do que acontece com o Dolphins. E sendo pessoal é natural que pessoas gostem ou não daquilo que é postado. É natural haver discordâncias. E elas existem aqui também. E isso faz parte.

Aos que porventura tenham entrado no Blog recentemente, existe uma briga antiga ( desde 2012 ) entre eu e quem defende Ryan Tannehill. Os dois lados não abrem mão de suas opiniões. Quem quiser esperar que ele seja o novo Joe Montana faz isso porque quer, não porque existem motivos para isso. Eu acredito piamente que ele nada mais é do que um QB fraco. Nada além disso. Ele até aqui nada fez para me mostrar o contrário. Por conta deste debate sem fim é que eu fui excluido da Comunidade do Miami Dolphins Brasil no Facebook. E não sinto falta, afinal se não me querem por lá, problemas deles... ainda mais por não terem conseguido conviver com o contráditório...

Ano passado, quando o time precisava vencer um jogo para ir a post-season ( antes do jogo contra o Bills ) ele sumiu. Nada fez naquele dia. E, por obra do acaso, o time voltou a precisar de uma vitória diante do Jets em casa e uma derrota do Ravens. E o Ravens perdeu!!! Só que o nosso QB lançou 3 Interceptações. E a temporada foi pro ralo. Quem defende ele, acha o contrário e sempre encontra uma desculpa: a OL, os WRs, o Coordenador Ofensivo, o Flávio... tudo é desculpa.

Eu posso estar errado? Sim, posso. Mas não é no que acredito e existem motivos para isso. Qual é a chance dele virar um QB Top 10 ao menos? Uns 5%? Enquanto ele não demonstrar o contrário, eu vou ficar com a minha opinião. Quem defende não é obrigado a aceitá-la, é óbvio. Não quero mudar a opinião de ninguém. Apenas sigo a minha, até o fim.

Não apaguei - nem o farei - os posts das pessoas que - alguns até asperamente - me criticaram. Tento conviver com o contraditório. E o Blog seguirá na mesma linha.

Seguirá porque o time segue sem um rumo, sem time e sem perspectivas de melhoras. Não só porque não tem QB. O time tem falta de jogadores que possam fazer diferença, os chamados playmakers. E seguirá tendo-os advindos da Free Agency. Time vencedores costumam ter atletas escolhidos no Draft. Não é e nem será´o nosso caso nesta temporada.

Quem quiser ler e criticar será sempre bem vindo. Respondendo a pergunta lá de cima a resposta só pode ser uma: polêmica. 

E quem quiser fazer um texto contrário, o meu e-mail é flaviojvieira@yahoo.com.br

Draft 2014: A classe da redenção?

Estes são os escolhidos. O que esperar deles? 

Como dito antes, Draft e Miami não se dão bem. Ano após ano sempre temos do que reclamar. O dessa temporada fizemos de tudo um pouco: reach no primeiro round, acerto no segundo, reach no terceiro, trade down no quarto round ( até agora não sei o que time ganhou com ela ) e escolhendo um CB promissor, no quinto round ( mais ) um TE bloqueador e um LB interessante, depois outro WR ( pra quê?? ) e finalizou com um DE totalmente desconhecido. Uma coisa é certa: o Miami foi atrás de jogadores que possam - em tese, é claro - ajudar no elenco desde o começo da temporada. E passados longe de jogadores de Universidades famosas...

Mas vamos lá, a ficha de todos os 8 escolhidos:
  • Ja'Wuan James, OT - Tennessee. Vem para ser Starter como RT. Diversos analistas listaram ele como jogador para ser escolhido no segundo round. Contudo ele tem talento para ser, sim, um bom jogador. Mas que poderia ter sido escolhido mais tarde;
  • Jarvins Landry, WR - LSU. O time desceu bem no segundo round, angariando as picks que deixara de conseguir no primeiro. Landry tem todas as ferramentas para se tornar um terror para as defesas rivais atuando no Slot. Vai ver que Philbin percebeu que não pode contar com Brandon Gibson. Boa pick, talvez a única de toda a turma. Não por acaso foi a que recebeu a melhor nota dos analistas;
  • Billy Turner, OT - North Dakota State. Reach. É a palavra que mais ouvi sobre esta pick. E o Miami ainda gastou uma pick de quarto round para subir no draft e escolhê-lo. Omar Kelly acredita que o time vá usá-lo de RG. Se ele for Starter poderá não ter sido tão caro, mas se ele virar apenas mais um...;
  • Walt Aikens, CB - Liberty. Um bad boy? Pois é, quem diria que após doar BM19 pro Bears por ele ser, digamos assim, um má influència para Ryan Tannehill, o nosso Coach fosse permitir a entrada de alguém com problemas extra campo. Talvez ele tenha percebido que só com cordeirinhos seu lugar na NFL seria curto. Pena que talvez tenha aprendido a lição tarde demais. Aikins saiu de uma Universidade maior para uma desconhecida. Tem talento, é alto e pode ajudar bem a secundária;
  • Arthur Linch, TE - Georgia. Outro TE. Pois é... mais um. Depois de Michael Egnew ( 2012 ) e Dion Sims ( 2013 ) o time drafta outro TE. E mais uma vez um que mais bloqueia do que recebe passes. Porquê? Preciso responder mesmo?
  • Jordan Tripp, OLB/ILB - Montana. Um jogador que tanto pode jogar como Inside e Outside linebacker. Tem talentos para compor o Special Team. Pode tornar-se útil e se conseguir colocar o Phillip Wheeler no banco terá valido o draft inteiro. Embora se isso acontecer será mais pela falta de qualidades do Starter atual...;
  • Matt Hazel, WR - Coastal California. A pergunta básica é: porquê? Ou seria melhor: pra quê? Com tantas posições carentes, o time vai e escolhe outro WR? E mais um jogador de Universidade desconhecida.. Pouco, óbvio, sabe-se dele. Se sobreviver ao corte dos 53 já será algo louvável...;
  • Terrence Fede, DE - Marist. Pois é... nos EUA esse nome nada significa. Aqui no Brasil... piadas a parte, ele é outro que vem de uma Universidade altamente desconhecida. Daquelas que ninguém ouve falar, nem em semana de Draft... Qualquer coisa que ele consiga além de ficar no elenco pra temporada já é lucro;
Esta é a turma. Estes são os nomes. Estes são os candidatos da vez para serem a Classe da Redenção. Alguém acredita que sejam eles? A caixa de comentários é toda de vocês...