sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Armando Salguero descobriu que Russell Wilson poderia ter sido nosso QB. E não foi por falta de aviso

Sinceramente, não tem como não ficar com raiva ao ficar sabendo dessa história...
Armando Salguero é um dos melhores insiders do Dolphins. Omar Kelly é o outro. Leio quase todo dia o que eles postam, porque eles são os melhores. Obviamente discordo deles quanto ao nosso QB... pois é, Quarterback. A história que Salguero trouxe a tona é de matar de raiva... goste você ou não de Ryan Tannehill como Starter do Miami Dolphins.

O busílis é o seguinte: antes de ir atrás de Jeff Fischer ( que acabaria por nos ignorar para assinar com o Rams e não fazer grandes coisas por lá até agora ), o time conversou seriamente com um Coach da NCAA, de uma Universidade fora do radar. Seu nome? Bret Bielema. Sua Universidade? Wisconsin. Esse nome lhe lembra algum QB? Bom, se você pensou no cidadão com o Lombardi nas mãos, acertou. 

Bielema foi contactado por Jeff Ireland e, segundo Salguero, estava em vias de acertar a contratação. Porque não rolou? Ele não abriu mão de ter Russell Wilson como o QB de Miami, sugerindo que o time escolhesse Wilson no segundo round.  Segundo ele o time venceria um Super Bowl em no máximo 5 anos se fizesse tal escolha. Acontece que, outra vez segundo apurou Salguero, o time já tinha decidido que o QB seria Tannehill e Ireland não quis draftar dois QBs. 

Além disso Ireland recriminou Bielema dizendo que essa é a diferença entre um Coach de Universidade e um da NFL. Isso vindo de quem teve a ousadia de preterir Dez Bryant porque a mãe deste supostamente seria uma prostituta, deixa claro o porque desta franquia conseguir nos fazer sofrer ano após ano a mais de uma década.

Se seria ou não um grande HC eu não sei, mas ele tem visão de futuro...
Essa informação, por si só, já seria de dar raiva. Mas tem mais ( com o Dolphins errar nunca é demais ): Bob Griese, QB Hall of Fame, sugeriu que o time draftasse Wilson. Ou seja, não bastou ignorar o QB uma vez, tivemos que fazer isso duas vezes!!! Claro que olhando seriamente para a situação atual soa como piada, Tannehill JAMAIS será um Russell Wilson. E vejam que Bielema entende bem do riscado, porque Wilson pode conquistar o seu segundo Lombardi ( em 3 temporadas como Starter ) no domingo. E o Miami não vai ao Super Bowl nos próximos 2 anos ( eu aposto isso com quem quiser, a menos que o time arrume um QB decente é claro ) e talvez nunca mais volte ao grande jogo.

Assim fazem-se franquias vencedoras e por isso temos franquias derrotadas. Nem preciso citar em qual categoria ficamos. Além disso, não sei você amigo leitor, mas essa eu preferiria nunca ficar sabendo que acontecera. Isso faria-me sofrer menos, apenas quando o time entrar em campo para ser medíocre. Domingo, ao ver Wilson eu ficarei com muito - mas muita mesmo - raiva de Ireland e Ross...

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

O que e onde economizar nesta off-season

Tem como aumentar o Salary Cap...
O grande assunto até o dia 10 de março será com quem iremos renovar ou não, quem vai sair livre e quem vai chegar. Mas tudo isso dependerá de como usarmos o CAP. Temos jogadores com contratos grandes que podem ser cortados e, eventualmente, aumentar o espaço no que podemos gastar. E o Miami está - neste momento - apenas - 1,6 milhões abaixo do limite. Teremos, portanto, que re-estruturar salários e cortar jogadores. Abaixo os jogadores com salários grandes e que podem render algum espaço no Cap...


  • Mike Wallace - Existe um burburinho em Miami de que ele deve ser cortado. Claramente, isso não é algo unânime. Se o conseguisse alguém para um troca ( praticamente impossível pelo contrato dele ), o time economizará cerca de $ 5,5 milhões dólares mas, por outro lado,  vai custar a equipe de $ 6,6 milhões de dinheiro morto. Sem troca, restam duas opções de corte: antes e depois de 01/06. Se escolhermos cortá-lo após a equipe libera $ 6,9 milhões ( com $ 5,2 milhões de Dead Money ). Se cortamos ele antes, o time só consegue livrar $ 2,5 milhões ( com $ 9,6 milhões de dinheiro morto ). Uma outra opção seria re-estruturar o seu contrato, aliviando o seu peso para estar temporada no CAP ( mais de $ 12 milhões ). Contudo isso apenas postergaria o problema para outra temporada.
  • Brian Hartline - Decepção. Essa é a palavra para definir a temporada de B-Hart. E se não cortamos Wallace, é quase certeza de que ele será cortado. E o motivo é bem claro : o time livra quase $ 6 milhões com a ação ( ficando com $ 1,4 milhões de dinheiro morto ) se for feito após 01/06. Antes não valeria a pena ( $ 4,2 milhões de dinheiro morto e economizar $ 3,1 milhões ). Contudo, ele estaria mais propenso a uma re-estruturação de contrato do que Wallace. Não serão muitas equipes a pagar alto para ter um WR que teve um 2014 decepcionante. 
  • Brandon Gibson - Imaginemos o impossível: Wallace e Hartline aceitarem re-estruturações, o que fazer com Brandon Gibson? Resposta é fácil: cortar. Ele tornou-se dispensável com a ascensão de Jarvis Landry.  Com o corte o time livra mais de $ 3,2 milhões com apenas 1 milhão de Dead Money. Tem o que pensar?
  • Cortland Finnegan - Como cortar um CB de nível sem ter alguém no elenco que possa assumir o lugar? Que tal se com o corte o time livrar $ 5.4 milhões ( com apenas $ 1 milhão de dead money ). E importante: tanto faz se antes ou depois de 1º de julho. Outra coisa que pode facilitar, é que ele estaria considerando até a aposentadoria, depois de tantas lesões. Em termos de Cap, tanto faz cortar ou ele aposentar-se, dá no mesmo.
  • Randy Starks - Como é dura a vida na NFL: ano passado Starks poderia ser um dos maiores free agents, mas o time o manteve. Agora parece um peso dentro do elenco.  Caso o time decida cortá-lo, em qualquer momento, vamos economizar $ 5 milhões ( com $ 1 milhão em dinheiro morto ). Prefiro manter Jared Odrick do que Randy Starks. Assim é a vida...
  • Dannell Ellerbe - Bom, com o advento de Jeilani Jenkins, Ellerbe virou um jogador que sobra no elenco. Ele, creio eu, só ficaria no elenco se aceitasse uma re-estruturação forte no seu ( mega ) contrato. Não parece-me que ele vá aceitar isso. Se for cortado antes de 01/06 o time salvaria $ 5,6 milhões ( mas com pesados $ 4 milhões em dinheiro morto ). Se o corto for após 01/06 ai o cenário é bem mais favorável, com apenas $ 1,4 milhão de dinheiro morto.
  • Nate Garner - Quanto vale manter um back-up para a linha ofensiva? Bom, se as opções aos Starters forem do nível de um Dallas Thomas talvez valha a pena. Se o cortarmos, a economia seria de $ 1.6 milhões com apenas $ 166 mil de dinheiro morto. Ai fica mais fácil decidir, não é mesmo?
  • Phillip Wheeler - O grande erro final de Jeff Ireland ( talvez seja Dion Jordan, páreo duro com certeza ), mas enquanto o DE/OLB vindo de Oregon custa pouquíssimo contra o Cap, Wheeler... Bom se o cortamos antes de 01/06, o time só livra $ 200 mile fica com $ 4,2 milhões de dinheiro morto. Acontecendo depois, a economia será de $ 3 milhões, com $ 1 milhão em dinheiro morto. Alguém sequer tem dúvida do que será feito?
Realizando todos os cortes e/ou re-estruturações o time poderá ter até $ 32 milhões para gastar. Contudo, no ano que vem o time teria menor Cap para acomodar o nosso "espetacular" QB...

Bom, isso é assunto para outro dia...

domingo, 25 de janeiro de 2015

Motivos para entender porque o Miami não vai para frente - Parte 1





As imagens acima representam as duplas de Widereceivers das 32 franquia e quanto elas custaram para o Cap dos times na temporada 2014. O Miami, que coisa, é disparado o primeiro, mais de 6 milhões na frente do segundo colocado, que tem um All-Star no elenco. Já nós...

Acho que fica fácil entender bem o porquê de nós não conseguirmos ir para a post-season, não é mesmo?