quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

A contusão de Tanhehill não é tão grave... e isso pode dirimir uma dúvida.

Cena triste demais essa no domingo...
Ryan Tannehill é, provavelmente, o mais contestado Quarterback titular de uma franquia da NFL. Vá lá que Jay Cutler também o seja, mas o Bears não o draftou e sim o adquiriu via trade. Dos QBs da classe de 2012, tirando RGIII que se quebrou, ele é menos vencedor com certeza, nunca foi a post-season. Desconsidero nesta análise Brock Osweiler, que fez uma temporada enganosa com os Broncos e agora sofre com os Texans ( ou o time sofre com ele ) e Brandon Weeden, selecionado pelo Browns e que está - curiosamente - nos Texans. Todos os outros ( Russell Wilson, Andrew Luck, Nick Foles e Kirk Cousins ) tem mais sucesso do que Tannehill. Isso se Osweiler não conseguir levar os Texans aos playoffs e deixar ele para o sexto posto.

A contusão dele no domingo parecia mais grave, mas mesmo assim ele talvez não volte mais neste ano. Ao invés de rompimento dos tendões ele teve uma grave torção e não terá que passar por cirurgia que normalmente interfere na mobilidade do jogador. Alguns analistas falam que ele pode voltar na post-season, mas isso ainda é mais uma possibilidade distante. E não só porque teremos dificuldades de conseguir a vaga, é claro. Mas sua contusão pode resolver de vez uma dúvida: o time joga o máximo possível com ele ou poderia ir mais longe com outro QB?

E como essa resposta poderia ser respondida com Matt Moore de Starter? Simples: se o rendimento for o mesmo, ou ligeiramente abaixo, teremos que tanto faz ele ou Tannehill no time. Se o rendimento for ligeiramente superior ficaremos na dúvida, afinal poderia entrar o fato emoção na equação. Mas Moore for muito abaixo ou acima ai sabemos realmente qual o papel de Tannehill neste time. E ficaremos sem Moore para 2017 com certeza, tenha ele um desempenho para cima ou para baixo. Afinal, como manter alguém brilhe e seja FA? Ou porque manter um backup caro e ele não responder quando o time mais precisar? Em todo caso, eu usaria uma pick de draft para trazer alguém para - de fato - competir com ele ano que vem... mas ai me lembro que temos apenas 5 picks. 

Essa dúvidas serão dirimidas a partir deste sábado, às 23:15 com transmissão da ESPN. Seja qual for a resposta que tenhamos, Ryan Tannehill será o Starter em 2017. Mas o que iremos esperar dele poderá - ou não - ter mudado.

Nenhum comentário: