quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Que tal falarmos de post-season?

Será que este ano vai?
Está cada vez mais difícil não olhar para Janeiro e não nos ver jogando lá. Ainda temos seis partidas, podemos até mesmo ficar ainda com saldo negativo, mas dessa vez parece que algo de fato está acontecendo. Mesmo que não seja neste ano, em 2017 com as adições corretas ( LB e um QB ) este time pode dar - enfim - o grande salto. Mas ainda temos este ano e temos que pensar no que precisamos fazer para chegarmos onde tem 7 temporadas que pisamos. Antes, a divisão que, acreditem ou não, está ao alcance:


Com a derrota do Patriots no Sunday Night, temos agora uma divisão ao alcance. Não estou cantando que iremos vencer o Pats na última partida da temporada e ficar com o título, mas sim que temos direito de pensar nisso. O detalhe importante é que o ranking dentro da divisão é o mesmo ( 2-1 ) e se derrotarmos os Pats zeramos o confronto. Neste caso, se terminarmos empatados e iríamos para o desempate. Em todo caso, se ficarmos com a mesma campanha do Pats e não ganhemos a divisão, estaremos com 11-5 ou 10-6, o que já será espetacular. Agora olhemos as vagas do Wild Card:


Hoje o Miami é o primeiro fora. Pode parecer frustante, mas eu acho isso ótimo. Porque quem em sã consciência acharia que o time teria saldo positivo agora, tendo passado o carro em Steelers e Bills? Tendo vencido - de forma dura - Jets e Chargers? Acho que ninguém. Dito isso, temos que lamentar que Chiefs e Broncos tenham virado suas partidas contra Panthers e Saints, respectivamente, porque ainda estamos 2 jogos atrás de ambos ( bem como do Raiders ). Só que o Broncos ainda não cumpriu sua bye week e por isso, na prática, estamos apenas uma vitória atrás. E com Trevor Siemian oscilando como tem feito, nada é impossível.

Claro que tudo depende de conseguirmos - ao menos - mais 5 vitórias, porque com 4 o time ficaria com 9-7. Com 10 vitórias as chances de post-season ficam bem próximas e mesmo que sejamos punidos por derrotas como as que tivermos para o Titans, quem vai reclamar de uma temporada com 10 vitórias? Eu mesmo não irei... Sete partidas. Sete é a chamada conta do mentiroso. Sete partidas precisando vencer, pelo menos cinco. Será que dá? Lembrando mais uma vez contra quem, onde e quando serão estas partidas:


Já disse antes e vou repetir: a chance é vencer os mais "fáceis" ( Rams, Niners, Jets e Bills ) e ver o que consegue contra os mais "fortes" ( Ravens, Cardinals e Patriots ). Contra o Pats, a mais distante das 7 partidas, pouco pode ser dito, porque podemos tanto termos chances de vencer a divisão como ter mais derrotas do que vitórias. Mas de uma coisa eu sei: se o time de Bill "larápio" Belichik estiver tranquilo quanto ao Seed 1 ou já campeão da divisão e não tiver mais nada para brigar, ele poderá poupar jogadores como ano passado. Mas se o jogo valer algo para eles, BB colocará força máxima, tenha, certeza disso. 

Bills e Jets encaramos fora, e o segundo já está fora com 3-7 e o primeiro quase com seu 4-5. Chances reais de estarem nem ai para a temporada quando os encararmos, a não ser nos ferrar é claro. Cardinals não tem atuado bem, mas é perigoso. O Ravens tem oscilado muito, mas lidera a sua divisão no momento e isso tem que ser levado em conta, assim como nosso desempenho fora de casa contra eles. Niners é aquele adversário para o qual adoramos nos complicar nessas situações ( lembro do ano que vencemos o Packers e perdemos pra Browns, Lions e Bills ). Espero que dessa vez superemos uma equipe como os Niners.

E deixei por último o próximo rival, o Rams que vence mais partidas quando não marca TD ( 2-1 ) do que quando marca ( 2-4 ). Time oscilante a tal ponto de que finalmente colocará o QB rookie Jared Goff para jogar e... bom, isso pode ser um problema porque não teremos parâmetro para ele, a não ser as partidas na NCAA. Vai que ele arrebenta em seu debut na NFL e logo contra nós? Coisa típica, não é mesmo? Tomara que, assim como diante de Bills e Jets, essa seja a nossa temporada de vencer partidas esquisitas. 

Temos uma chance real de post-season. Depende do time consegui-la. Se iremos ou não, é outra conversa. Mas não podemos negligenciar que, jogando como estamos, falar em post-season não é mais devaneio. Pode, ainda, não ser uma realidade forte, mas deixou de ser loucura. E isso já está valendo a temporada, mesmo que - mais uma vez - o time fique de fora ao final. Porque temos algo para melhorar ano que vem e não apenar consertar. 

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Cameron Wake está pegando fogo...

Wakezilla está de volta, te cuidem QBs!!!
Eu não escondo de ninguém que meu jogador preferido é Cameron Wake. Pela lealdade ao time - jamais forçou trade e até redução de salário aceitou - ou pela entrega em campo, ele é a cara de franquia no seu período mais cruel da história. Raramente reclama - só quando as coisas realmente extrapolam qualquer limite do aceitável - treina dura, ajuda companheiros e é querido por todos. Jamais se envolveu em qualquer tipo de escândalo e joga demais. Quando se aposentar terá o seu nome no estádio com toda certeza. Não vai pra Canton, Ohio, apenas porque deve ficar sem anel de campeão de Super Bowl.

E ele está detonando em campo. Foram nada menos do que 6 sacks nas últimas 4 partidas, isso para quem tem 34 anos e que vinha de uma séria contusão. E não tem Quarterback que fiquei tranquilo quando o enfrente. Ontem foram 2 sacks e mais 3 pressões em Rivers, que claramente teve que apressar seus passes e com isso... vieram as interceptações. 

Wake mostra o quão ótimo jogador é, para mim - disparado - o melhor do elenco desde muito tempo. E que está com sangue nos olhos, doido para levar este time - nem que seja só uma vez - a post-season. E a chance está batendo na porta e Wakezilla está fazendo a parte dele. Que os outros continuem se inspirando no vovô da defesa e façam, igual a ele, 110% em campo, É o mínimo.

O Tannehill de ontem é um Quarterback Top Ten?

Ele atuou como o Top Ten ontem?
Não tem como, ele sempre é assunto. Quando joga mal ( o que mais acontece ), quando é neutro ( muitas vezes ) ou quando joga bem ( pouquíssimas vezes ). Ryan Tannehill jamais passará imperceptível em qualquer partida do Miami, como acontece com poucos QBs na Liga. Por isso eu vou logo responder a pergunta título do post: não, não é.

Primeiro porque um QB Top Ten teria destroçado os Chargers ontem no quarto período, com tantos turnovers ofensivos dos Bolts. Foram duas posses comandadas por Tannehill que terminaram em 3 jogadas e punt. Claro que teve o punt muffed de Jakeem Grant, mas o ataque simplesmente não andou. E não fossem as interceptações, o Chargers é que teriam vencido. Além dos dois drives citados onde ficamos apenas no Punt, teve o do Field Goal com um passe fantástico - é verdade - de 60 jardas para DeVante Parker, onde ele tomou uma senhora pancada. Mas chegando na Red Zone o time falhou e ficou apenas com 3 pontos. Um Top Ten teria conseguido o TD. Teria...

Segundo porque os números dele seguem baixos para o que se espera de um QB Top Ten. Alguns conseguem muitos TDs, outro são espetaculares nas terceiras descidas, outros matam os adversários nos Turnovers e ainda tem 2 ou 3 que fazem tudo isso.  Ele teve uma das melhores atuações da carreira ontem - FATO - mas mesmo assim quem o colocaria no Top Ten por isso? Praticamente ninguém. Não é o caso de dizermos que o time venceu APESAR dele, isso não é verdade, mas não vencemos POR CAUSA dele. Apenas isso.

Terceiro porque, jamais me esquecerei disso, o que mais diziam em defesa dele era que não rendia por falta de uma OL. E ele agora tem uma, mesmo que Ja'Wuan James esteja tendo um temporada abaixo do que deveria, e mesmo assim seu desempenho não melhora na mesma proporção do de Ajayi. Apenas um sack ontem, embora tenhamos que admitir que ele foi bem pressionado tendo, inclusive, tomado algumas pancadas bem duras. Duas delas aliás, em jogadas cruciais para a vitória do time. Mas falta aquele algo a mais, que jogo após jogo vai ficando claro que ele não tem. Contudo, preciso admitir, ele também não tem atuado com o pereba que eu imaginava e que ele próprio mostrava em campo. Mas não é um Top Ten...

Melhor protegido e com um jogo corrido minimante bom, ele tem ficado fora das interceptações. E isso é bom, mas ele lançava antes quase 2 Tds por partida, portanto a média não está melhor com, enfim, uma proteção. E nem o jogo corrido tem feitos tantos TDs assim, ontem mesmo foi apenas 1. A média de jardas tem caído em relação aos anos anteriores, porque ele tem lançado menos passes, mas não tem acertado percentualmente mais passes. Tudo isso pesa.

Claro que ninguém é maluco de sonhar, após 4 temporadas meia-boca, que ele viesse com 40 TDs e 4.5k jardas, mas eu simplesmente não consigo ver a tão sonhada subida de produção. Ontem, e não tem como dizer o contrário, o time venceu porque a defesa fez o trabalho pesado, negando a Rivers um TD na End Zone e com outras 3 Interceptações, todas no quarto período e com uma retornada para Touhdown. Aliás, eu não sei se já tinha visto isso antes na minha vida.

Eu não acho que ele esteja jogando mal, quero deixar isso bem claro. Mas também não está sendo o Quarterback que muitos achavam que ele seria quando recebesse uma OL e nem tem a evolução que muitos acharam que ele teria com Adam Gase. Ele precisaria jogar mais para que fosse de fato o Franchise QB que muitos acham ( ou achavam ) que ele seria. É o caso de draftar outro ano que vem na primeira rodada? Se sobrasse alguém na escolha com perspectivas melhores do que ele agora, sim. Se não, deixa ela e fortalece a defesa que já seria o suficiente para o time voltar a brigar consistentemente por playoffs. 

Só que para ir além, o Quarterback terá que ser outro. A menos que nossa defesa chegue num nível igual Broncos ou Seahawks... ai poderemos vencer com ele no time. É o que penso.

Week 10: Dolphins 31 x 24 Chargers - Estamos na briga!!!





A partida no Qualcomm Stadium era vital para as nossas pretensões na temporada. E o resultado - não a atuação geral em si - foi excelente. Vencemos os Chargers interceptando Phillip Rivers 4 vezes ( nem lembro qual a última vez em que tínhamos feito isso ) e ganhando aquelas partidas que nos últimos nos acostumamos a perder. Aquele tipo de partida em que, invariavelmente, víamos o adversário vencer ou nós simplesmente entregar a vitória para eles. Ontem não...

O primeiro tempo foi, praticamente, todo do Chargers. Estavam liderando por 10x0 e nada parecia dar margem para uma vitória. Foi quando Ryan Tannehill fez o que, às vezes, ele consegue: o passe impossível. Numa conexão de 39 jardas, e tomando porrada no momento do passe, ele achou Kenny Stills na End Zone para deixar o placar ao alcance do time. Nosso Head Coach Adam Gase deve ter se esforçado em suas orientações no intervalo, mas elas só valeram em partes.

A defesa veio melhor no terceiro quarto, conseguindo bons lances e parando o ataque do Chargers, até que uma corrida Melvin Gordon colocou o time na Red Zone e Rivers não perdoou, acertando um passe para o TE Hunter Henry fazer 17x14. O ataque fez sua parte nesta quarto, primeiro virando a partida numa corrida de Damien Williams e depois num drive longo que culminou em outro TD de Williams, mas este de passe de Tannehill. O placar era, neste momento 21x17. E ai veio o último quarto...

Em retorno de Punt, o honorável Jakeem Grant soltou a bola e deixou o Chargers em ótima situação para virar a partida. Rivers tentou o passe no canto da end zone e... Tony Lippett fez a interceptação!!! Mas o ataque parou e veio outra campanha do Chargers e na pressão próxima da própria end zone, Rivers tentou um passe longo e... Byron Maxwell fez a interceptação!!! E o ataque mais uma vez parou. E ai Rivers comandou o drive que colocou o time na frente, com uma falha grotesca da defesa, onde todo mundo errou. É o preço que se paga quando deixa-se um QB como Rivers ter chances seguidas para vencer a partida. Mas ainda tinha tempo... mas Tannehill comandado? Pois é...

Ele pegou a bola e no primeiro passe do drive, mandou nas mãos de DeVante Parker para 56 jardas, tomando uma senhora porrada depois de soltar a bola. Conseguimos andar com alguma dificuldade - fruto de uma atuação apenas normal de nosso RBs - e Andrew Franks chutou um FG fácil empatando a partida em 24x24. Tannehill merece créditos por esse drive. Mas o jogo ainda não tinha acabado.

Faltando pouco mais de um minuto e com a bola no meio de campo, precisando de poucas jardas para posicionar o Kicker para ganhar a partida, Rivers tinha a certeza da vitória. Com a defesa do Dolphins cansada pelo tempo em campo, a derrota parecia certa. Até que... Kiko Alonso resolveu fazer a jogada defensiva da temporada até aqui: saiu da posição em que estava no Front Seven e recuou para marcar os receivers e fez a interceptação e ainda retornou para Touchdown decidindo a partida. Abaixo o lance:


Sessenta jardas para a vitória. Quantas vezes nós vimos lances assim resultarem em derrotas nestes anos? Nem sei e nem quero contar, mas foram muitos. Ontem, finalmente, nós estávamos do lado vitorioso e isso não tem preço. Isso quer dizer que um novo tempo, enfim, chegou? Não sei ainda, mas isso é indício forte. Com 5-4 temos chances boas de conquistar um vaga na post-season, mesmo que Broncos e Chiefs tenham vencido suas partidas em viradas que pareciam improváveis, e agora tem - ambos - sete vitórias. Mas no final do domingo ainda teve outro alento: em partida emocionante, o Pats caiu em casa(??) pro Seahawks e também estão com 7-2, nos deixando em condições de - atenção - sonhar com a conquista da Divisão.

Por hora, vamos com calma. Ainda estamos duas vitórias atrás de quem é dono das vagas na Post-Season via Wild Card. Mas só de vencer uma partida onde normalmente teríamos perdido é muito animador. Depois eu faço um post sobre as atuações, mas por hora vamos saborear a vitória. Pois domingo iremos outra vez a Costa Oeste encarar o Rams.

domingo, 13 de novembro de 2016

Week 10: Dolphins at Chargers - Para mostrar que podemos brigar

Embate entre equipes que buscam voltar aos playoffs depois de muito tempo
Sonhar é algo que vai de cada um. Eu mesmo não estou - ainda - cantando bola de post-season porque sei bem o quanto este time gostar de nos machucar ano após ano. Mas neste momento não é incorreto dizer que temos uma chance de mudar isso. E para tanto temos que bater os Chargers dentro Qualcomm Stadium.

O time tem 4-4 e neste momento só dois times tem mais vitórias do que nós, ambos da AFC Oeste: Chiefs (6-2) e Broncos (6-3). Vencer significa ficar com retrospecto positivo pela primeiro em muito tempo e, contando com sorte, poderemos ficar uma vitória atrás dos dois times. Não estamos com vaga agora, mas precisamos vencer primeiro e depois pensar nos outros.

Para vencer precisaremos do nosso jogo corrido que está quente nas últimas semanas. Se o nosso QB seguir longe das Interceptações melhor ainda e talvez seja pedir demais para ele lançar uns TDs. A nossa defesa precisa ficar atenta a Phillip Rivers que costuma usar bem as big plays. Tendo todo o cuidado com ele e sendo eficazes na pressão é possível vencer. Mas será necessária - outra vez - uma atuação no limite e sem erros.

Disso depende o que poderemos esperar na temporada...