sábado, 17 de dezembro de 2016

É vencer os Jets ou esquecer Post-Season

Uma das batalhas que pode decidir a partida...
Jets x Dolphins é tipo um FlaxFlu: tudo muda porque é um clássico maior do que a divisão. Sim, o maior clássico da AFC Leste é Miami x NY, tenham certeza disso. E quando eles se encaram, pouco importam as classificações dos times, eles jogam 110% para vencer o adversário. E é o caso nesta noite...

Os Jets não tem mais nada para fazer na temporada além, é claro, atrapalhar a nossa vida. Estamos com 8-5 e com mais 3 vitórias temos certa a vaga na post-season. Mas para vencer 3 temos que vencer a primeira, certo? E somos melhores do que o rival, mas lembrem-se que é clássico. Do lado do mandante, eles tem BM19 e um jogo corrido decente, além de uma defesa que mesmo não vivendo seus melhores momentos merece respeito. A OL deles não está em alta, mas não é uma porcaria com certeza. Merecem respeito e teremos que jogar bem para vencê-los.

Do nosso lado o time pode contar com quase todos seus jogadores chave, menos Tannehill e Pouncey. Que devem perder mesmo resto da temporada. No mais Parker, Albert, Tunsil... Jay Ajayi precisará ter uma boa atuação, assim como o trio Landry/Parker/Stills. Do lado defensivo Cameron Wake e cia precisarão conter o jogo corrido e torcemos que Byron Maxwell não ser fritado por Brandon Marshall. 

Vencendo teremos chances mais palpáveis para irmos a post-season. Perdendo, as chances praticamente desaparecem de jogarmos em Janeiro. 

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

A contusão de Tanhehill não é tão grave... e isso pode dirimir uma dúvida.

Cena triste demais essa no domingo...
Ryan Tannehill é, provavelmente, o mais contestado Quarterback titular de uma franquia da NFL. Vá lá que Jay Cutler também o seja, mas o Bears não o draftou e sim o adquiriu via trade. Dos QBs da classe de 2012, tirando RGIII que se quebrou, ele é menos vencedor com certeza, nunca foi a post-season. Desconsidero nesta análise Brock Osweiler, que fez uma temporada enganosa com os Broncos e agora sofre com os Texans ( ou o time sofre com ele ) e Brandon Weeden, selecionado pelo Browns e que está - curiosamente - nos Texans. Todos os outros ( Russell Wilson, Andrew Luck, Nick Foles e Kirk Cousins ) tem mais sucesso do que Tannehill. Isso se Osweiler não conseguir levar os Texans aos playoffs e deixar ele para o sexto posto.

A contusão dele no domingo parecia mais grave, mas mesmo assim ele talvez não volte mais neste ano. Ao invés de rompimento dos tendões ele teve uma grave torção e não terá que passar por cirurgia que normalmente interfere na mobilidade do jogador. Alguns analistas falam que ele pode voltar na post-season, mas isso ainda é mais uma possibilidade distante. E não só porque teremos dificuldades de conseguir a vaga, é claro. Mas sua contusão pode resolver de vez uma dúvida: o time joga o máximo possível com ele ou poderia ir mais longe com outro QB?

E como essa resposta poderia ser respondida com Matt Moore de Starter? Simples: se o rendimento for o mesmo, ou ligeiramente abaixo, teremos que tanto faz ele ou Tannehill no time. Se o rendimento for ligeiramente superior ficaremos na dúvida, afinal poderia entrar o fato emoção na equação. Mas Moore for muito abaixo ou acima ai sabemos realmente qual o papel de Tannehill neste time. E ficaremos sem Moore para 2017 com certeza, tenha ele um desempenho para cima ou para baixo. Afinal, como manter alguém brilhe e seja FA? Ou porque manter um backup caro e ele não responder quando o time mais precisar? Em todo caso, eu usaria uma pick de draft para trazer alguém para - de fato - competir com ele ano que vem... mas ai me lembro que temos apenas 5 picks. 

Essa dúvidas serão dirimidas a partir deste sábado, às 23:15 com transmissão da ESPN. Seja qual for a resposta que tenhamos, Ryan Tannehill será o Starter em 2017. Mas o que iremos esperar dele poderá - ou não - ter mudado.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Por dentro dos números...

Pelo desempenho dos 3 passam nossas chances de post-season...
Vencemos e perdemos ao mesmo tempo ontem. As primeiras informações davam conta de que Ryan Tannehil teria sofrido rompimento dos ligamentos do joelho esquerdo, mas hoje isso foi descartado, mas ele teve uma torsão grave e, ao menos, está fora da partida contra os Bills. Pode, de fato, ficar de fora da temporada, mas não precisará de cirurgia o que já é muito animador.

Temos 3 jogadores com grandes números na temporada, 2 no ataque e um na defesa. São eles os motores do time em várias partidas nesta temporada e por eles passarão nossas chances de post-season:
  • Faltam 44 jardas para que Jay Ajayi possa alcançar uma marca e tanto: mil jardas. Isso para alguém que nem era Starter no começo da temporada e só participou de 12 das 14 partidas ( apenas 9 como titular ) é um feito e tanto. Vá lá que ele conseguiu mais de 400 dessas jardas em apenas duas partidas, mas ele tem feito um trabalho digno de nota com o que tem a sua frente ( e em apenas 4 partidas ele teve um Center a sua frente ). Além disso ele tem 7 TDs e uma impressionante média de 5 jardas por tentativa;
  • Jarvis Landry precisa de 77 jardas para superar as mil na temporada. Considerando que passou a ser melhor marcado, além da ascensão de Parker, o número será muito bom. Sem falar que Tannehill nem tem 3 mil na temporada, isso coloca que mais 1 em cada 3 foram dele. A parte ruim é que ele só tem 2 TDs até agora e isso precisa melhorar para irmos a post-season;
  • Uma falta boba impediu que Cameron Wake chegasse mais uma vez a marca dos 10 sacks em uma temporada. Seria ( e ele vai conseguir ) a quarta temporada da carreira acima da dezena de sacks e na carreira são 79,5, com a temporada de 2012 como a melhor delas ( 15 sacks ). Wake precisará destruir QBs para que possamos vencer 3 partidas e nos classificar para a post-season.
E ai, acha que outro jogador pode ser a chave para a post-season? Diga ai nos comentários...

Week 14: Dolphins 26x23 Cardinals - Se formos a post-season será sem Tannehill

o épico chute para vitória...
finalizando a excelente recepção de Kenny Stills
Wake e Branch fizeram das suas na partida...
E o lance que ninguém gostaria que tivesse acontecido...
A partida de ontem teve de tudo: emoção, cheiro de massacre, cheiro de derrota, extase espetacular no final, muito drama e chuva também. Mas teve um resultado que não será esquecido tão cedo: uma vitória da superação de um time ferido, com a saída de seu Quarterback. Pode-se gostar ou não dele ( eu mesmo não gosto ) mas Ryan Tanhnehill vinha atuando melhor nas últimas semanas, mesmo que tenha dado um passe tenebroso ontem e lançado uma interceptação ao seu melhor estilo, mas conseguira passar para 3 TDs. E como demonstrado na foto logo acima, foi vítima de um tackle maldoso e ilegal. Quarterbacks não podem ser acertados dessa maneira, porque quase sempre se machucam.

Ryan Tannehill está fora da temporada graças a essa ação, reforço, maldosa e agora teremos que chegar na post-season sem ele. Pelo o que mostrou ontem, Matt Moore parece capaz de conseguir isso, ao aproveitar-se de um excelente retorno de Jarvis Landry, para conseguir acertar dois passes e deixar o time em condições de vencer a partida. Tudo o mais que aconteceu na partida fica em segundo plano, até mesmo a vitória diante do drama vivido por todos nós. Não foi nada fácil ver Tannehill chorando na sideline, quando voltou do vestiário. Ele voltou para dar forças aos companheiros, mas o baque foi grande para todos. E o Cardinals quase se aproveitava do momento para vencer. 

Mas a raça deste time provou-se maior do que isso. Venceram por Tannehill e pelos torcedores. E que agora precisamos de todos para que possamos vencer Bills e Jets fora de casa e assim chegarmos - ao menos - até a última semana comandando nosso próprio destino. Bater os Pats sempre é algo mais no sentido do sonho do que da realidade, mas a vontade demonstrada ontem pode resultar em vitórias. 

Por fim, deixo a imagem que eu - admito - jamais irei esquecer quando pensar no dia 11 de Dezembro e que demonstra o quanto este time é unido:

Moore dava entrevista e recebe um abraço mais do que fraternal de Tannehill...

domingo, 11 de dezembro de 2016

Week 14: Dolphins 14x09 Cardinals - Show de horrores no Sul da Flórida

chuva torrencial no Hard Rock Stadium...
upa, lelê!!!
Um primeiro tempo onde aconteceu de tudo: cinco turnovers ( 3 interceptações e 2 fumbles ), chuva torrencial, passes bonitos e um passe candidato a ser o mais feio de toda a temporada. Podemos dizer que conseguimos conviver melhor com e sem a chuva e fizemos dois TDs ( Stills e Sims ), mas um Ajayi pouco efetivo em campo.

Do lado dos Cardinals, podemos dizer que eles não tem do que reclamar do placar, porque se o Miami fosse um time melhor poderíamos ter feito ao menos 28 pontos. Com isso o time de Arizona está na partida e pode sonhar com a virada no segundo tempo.

Em tempo, uma pergunta para o amigo leitor: de quem foi o candidato a pior passe da NFL? Será que você consegue adivinhar?