sábado, 31 de dezembro de 2016

Uma temporada, dois times...

Na semana 5 fomos surrados pelos Titans, ficando 1-4...
e devolver o placar em cima dos Steelers na partida seguinte e arrancar para 9 vitórias em 10 partidas
Normalmente quando um time fica com 3 derrotas a mais do que vitórias antes do meio da temporada, o ano já foi para o saco. O Miami fez isso com apenas 5 partidas, quando fomos amassados pelos Titans dentro do Hard Rock Stadium 30x17. Nada funcionava: jogo aéreo, terrestre, defesa, special teams ( Terrence Fede fez a falta mais idiota que eu já vi contra os Bengals ). Chamadas péssimas, alinhamentos desastrosos nos dois lados do campo, faltas e mais faltas tolas... enfim, parecia que lutaríamos com os Browns para ver que seria o pior time da temporada. Curiosamente a única vitória até ali era justamente contra os Browns, com direito ao Kicker rival ter errado absurdos 3 Field Goals!!! Nada apontar para uma recuperação...

Mas foi justamente o que aconteceu na semana seguinte, quando tudo deu certo contra os Steelers, batido por 30x15. Nesta partida Jay Ajayi correu para mais de 200 jardas ( feito que repetiria duas vezes contra os Bills, uma delas na semana seguinte ), a defesa massacrou Big Ben e vencemos uma partida que, naquele momento achávamos - acertadamente - que não serviria para nada. Mas eis que vencemos os Bills, os Jets, os Chargers... e emplacamos seis vitórias seguidas ao derrubar o Niners - na bacias das almas. Neste momento a post-season era uma realidade mais do que possível.

Um choque de realidade diante dos Ravens, mas depois voltamos às vitórias. A atual sequência está em três ( Cardinals, Jets e Bills ). Amanhã é dia de receber os Pats, com eles buscando a vantagem nos playoffs e nós em busca de sermos o Seed 5. Para isso precisamos vencer o rival e contar com uma derrota dos Chiefs. Porque isso é importante? Porque sendo 6, iremos viajar para encarar os Steelers ( já definido como Seed 3 ) e depois teríamos que ir a Foxborough jogar contra os Pats. Sendo o número 5 da AFC, o caminho nos leva para Houston, time com vários desfalques e sem QB confiável. E na sequência uma visita a Oakland pegar os Raiders sem Derek Carr. Parece-me mais fácil ( ou menos difícil ) o caminho.

Ai o amigo pode perguntar: sonhando com AFC Championship Flávio? Ora, porque não. Quem não pode sonhar é os Jets, os Bills e cia... nós podemos. E quem tem coragem de duvidar deste time depois de tudo o que foi feito até aqui? De termos vencido partidas que sempre perdíamos em anos recentes?

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Como é bom estar classificado antes da Semana 17

E a multidão vai a loucura...
Se me contassem um ano atrás, que neste dia 30 de Dezembro eu estaria escrevendo às vésperas da Semana 17 com o time já classificado para a post-season, com certeza eu chamaria a pessoa de louca. Ninguém previu isso. Me desculpem, mas quem disser que acreditava piamente neste enredo um ano atrás está mentindo. 

A equipe do 6-10 ( pior campanha desde o 1-15 de 2007, empatada com a de 2011 ) era um amontoado de jogadores, que venceram partidas que nem precisávamos mais e nos deixariam subir no Draft. Faltava de quase tudo, mas basicamente as estrelas deste ano já estavam no time um ano atrás. O que não tinha naquele time era - além de comando - química. Porque como explicar o ano de um Tony Lippett? Ou o de Jay Ajayi, que praticamente nem jogou ano passado? E o que dizer do ressurgimento de Dion Sims? Alguém ai acredita que Matt Moore lançasse 4 TDs se Joe Philbin fosse o Técnico? Não, ele não conseguiria jamais fazer isso...

Agora vemos muitos times buscando treinadores e pensando no draft e nós olhando para o post-season. Pode ser que paremos nos Steelers ( existe uma chance de uma ida ao Texans caso o Chiefs percam e nós vençamos os Pats ) e que se passarmos paremos no nosso rival New England. Mas quem, em sã consciência, é louco de reclamar se só jogarmos uma única partida na post-season depois de 8 anos?

E 2016 até agora tem mostrado, bem verdade que só depois da Semana 6, que não é bom apostar contra os Dolphins. E isso, amigos, não tem preço.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Estamos nos Playoffs!!!

Estamos na post-season e agora é permitido sonhar...
Agora é oficial: estamos de volta a post-season. Depois de anos de frustração e escolhas tenebrosas ( dentro e fora de campo ) vivemos dias de felicidade, com um time jogando com fogo nos olhos, brigando por cada bola e dando 110% em campo. Agora começaremos a nos perguntar onde este time chegará na post-season, mas eu nem ligo. Acredito que o importante é voltar a jogar as partidas que importam e criando casca, experiência. 

Pouquíssimos atletas do elenco tem essa experiência de jogar partidas em Janeiro, porque estas partidas são diferentes das outras, é claro. Por isso, mesmo que venhamos a perder no Wild Card, será uma experiência salutar e temos como voltar ano que vem. Quem sabe até mesmo desafiando os Patriots. Sonho? Vai dizer isso para quem conseguiu 10 vitórias quando vencer metade disso era sequer cogitado pelos especialistas. 

domingo, 25 de dezembro de 2016

Melhores momentos da vitória de ontem


Estamos agora com 10-5 e com uma derrota dos Broncos hoje contra os Chiefs conseguiremos a antes improvável vaga na post-season. É de tudo do que precisamos para voltarmos ao hall dos grandes times. Por isso deixo aqui em cima os melhores momentos da partida de ontem. Onde vivenciamos de tudo:  alegria, sofrimento, desespero, angústia e êxtase. 

Destaque para a Linha Ofensiva que não permitiu sacks em Moore ( e encarando uma ótima DL ) e abriu buracos imensos para as corridas de Jay Ajayi ( outra partida para mais de 200 jardas ), para Andrew Franks, que mesmo errando um FG curto acertou um de 55 jardas e ainda matou o jogo na hora certa. De quebra destaque para a defesa que, na hora de decidir apareceu e impediu a derrota, dando chance para o ataque vencer.

Alegrem-se, pois a post-season é logo ali. E pode virar realidade na madrugada de hoje para amanhã. E isso será incrível, como foi a partida de ontem. Jogando bem ou não estamos vencendo.