domingo, 30 de abril de 2017

Um Draft histórico? Bem provável... mas vamos com calma.

Adam Gase e Tannenbaum acertaram a mão? É o que parece...
Eu sempre tenho os dois pés atrás na hora de elogiar um Draft do Miami Dolphins. Tenho, fartos, motivos para isso. Foram tantos os péssimos recrutamentos que eu sempre procuro ser pragmático. Mas o deste ano, até mesmo para alguém calejado como eu, parece ter superado todas as expectativas. Escolhas boas, sem perder picks em trades horrorosas e cobrindo algumas das carências do time. Existem. como em todo draft, riscos como na escolha de Godchaux que é acusado de maus tratos domésticos, um DE que não faz nada contra as corridas, um CB alto e que comete muitas faltas... não é critica por critica e sim apontar as coisas óbvias. 

Quanto bom foi esse Draft? De 01 a 10 eu citaria que tivemos um recrutamento 8. Como assim? A análise tem que levar em conta outras coisas além dos jogadores escolhidos, tal como quantos deles serão Starters em um elenco carente de grandes jogadores? Dos 7 escolhidos possivelmente apenas 2 virem Starters desde o primeiro jogo, outros 3 devem aparecer pouco em campo e um ainda dependerá de desenvolvimento praticamente ideal para vingar na NFL. São bons talentos e isso eu não sou louco de negar. Isso é o fato.

Mas e se olharmos por outro lado: quem destes draftados tem cara de ser um All-Star? Quem deles você imagina sendo HOF no futuro? Isso não é colocar para baixo o draft bom que fizemos, com alguns analistas citando-o como um dos 3 melhores dentre as 32 franquias. Ele pode ter sido mesmo, mas quanto disso não é espanto comparando com os incontáveis desastres do passado? Dou um 8 porque o teto de crescimento para a Classe não é dos mais altos. Mas também teremos todos os 7 contribuindo muito com a equipe, seja na rotação ou como titular. 

Quem sabe daqui a 5 anos eu possa mudar a nota para 9. Lembrando que em 2013 eu adorei o Draft e hoje não tem um único jogador daquela turma no elenco. E que se note que 8 não é uma nota ruim, pelo contrário. Outro fato interessante é ver que Adam Gase e Mike Tannenbaum ( Chris Grier tem peso reduzido no Draft ) parecem ter acertado o ritmo. Ano passado o draft foi muito questionável, sobretudo pela trade desastrosa que não trouxe-nos nada de produtivo. Com aquelas picks e o ritmo desse ano teríamos conseguido grandes jogadores, não acham?

Para ajudar a leitura, trago o perfil de todos os draftados:

Nenhum comentário: