sexta-feira, 2 de maio de 2008

E agora quem poderá nos defender??? Quarterbacks

De cima para baixo: o experiente, o novato e o segundo anista... A montagem é tosca, mas serve para um time que tem três opções tão toscas quanto estas...
Mais uma temporada vai começar sem termos um QB TOP da Liga. Isso pode parecer uma questão sem sentido para muitos, há que defenda que um time para ser grande não precise ter um FQB, mas para o Miami é uma questão crítica. Tirando nossos RB e agora Jake Long, não temos em nosso ataque ninguém que possa ser considerado nem TOP 20... Entre os Quarterbacks penso que a situação seja ainda pior. Temos um experiente que não joga nada, um segundo anista que é velho para sê-lo e um novato sem braço ( para mandar bombas que fique claro ). Vamos ao que esperar de cada um deles:
  • Josh McCown - Este é o experiente que não joga nada. Veio do Raiders, onde em um blog do Raiders eu li: "Vá com Deus e não volte nunca mais". Isso dá para se ter uma idéia do quão bom ele é. Foi contratado para servir, ao meu ver, como Backup para John Beck, caso o mesmo se machuque ou esteja muito mal em uma partida. Não deverá, pelo menos é o que espero, ser o titular e na hipótese de Henne virar titular, ele nem deve entrar em campo...
  • John Beck - "É um Quarterback melhor que Brad Quinn". Se esta frase fosse dita por Bill Parcells todos aceitariam e ficariam esperançosos...mas dita por um dos membros do maldito GDBAT, virou folclore na NFL e desespero e raiva para os torcedores do Miami. Ele é velho para ser um segunda anista - começou tarde na Universidade ( BYU ) - e não mostrou nada no ano passado. Pesam a seu favor que quando entrou na equipe o time não tinha mais WR - Chambers havia sido trocado - e sem jogo corrido eficiente - Ronnie Brown e Ricky Williams machucados - e o Miami não tinha uma OL para protegê-lo. Este ano continuamos sem WR, mas temos OL e os RB são bons, e se mativerem saudáveis podem lhe dar condições de trabalho. Se vai dar certo ou não, é outra história...
  • Chad Henne - Será o salvador da pátria?? Porte, até demais talvez, ele tem para intimidar os adversários. Tem, no entanto, dois problemas graves: segura demais a bola e não tem potência no braço. A seu favor pesam os números, sólidos, como Universitário. Eu adoraria que ele chegasse e tomasse a posição dos outros dois. E veja uma coisa: ele jogou em Michigan, a mesma de Jake Long, por isso ele já está adaptado às proteções dele. Os alvos nem de longe são os dejesáveis, mas ele é um rookie, e eventuais erros devem ser relativizados.

De uma dessas mão, dependerá o desempenho do Miami em 2008. Me dá até medo de pensar nisso... Alguém ai tem o número do Celular do Chapolim Colorado???

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Dúvidas e incertezas... Parte II

Pensei que jamais diria isso um dia, mas que saudades de Jay "fumble e passe para fora" Fiedler e do time que ele comandava...
E num certo dia, o grande QB – o maior de todos os tempos – parou de jogar, e o FO teve que começar a trabalhar. E ai o nosso Front Office mostrou as suas deficiências. Entre elas o fato de não termos um QB para substituir Marino. Sem grande opções trouxemos Jay Fiedler, que conseguiu nos levar a duas Post-season seguidas, às últimas para as quais fomos, e manteve um certo nível. Mas a franquia sentia a falta de um QB com maior qualidade, que pudesse com sua qualidade nos levar além do Divisional Playoffs. O jogo corrido, um problemas nos tempos de Dan Marino, foi resolvido com a troca que nos presenteou com Ricky Williams, que liderou em jardas corridas duas vezes seguidas, e tivemos duas infelicidades seguidas: com 10-6 em uma temporada e 9-7 em outra tivemos que ceder a vaga na Post-season para times das AFC Oeste, que tinham campanhas inferiores, mas que foram campeões das mesmas. E que a NFL mudou as divisões, já que com a criação do Houston Texans, passaram a ser 32 times, 16 em cada divisão. Por isso elas foram remodeladas para o formato atual: 4 com 4 times cada. Para quem não sabe, o Colts era da AFC Leste – e olhem que coisa, eterno freguês do Dolphins...
Foi a partir de 2004 que a coisa desandou de verdade. Com a decadência de Fiedler o Miami passou a apostar em QB de qualidade duvidosa: A. J. Feeley, G. Frerotte, J. Harrington e Dante Culpepper ( este é muito melhor que os outros três, mas se machucou e quase não jogou ). Enquanto isso perdíamos vários grandes jogadores: Sam Madison e Patrick Surtain entre outros... Além disso Ricky Williams passou vários meses punidos por consumo de maconha, o que só ajudava a piorar o que já era péssimo. Desta época, nossos drafts eram deploráveis: praticamente nenhum dos escolhidos ainda joga no time. Enquanto times como Colts, Steelers, Cowboys faziam grandes acertos no Draft o Miami só fazia porcaria. Do Draft de 2003 ( Eddie Moore – LB, Wade Smith – T, Taylor Whitley – G, Donald Lee -TE, J.R. Tolver – WR, Corey Jenkins – LB, Yeremiah Bell – S ), só o último ainda está em Miami.
Nessa toada, passamos de time candidato ao Super Bowl a time que lutava para sair das últimas posições. Em 2005 fizemos até um bom draft ( Ronnie Brown, Matt Roth, Channing Crowder e Travis Daniels, todos starters do time em 2007 ), mas todos sabem que drafts projetam o futuro, mas que com péssimos negócios no FA, pouco puderam fazer para evitar a decadência do time. Cuja última temporada com saldo positivo foi em 2005. Só como comparativo nas últimas duas temporadas o time venceu apenas 05 jogos e perdeu nada menos que 27. Mas talvez os amigos que me lêem neste momento não saibam, mas existe a chamada Lei de Murphy: o que está ruim, pode e vai ficar pior ainda...

terça-feira, 29 de abril de 2008

Demorou, tive que adiar mais de uma vez, mas hoje finalmente consegui gravar o primeiro programa da Rádio Undefeat ( http://podcast1.com.br/canal.php?codigo_canal=3187 )
Ouçam, critiquem e elogiem também. E quem quiser colaborar é só mandar textos e/ou aúdios. Toda terça teremos um novo programa. No próximo falaremos sobre a temporada do Miami em 2008.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Após a Tempestade ( 1-15 ), a bonança??

Sou um dos Colaboradores do Blog O Quarterback e sub-moderador do Fórum do mesmo Blog, sendo o manda-chuva da área do Miami dentro do fórum. Por isso Daniel Reche, dono do Blog, me pediu um texto sobre o Miami para a temporada de 2008. Então eu fiz e o mesmo foi postado por lá. Como foi um texto encomendado por um amigo para compor o Blog dele, não o postarei aqui. Mas quem quiser ler, fique a vontade de ler o texto no link abaixo:
Espero que gostem. Deu um baita trabalho fazê-lo...

Um Draft excelente, apesar de algumas escolhas estranhas...

Não irei fazer uma análise jogador por jogador do Draft, pois eu não teria nada para adicionar ao texto do Pio, nosso novo Colaborador. Irei falar de outras nuances do draft...
  • O Miami já chegou ao draft com sua escolha de primeiro round definida. Por isso podemos dizer que passamos para o Rams o direito de abrir o draft. Primeira vez que eu vejo isso em drafts;
  • A minha ansiedade de ver o segundo o segundo escolhido era grande. E a cada vez que passavam os grandes WR do draft, a cada não escolha de Merling e de Brohom, a ansiedade só aumentava. Quando começou o segundo round, desejei que o Miami escolhesse Brohom, mas Parcells ciente que poderia pegá-lo na segunda escolha deste round, escolheu Merling, reforçando ainda mais a nossa defesa;
  • Por pouco, muito pouco mesmo, Brohom não virou um Dolphins Player. Uma escolha foi o que faltou. Green Bay o escolheu para ser opção para Rogers. Ai Parcells, que pela escolha demonstrou não ter tanta confiança em Beck, escolheu Chad Henne, que é de Michigan, a mesma Universidade de Jake Long. Até mesmo por isso faz todo o sentido esta aposta...;
  • Terminado o 1º dia, ficaram algumas interrogações: a) ainda estavam disponíveis bons WR´s, um deles, Super Mario da mesma Michigan de Jake Long e Chad Henne; b) Dan Connor, LB, também estava e parecia ser uma escolha óbvia. O tempo mostraria que não... c) Alguns CB confiáveis ainda sobraram. Nada de espetacular, mas eram boas opções.
  • Ao iniciar o segundo dia, tudo o que não contavámos era com RB´s neste momento do draft...
  • Miami fez uma trade com Lions, cedendo a sua escolha ( 1ª ) pela do Lions ( 3ª ) mais uma escolha de 6º round. Boa troca...
  • Com a escolha que era do Lions, o Miami escolhe Langford, outro DE, para reforçar a nossa defesa e principalmente o sistema 3-4. Nesse aspecto, escolha cirúrgica;
  • Quando do 4º round o Miami faz uma trade up para escolher Murphy OG, subindo no round e cedendo a escolha do 5º round. Outra escolha cirúrgica, já que nossa OL em termos T estará bem servida na temporada, mas os OG não são a oitava maravilha. Boa escolha...;
  • Sem escolha no 5º round, passamos para o 6º, onde fizemos outra trade up ( cedendo uma escolha de 7º round ). Pensei: ai vem uma grande escolha. Que nada, um RB...
  • Na outra escolha do 6º round, fizemos uma escolha mais sensata: um OG. Pode ser de granda valia esta escolha...
  • Para finalizar o sexto round, draftamos outro... RB. Qual a lógica usada?? E-mails com perguntas para Bill Parcells, Tony Sparano e Jeff Ireland;
  • No fim de feira do 7º round, escolhemos um DT. Temos 4 DT´s no time.
  • No geral um draft muito bom. De longe o melhor draft desde os anos 80...
  • Apesar disso, sinto falta de um WR bom. O time não tem nenhum no elenco...
  • A secundária também necessitava de reforços. Talvez ainda apareçam via FA...
  • As escolhas de Late Round foram, e são, questionáveis... mas Parcells é fera em Drafts, foi assim que ele tornou o Giants dos anos 80 em vencedor, plantou as bases do grande Patriots e montou o atual Cowboys;
  • Estamos mais fortes do que antes. Temos uma OL nova e que se projeta como uma das mais fortes da Liga para o curto prazo. Temos novas - e excelentes - peças para a defesa jogar no sistema 3-4, o preferido de Parcells, que mesmo não sendo 0 técnico tem o seu pupilo como HC. Estou mais esperançoso que antes... O Miami voltará a ser grande antes do que esperam...

domingo, 27 de abril de 2008

Draft - 2° dia

Sparano(E) - Ireland(C) - Parcells (D), os donos do nosso futuro

Hoje aconteceu o segundo dia do draft da NFL e parece que Miami não se saiu tão bem como no primeiro dia. Vou postar a ficha dos jogadores draftados e análises deles.

3° Round (66 overall) - Kendall Langford, Defensive End, Hampton - Depois de um trade com o Lions pelo primeiro pick do segundo dia, Miami fez algo inesperado na minha opinião, passando Dan Connor, ILB de Penn State, pelo Langford. Parece óbvia a análise de Bill Parcells, Jason Taylor não serve para DE de uma defesa 3-4, então ele deve ser movido para OLB. Com a chegada de Langford aumenta a disputa por uma das posições de DE, que parece ainda estar em aberta. Randy Starks, Matt Roth e Kendall Langford prometem lutar por esta posição, que do outro lado já tem dono certo, Phillip Merling.
Langford é alto, 6'5" pés, 287 libras e com uma corrida de 40 jardas de 4.89. Muito forte, promete muito Bull-rush, parador de corridas, trabalhador e um líder natural. Não chega a ser um primor de atleta, pass-rush não é seu forte, falta velocidade e seus instintos não são muito apurados.

4° Round (110 overall) - Shawn Murphy, Guard, Utah State - 6'3" pés, 320 libras e um 40-time de 5.37 segundos. Medidas boas para um Guard. Tem grande força, boa mobilidade e alcançe, é esperto e tem alguma versatilidade. Não chega a ser muito físico, não tem braços longos, as vezes exagera na agressividade (no bom sentido), não tem muita explosão, precisa-se trabalhar na sua técnica e jogo de pernas, e não jogou na faculdade contra times de grande expressão.
Quem sabe o mais interessante sobre ele seja que ele é filho de Dale Murphy, ex-MVP da liga de baseball, e também esteve no Brasil em uma missão religiosa, portanto deve falar bem português. Deve lutar por uma posição titular de Guard na nossa linha ofensiva.

6° Round (176 overall) - Jalen Parmele, Runnig Back, Toledo - 5'11" pés, 224 libras e um 40-time de 4.47 segundos. Veio para ser banco absoluto no Dolphins, fazendo assim uma pick desnecesária. É atlético e forte, bons instintos e corre mais pelo meio das linhas. Corridas por fora não é o forte dele, pois não sabe driblar. Alguns fumbles eventualmente e não tem habilidade para receber.

6° Round (195 overall) - Donald Thomas, Guard, Connecticut - 6'3" pés, 303 libras. Depois de Shawn Murphy escolhemos outro Guard no draft, espera que ele apenas componha elenco. Tem um tamanho bom, ótimo movimento de pés, boa velocidade e agilidade além de boa força. Porém é inconsistente, não tem a melhor técnica, pernas fracas, poucos instintos, pouco equilibrio e não sabe-se seu comprometimento com o Futebol americano.

6° Round (204 overall) - Lex Hilliard, Running Back, Montana - 5'11" pés, 231 libras e um 40-time de 4.63 segundos. Outro pick sem motivo de Miami, pois de RB já estávamos muito bem servidos. É muito forte, ótimo bloqueador, corre com garra e tem bons instintos. Falta velocidade, não dribla muito, questiona-se suas habilidades de recebedor e não faz corridas por fora. Parece ser um jogador bastante semelhante com Jalen Parmele.

7° Round (245 overall) - Lionel Dotson, Defensive Tackle, Arizona - 6'3" pés, 296 libras. Outro jogador para compor elenco, não espera-se nada dele.

Ai estão todas escolhas do segundo dia do draft de Miami. No geral foi um bom draft comparado com os anteriores, Jake Long, Phillip Merling e Chad Henne prometem ser jogadores produtivos na NFL, e é isso que Bill Parcels e nós torcedores do Dolphins esperamos.
Outro dia eu posto as expectativas para a temporada 2008/2009, pois o elenco não deve mudar muito a partir de agora.

Draft 2008 - Dois RB(??), outro OG e um DT. Poderia ser melhor, bem melhor aliás...

Ao contrário do que tinha feito nas 4° primeiras rodadas, o Miami não supriu deficiências do time nas chamadas "Late Rounds", ao Draftar na 6ª dois RB, justamente o setor mais bem servido do time. Se tem uma parte de nosso time que me enche de esperanças de uma boa temporada são os RB: Ricky Williams e Ronnie Brown. Então fica a pergunta: o que foi que Parcells, Sparano e Ireland viram de espetacular em Jalen Parmele e em Lex Hilliard?? Achando pouco, mesmo o time precisando por demais de LB, CB e S, me escolhem outro OG ( Donald Thomas ) até pode ser uma boa, mas existiam outras carências - e um DT. Quanto ao DT ( Lionel Dotson ), o time contratou 4 jogadores neste FA, sendo três deles com contrato com mais de uma temporada. Vai entender o que se passa na cabeça da "Santíssima Trindade"... Só nos resta esperar que deste últimos, aconteça o que aconteceu com o Steelers em um Draft nos anos 70: quatro HOF. Acho muito díficil, mas...

Draft 2008 - Outro DE e um OG. Nada mal...

Reiniciando o Draft 2008, o Miami fez uma trade com o Lions, passando a sua posição no terceiro round e passando para escolher na terceira posição e recebeu ainda uma escolha de 5° round. É o tipo de troca que acrescenta valor ao time, pois ganhamos mais um escolha e não mudamos tanto de posição. Mas no 4° round fizemos o contrário ( ainda não sei qual pick cedemos ). Mas o que tem que ser levado em conta é: quem chegou.
  • Kendall Langford - DE - Hampton - Com a escolha de Merling, chega a ser uma surpresa ver o Dolphins draftar outro DE. Aqui temos a seguinte análise: estão propensos a trocar Jason Taylor no pós-draft ou não confiam em Matt Roth, de quem eu gosto. Como não vamos por Jason Taylor no banco, e se ele não for trocado, devemos ver ele nesta temporada jogando de LB, formando um excelente trio com Crowder e Porter. Roth deve, em tese, virar backup...
  • Shawn Murphy - OG - Utah State - Com a chegada de Jake Long, nossa OL tinha apenas um burado. Não tem mais, com este sólido jogador de OL, que chega - na minha visão da situação - para ser titular. Segurança garantida para Henne, Beck e ( sai pra lá ) McCown. Escolha perfeita, eu espero.

E está nascendo uma Super Linha Ofensiva na AFC Leste...

Daqui a pouco recomeça a Maratona

Em instantes recomeça o Draft 2008. Até aqui não tenho do que reclamar - graças a DEUS - e penso que o Dolphins fez o seu melhor começo de Draft desde 83, quando conseguimos Dan Marino. Talvez o de 2005 possa ser uma referência - nos rendeu três starters sólidos - mas acho que o de 2008 passará para a história como o mais produtivo da década.
Em termos de necessidades temos:
1 WR - Já que ninguém merece as opções que temos;
2 LB - Porter e Crowder precisam de mais companheiros sólidos, nem que sejam para rotação;
1 CB/ 1 S - Nossa secundária não é tão ruim quanto pintam, e reforços viriam a calhar;
1 OG - Nossa OL poderia ficar mais forte com a chegada de um bom Guard;
Não precisamos, e se aparecer será um erro:
QB - Temos três, sendo dois inexperientes;
RB - Trocamos o Booker por uma escolhas, mas temos a melhor dupla de RB da Liga;
OT - Com Jake Long e Vernon Carey, só se for para termos backups. Mas existem 0 FA para isso...
DL - Com a chegada de Merling, acho que não precimos de reforços aqui... mas podem pensar em Backups...