sábado, 12 de setembro de 2009

Week 1 - Dolphins at Falcons

De uma pre-season perfeita, com 4-0, que de nada - ou quase, servem para a temporada em si, que começa amanhã, no entanto, o time ganhou mais confiança com as vitórias e as adições no elenco ( sobretudo na secundária, quase que nova por completo ). Sendo assim a expectativa é ótima...

Uma vitória contra o New Orleans Saints, na casa do rival pelo fim da pre-season. Destaque do jogo? Um certo Sean Smith e uma interceptação com uma única mão...

Contra o Indianapólis Colts, na "estreia" do Land Shark Stadium.

0-0, é o começo da temporada. Rumo ao 1-0!!!!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Um papo sobre o Dolphins...

Dúvidas? Temos aos montes - a maioria dos times também - mas eu estou confiante. Abaixo opinião de alguém que não é phinático e brasileiro...

Domingo no Georgia Dome começamos a nossa temporada 2009, a qual esperamos que seja ao menos no nível da de 2008. Mas vocês tem lido aqui opiniões minhas e de phinático do Blog do EUA, ou seja, visões de pessoas que tem envolvimento emocional com o time e portanto podem falar mais com o coração do que com a razão. Sendo assim, e aproveitando uma entrevista do Thephinsider.com, trago uma visão diferente sobre o Miami, no caso de Andrew Lawrence da Sports Illustred.

Phinsider: Em sua prévia sobre a temporada, você disse que o Dolphins tem que unir seu ataque a Pat White para que a Wild Cat seja mortal e que isso é fundamental para o sucesso da equipe, mesmo que Sparano não tenha dado demonstração de vá usá-lo. O time depende tanto assim do sucesso de Pat White?

Andrew Lawrence: Quando eu falei com Sparano mês passado ele foi categorico: primeiro quer White funcionando como 3° QB, conhecendo e sabendo comandar o ataque em suas funções mais básicas, do que colocá-lo em campo como um membro da Wild Cat e que Ronnie Brown evoluiu ainda mais como QB. No entanto eu vi White correr bem e parece-me ser questão de tempo que ele entre em ação. White, se render, poderá ser um adendo espetacular. Mas isso leva tempo.

PS: E a defesa do Miami, como você a vê nesta temporada?

AL: Já que Matt Roth está fora, a torcida pode confia plenamente em Jason Taylor, que deverá ter um ótimo ano em sua volta, se ele ficar saudável, a defesa terá tudo para ser dominante, pois Joey Porter, Channing Crowder e Yeremiah Bell estarão tinindo.

PS: Qual a sua impressão sobre Sean Smith e Vontae Davis? Como você o desenvolvimento dos dois e se a Comissão Técnica tem plena confiança neles?

AL: Jeff Ireland foi extremante feliz nas escolhas. Davis é um ótimo prospecto futuro e Smith, na posição em que foi escolhido, deve-se tornar o STEAL do Draft, e engraçado eu achava o contrário, que Smith é quem seria a aposta, mas ele virou realidade muito mais cedo do que o esperado. E extramente salutar ter atletas físicos - casos dos dois - quanto tem que enfrentar tantos e bons WRs, como os que existem na AFC Leste. Eles irão cometer erros comuns dos rookies, isso é óbvio, mas me parece que os dois terão uma boa temporada. Mas que eu - e na verdade toda a NFL - fiquei impressionado com a interceptação com uma só mão de Smith contra o Saints, isso é inegável.

Leia o restante em:
Amanhã. prévia do jogo contra o Falcons, no Geórgia Dome.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

O Caminho até o Super Bowl passar por...


Domingo começa a nossa caminhada rumo ao LandShark Stadium. Como assim ao nosso Estádio? Leia a matéria e entenda...
Quais são os "caminhos" para que possamos jogar o Super Bowl XLIV em casa, no LandShark Stadium? Existem chaves para isso, e elas são estas:
  • Correr com eficiência, sem a "Wild Cat".

Em 2008 o time foi a "sensação da temporada" graças a jogada mais comentada, mas se formos olhar mais atentamente os números veremos que com todo o auê criado o time foi apenas o 11° correndo e o 14° em jardas por corrida, o que pode fazer alguém pensar "fomos muito bem correndo", mas não é bem assim. Tivemos várias big plays graças a Wild Cat que inflacionaram os números. Prova disso? Como foi o nosso desempenho corrido contra o Pats em Miami? Ou contra o Ravens, também em Miami? Correr, sem a WC dependência, é uma necessidade. Se conseguirmos iremos longe. Se não, deveremos ficar pelo caminho novamente.

Existe outro dado a ser considerado: correndo, desafoga-se o jogo de passe, sendo este usado apenas quando necessário ou para descansar os corredores, sendo portanto, mais mortífero. E ficando em campo, nossa defesa fica descansada e igualmente, mais efetiva. Pra finalizar: Chad Pennington quando teve que tentar mais de 35 passes, o time 1-3. Desempenho horrível, sem duvida.

  • Pass-rush fortíssimo, pressionando o QB adversário o tempo todo.

Basta ver como o Ravens, com seu ataque meia-boca, quase foi ao Super Bowl ancorado apenas no seu mortífero Pass-rush, para se ter uma ideia da sua importância. Sendo assim precisaremos pressionar os QBs adversário e forçá-los a arriscar dentro das partidas, e contar com nossa secundária.

Em termos de nomes, temos duas importantes adições: Jason Taylor e Cameron Wake. O primeiro dispensa apresentações, embora agora seja LB, e o segundo veio da CFL ( Canadian Football League ) como sendo um monstro do "pass-rush" e até aqui mostrou ter mesmo qualidades neste quesito. Wake começou lentamente pois era praticamente um Rookie, mas cavou seu lugar no elenco.

Dos que já estavam no elenco, tenho esperanças nos DEs ( Langford e Merling ) para se tornarem "mortais". Kendall Langford, escolhido no terceiro round, é Starter e permanecerá assim até, provavelmente, por muito tempo. Já Phillip Merling tinha tudo para ser Starter, mas perdeu a batalha contra Randy Starks e permanecerá reserva, posição que ocupou ano passado de Vonnie Holliday.

Finalizando, temos outras boas peças: Jason Fergunson é um DT seguro, Troy McDaniel é útil na rotação e Paul Soliai idem. Tenho boas esperanças para o setor.

  • Vencer os rivais de divisão

  • Muito se falou sobre o calendário do Miami Dolphins em 2009, o time com maior "valor" de rivais ( percentual de vitórias do rivais em 2008 ). Ok, é fato, e eu não nego isso, que é uma barreira a mais para ser transposta. E será mesmo duro conseguir isso, mas se esquecem de que os outros 3 times da AFC Leste tem 8 jogos comuns ( contra os mesmos rivais do Miami ), 6 dentro da própria divisão e apenas 2 é que são distintos.

    Ficando apenas no caso do Pats - o único time, que talvez, seja melhor que o Dolphins - esses dois jogos diferentes são, respectivamente: Steelers e Chargers pro Dolphins e Ravens e Broncos no caso do Pats. Tirando o Broncos, que pra mim está bem pior do que em 2008, o Ravens não tem nada de mais fácil do que o Steelers, pelo contrário até.

    Sendo assim, se vencermos os dois jogos contra o Pats ( algo bem complexo ) e fizemos nos outros 14 jogos o mesmo que o Patriots, a divisão será nossa. Se trocarmos derrotas, podemos até ganhar o Bi da divisão, caso vençamos mais jogos contra Jets e Bills ou dentro da Conferência.

    Sonho? Loucura? Devaneio? Pode até ser. Mas ano passado, também o era. E todos sabem o que aconteceu...

    segunda-feira, 7 de setembro de 2009

    Palpites...

    o Miami só joga no domingo, mas na quinta começa para valer a temporada da NFL, pois irei fazer uns palpites ( pra ficar claro, não que fosse necessário, mas os prêmios são do elenco do Miami, não da NFL ):
    • MVP - Ronnie Brown.
    • OPOY - Ronnie Brown.
    • DPOY - Joey Porter.
    • OROY - Patrick Turner
    • DROY - Sean Smith
    • Maior Evolução - TGJ / Davone Bess
    • Maior queda - Will Allen

    Projeção da Temporada: 11-5 ( otimista ), 9-7 ( mediana ) e 7-9 ou menos ( pessimista ). Eu, é claro, fico com a primeira...

    Saldo da Pre-Season

    Pontos fortes:
    • A defesa mostrou estar melhor do que em 2008. E isso é a grande notícias que poderíamos ter.
    • Dentro da defesa, tem um setor que cresceu mais que os outros: a Secundária. Sean Smith é um monstro defensivo e tem tudo para ser o destaque do setor por anos a fio. Vontae Davis, como dito por mim desde o começo, é um diamante bruto e precisará de tempo - e cuidados - para ser bem lapidado. Em todo caso, já é melhor que Andre Goodman.
    • Passamos sem nenhum baixa em termos de contusão a pre-season. Matt Roth já voltou machucado e, ao que parece, não fez falta. Alguém ai ainda quer criticar Jason Taylor?
    • Grupo de recebedores mais forte. E quem diria, com a adição de dois Rookies obscuros e criticados pelos especialistas, formamos um grupo interessante. Temos o alvo alto para a bola de segurança ( Turner ), temos o ótimo corredor de rotas ( Bess ), temos o ligeirinho ( TGJ ) e dois candidados a possession receiver: Camarillo e Hartline. Pode, e parece que irá, dar caldo.

    Pontos Fracos:

    • Jogo corrido não parece estar melhor do que 2008. Aqui temos várias situações: temos um Center novo ( Jake Grove ) e fizemos mudanças no Staff de OL e leva tempo para se criar uma química. Em todo caso, os outros 4 elementos da OL já estavam no elenco e isso é sim uma preocupação minha.
    • Pat White: eu não o vi em ação em nenhum snap a lá Wild Cat. Não era para isso que ele foi Draftado?
    • De um modo geral, não vimos uma evolução substancial do ataque. Segue, ou seguirá, o padrão de 2008: poucos erros, avanços médios, marcar alguns pontos e esperar que a defesa leve menos. Tomara que funcione de novo.

    Miami corta David Martin

    Uma surpresa até certo este corte. A informação oficial é que elese machucou - de fato não vinha atuando na pre-season - e o time esperou por ele até o último instante. Mas com dois TEs jovens, realmente não fazia lá tanto sentido tê-lo no elenco. É uma pena, pois ele foi importante em 2008. Ao meu ver, fará falta...

    domingo, 6 de setembro de 2009

    Eis os 53 homens que tentarão nos levar ao Super Bowl

    Quarterbacks (3): Chad Pennington, Chad Henne, Pat White

    Running Backs (5): Ronnie Brown, Ricky Williams, Patrick Cobbs, Lex Hilliard, Lousaka Polite (FB)

    Wide Receivers (5): Ted Ginn Jr., Greg Camarillo, Davone Bess, Brian Hartline, Patrick Turner

    Tight Ends (4): Anthony Fasano, David Martin, John Nalbone, Joey Haynos

    Offensive Linemen (8): Jake Long, Justin Smiley, Jake Grove, Donald Thomas, Vernon Carey, Joe Berger, Shawn Murphy, Andrew Gardner

    Defensive Linemen (7): Jason Ferguson, Kendall Langford, Randy Starks, Phillip Merling, Paul Soliai, Tony McDaniel, Lionel Dotson

    Linebackers (9): Channing Crowder, Akin Ayodele, Joey Porter, Jason Taylor, Charlie Anderson, Cameron Wake, Reggie Torbor, Erik Walden, Quentin Moses

    Cornerbacks (5): Will Allen, Sean Smith, Vontae Davis, Nathan Jones, Jason Allen

    Safeties (4): Yeremiah Bell, Gibril Wilson, Tyrone Culver, Chris Clemons

    Special Teams (3): Dan Carpenter (K), Brandon Fields (P), John Denney (LS)

    Algumas idéias sobre este elenco ( que apesar de tudo ainda é provisório, pois jogadores cortados de outros times podem, ou não, interessar ao Miami ):

    • Ficar com 4 RBs foi uma surpresa. Mais pela quantidade do que pela ótima pre-season que fez Lex Hilliard, o escolhido. Sparano deve querer forçar mais o jogo corrido e para isso, quer contar com o jovem RB. Bola dentro.
    • Já entre os WRs, sacrificamos um WR com algum talento ( London ) em detrimento de dois TEs sem grandes apelos. Não entendi direito, mas esperemos pela temporada para tecer maiores comentários.
    • Nas demais posições, nenhum grande surpresa. A permanência de Jason Allen era esperada, embora não causa "emoções alegres" em Phinático algum...
    • Entre os rookies, apenas um corte, o de J. D. Folsom, que realmente tinha poucas chances. Os demais sobreviveram ( até aqui ao menos ): Vontae Davis ( 1° round ), Pat White e Sean Smith ( 2° round ), Patrick Turner, ( 3° ), Brian Hartline ( 4° ), John Nalbonne e Chris Clemons ( 5° ) e Andrew Gardner ( 7° ). Sendo que ao fim, quem mais correu riscos de ser cortado foi Nalbonne. que apenas não foi cortado porque provavelmente o time o perderia para outra fraquia, mas que a ideia era tê-lo no Pratice Squad. O mesmo, em tese, deve ocorrer com Brandon London, caso não seja adquirido por uma franquia. Parece-me que a inclusão de Hilliard seguiu a mesma lógica, ele não passaria icolume pela "dispensa*".

    Obs: Quanto um jogador é cortado, todas as outras 31 franquias podem fazer propostas por ele. E quem oferecer mais, leva. No entanto, o jogador pode escolhar "ficar livre" e ir para a Pratice Squad. Mas sejamos francos: entre ir para um time com alguma possibilidade de jogar e ficar apenas treinando, qual opção você escolheria? Teria alguma duvida?