sexta-feira, 14 de maio de 2010

Futebol Americano em Salvador...

Na medida do possível, é função deste blog fomentar a cultura da prática da Bola Oval em solo brasileiro. E começo hoje citando o Blog do time de FA de Salvador, o Sotero Politans ( trocadalho do carilho com a designação aos cidadãos que nascem na capital de todos os bahianos ). E começo por ele por outro motivo, é onde treina o nosso designer oficial Juba Rivas. Acessem e leiam por lá, eventualmente, textos feitos por mim para ajudar a galera do time. E no mês de junho lá estarei abraçando alguns membros do time, quando irei participar de um Congresso na área em que atuo. E detalhe pro mascote, que é ecologicamente correto e belo por sinal, cujo nome é General Kawa.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Falta um mês...

Para a Copa do Mundo. Não você não ficou maluco e o blog não mudou de Football para Soccer. É que é impossível não falar de Copa no Brasil. Ainda mais em dia de Convocação ( equivocada ) de Dunga, ao não levar talento em detrimento de "raça, força e determinação". Em qualquer esporte, talento ainda é o diferencial. Como santista de coração, fico frustado de ver alguns pernas-de-pau irem a Copa e Neymar e Ganso fora. Agora é torcer que os "brucutus" de Dunga resolvam a parada...

segunda-feira, 10 de maio de 2010

O que um verdadeiro Dolphins player diz...

"Eu senti que a grama não é sempre mais verde do outro lado. Re-assinatura só me fez sentir-me bem. Sinto que fui trazido aqui para ser parte de algo especial, e eu sinto que eu precisava de mais um ano para ajudar a terminar o que nós começamos em 2008. Como você vai ficando mais velho e a ter mais anos nesta liga, você começa a valorizar as pessoas e treinadores com quem trabalhou, e que se tornaram mais importantes para você."

Discurso diametralmente oposto a quem veio a peso de ouro e se achava maior que o time. A quem me refiro? Um, ele foi líder em sacks da AFC em 2008e agora está no Arizona Cardinals... ( não sabe quem é? Leia as tags deste post e decubra... )

Quanto a Pennington sou levado a pensar que ele acredita ter uma tarefa a cumprir com o Dolphins. E qual seria esta tarefa? Ir ao Super Bowl é claro. Afinal ele tem talento para brigar em condições de ser starter em pelo menos uns 5 times da Liga e aceita ser back-up de alguém de quem já fora tutor, em 2008, tem que ter um motivo. E não se esqueçam: Parcells foi quem o draftou. E ele claramente gosta de Sparano e do time. São pessoas assim que valem a pena ter em seu time. Este é um Dolphins Player de verdade.

domingo, 9 de maio de 2010

Analisando a Off-Season até aqui...

Todo ano este Blog fica sem grandes assuntos do fim Janeiro ( às vezes até antes ) até o meio de Abril. Ai, com a chegada do Draft, acelara-se o ritmo no fim de Abril e começo de Maio. E quando chega o fim de Junho, é quase temporada cheia. Mas e como estamos até aqui?

Off-Season. Os nossos movimentos básicos de off-season foram um tanto chatos, até que duas bombas nos deixaram aturdidos: a saída de Jason Taylor pro Jets(!!!) e a chegada de Brandon Marshall. Quanto ao primeiro, mantenho que o mesmo pode render bem ( como o fez em 2009 ) e o segundo tem tudo ( ou não ) para ser o nosso playmaker ofensivo, aquele capaz de nos levar ao próximo nível. As saídas de Joey Porter e Gibril Wilson eram esperadas, ficando a se lamentar apenas que tenham saído totalmente de graça. E sim, nos livramos do peso morto do TGJ. Sim, não posso esquecer, trouxemos Karlos Dansby pro ILB, a peso de ouro diga-se.

Draft. Quando fizemos o negócio com o Denver por Marshall, ficamos sem pick de segundo round, que normalmente trazem grandes jogadores. Ai Parcells e cia resolveram fazer uma trade com o Chargers e recuperar, assim, a pick. E fizemos com ela talvez a grande movimentação, ao trazermos Koa Misi, que poderá ser o nosso Starter no Weak Side. Claro, ainda tivemos a chegada de Jared Odrick no primeiro round, para o lugar de Randy Starks que será movido pro centro da OL. Ainda trouxemos outros 3 OLBs ( Edds, McCoy e Spitler ) e um Safety que bate pra valer em Reshad Jones e um OG para, pelo talento e custo, ser starter, em um setor que não tinha problemas aparentes.

Resumo: As adições aconteceram em setores críticos ( WR e OLBs ) ou melhoraram setores que já eram bons ( OL e ILBs ) e ainda ainda trouxemos gente pra brigar por espaços vazios ( FS ). Na minha opinião ficou devendo ao não trazermos um NT puro. De um modo geral estamos, em tese, mais fortes do que terminamos o ano. Precisaremos é claro contar com crescimento de Chad Henne como QB, uma temporada saudável de Ronnie Brown e que a defesa crie, rapidamente, uma química com tantas mudanças. O sonho de post-season existe, mas tenho que ser realista: não será nada fácil.