sábado, 27 de julho de 2013

Kevin Coyle: uma secundária diferente. E melhor!!!

kevin Coyle agora está com a secundária ao seu modo...
Em sua segunda temporada em Miami, o Coordenador Defensivo Kevin Coyle está começando a montar a secundária ao seu gosto. Sairam os CBs altos e físicos herdadas por Coyle e agora entram CBs rápidos e atléticos, mais aptos a jogar em cobertura. Esta é a grande razão pela qual Vontae Davis foi trocado por uma pick de segundo round e Sean Smith saiu na Free Agency.

Então, sem mais delongas, vamos dar uma rápida olhada no CBs que Miami e como eles estão se saindo até agora e quem devem ser os dois Starters: 
  • Brent Grimes – A grande contratação em anos, uma daquelas capazes de mudar o destino de uma franquia. Se ele não tivesse perdido a maior parte de 2012, com uma lesão no tendão de Aquiles, ele teria recebido um grande prêmio nesta offseason. Em vez disso, ele assinou um contrato de um ano com o Dolphins para provar o quão bom ele é. Considerado baixo, ele compensa isso com uma impulsão monstruosa. Muito atlético, ele é o tipo de cara que os quarterbacks não querem lançar do lado em que ele joga. Até agora, ele tem desfrutado de um bom começo. Ele parece estar sempre do lado certo, e poderá vir a ser o craque na secundária que Miami perdeu desde as saídas de Patrick Surtain e Sam Madison. 
  • Richard Marshall – Assim como Grimes, Marshall também perdeu a maior parte da temporada passada, com uma lesão nas costas. Uma coisa que se destaca em Marshall é que ele é muito físico e tem o conjunto ideal de habilidades para se encaixar com o sistema de Coyle. Dolphins fãs não viram muito dele ainda, mas ele pode vir a ser um componente valioso desta secundária, desde que ele não volte a ter problemas de contusão. 
  • Jamar Taylor - Este é o jogador que os treinadores querem que deixe Marshall como reserva, formando a dupla de starters com Grimes. Taylor continua sem treinar, devido à dor que o incomoda, por causa de uma cirurgia de hérnia. Forte, físico, exibe boa velocidade, mostra fluidez em seus quadris para virar e correr e sabe fazer as jogadas necessárias. Ele é definitivamente um jogador que se encaixa com o estilo de defesa do Coyle. 
  • Will Davis – Um jogador muito cru, uma aposta do Front Office. Esta Training Camp deverá ser de apendizado, tentando entender como funciona uma Secundária em nível profissional. O fato da alta posição na qual foi escolhido ( 3º Round, 93ª pick ) pode levar alguns a esperar que ele vire um Starter ou um reserva imediato, tendo impacto grande nesta sua primeira temporada. Contudo isso é querer demais. Davis era cotado para sair no fim do 4º Round ou começo do 5º. Com tal projeção parece que o Dolphins fez um reach. Nem tanto, apenas foi  necessidade de um CB com as qualidades que Coyle gosta: capacidade atlética natural, intrigante para cobertura e habilidades com a bola. Contudo ele precisa ganhar mais físico para jogar em alto nível na NFL. 
  • Dimitri Patterson – Um candidato para ocupar o posto de níquel. O que pesa contra é o seu ( alto ) salário de US$ 4,5 milhões. Mas se o Dolphins quiser mantê-lo, com certeza eles podem fazer um acordo mais razoável, não é mesmo? Ele já fez muito para ficar com a equipe, tendo feito até aqui uma forte TC, além de fazer boas jogadas. 
  • Nolan Carroll - Este é um jogador causa frustração. Ele é muito bom nos treinos, mas permite que todo o bom trabalho seja desfeito com suas performances nos jogos. Jogador inteligente e dedicado, que todo mundo quer vêlo em campo, mas que quando entra você logo o quer fora. Por causa de seus valores intangíveis, ele provavelmente vai ficar na lista da temporada. 
  • Os outros - Julian Posey, De'Andre Presley e RJ Stanford todos têm lutado contra o corte, tentando uma vaga apenas na lista dos 53. Destes, até agora eu elegeria Stanford como o que tem mais chances.

Mas e o ataque?

Será que eles vão achar uma solução? Tomara...
Não sou de fugir da briga, e durante os quase 6 anos deste Blog ( dia 30 tá chegando, viu gente ) nunca deixei de abordar temas complexos. Comprei briga com diversos colaboradores que passaram pelo Blog, alguns nem falam mais comigo. Eu pouco me importo, pra ser bem sincero. Minha personalidade é bem forte. Tem gente que nunca mais entrou, teve que foi e voltou... enfim, tenho opinião forte. Alguns gostam, outros não. E assim é a vida. Vamos em frente...

Dito isto, venho dizer que existe uma clara expectativa para esta offseason: Ryan Tanehill. Sim, ele mesmo. Mais uma temporada ele é o ponto entre uma temporada vitoriosa ou não. Mas vamos por partes, como diria Jack o Stripador: não vou criticar ele com apenas 5 treinos. Mas é preciso pontuar o que ele fez até agora. E é isso que farei agora.

É a esperança de todos que ele evolua nesta pré-temporada. Claro, todos querem isso, eu incluso. Mas o quanto seria necessário ele evoluir para que o time pudesse vencer 10 partidas? Hummm... acho que todos já entenderam onde eu quero chegar. É o que eu espero, ao menos...

Até aqui ele demonstra uma certa evolução. Certa não quer dizer ótima e nem ruim. Sejamos francos, seria praticamente impossível ele piorar, certo? Pois é, ele parece estar melhor. Mas isto seria o suficiente? Li dois analistas dizerem que o ataque até agora está a desejar. Isso seria culpa dele, apenas? Não, óbvio que não. Mas ele é o cara mais importante do setor.

Por outro lado. podemos dizer que a defesa é excelente e que a OL ainda não se acertou. Sim, é possível falar isso sem ser ufanista. Mas por outro lado, fica a pergunta: significa dizer que quando enfrentarmos uma defesa Top vamos perder? Pois é, iremos encarar ao menos umas 5 que cabem nesta classificação. Nossa OL até agora tem usado diversos reservas porque alguns possíveis/prováveis Starters estão vindo de contusão. E se ele não se recuperarem, como será?

Pra finalizar: Tannehill parece melhor. O que precisamos olhar com extrema atenção é de quanto é esta melhora. Isso vai ditar o quão feliz ou triste será nossa temporada em 2013.


Training Camp 2013 - Dia VI



E aqui vamos nós com os pontos principais das Training Camps que voltaram ontem (por isso do dia VI e não V, o dia V foi folga dos jogadores).


  • O fato que mais chamou a atenção de todos foi a ausência de John Jerry nos treinos. Quando perguntado a respeito, Philbin respondeu que "não fala a respeito de jogadores machucados". Isso nos dá a entender que Jerry sofreu uma lesão, embora não tenha sido confirmado. No seu lugar treinou Dallas Thomas, como RG e Incognito como LG. Os dois inverteram as posições em certo ponto do treino
  • Tannehill e Wallace estão se entendendo melhor em campo. Apesar do início "preguiçoso" de Tannehill, foi o segundo treino consecutivo sem interceptações. O QB vem tomando decisões rápidas e inteligentes, sendo forçado a isso, já que a OL ainda está longe do ideal.
  • Drops... muitos passes dropados. Ainda não sabemos o porque
  • Dion Jordan finalmente conseguiu ter algum contato físico nos treinos. Muito pouco para o que precisamos dele como Pass Rusher, mas já é algum progresso
  • Dan Carpenter errou dois Field Goals no treino. Um de 50 e um de 52 jardas. Se muita gente perguntava qual era nossa maior deficiência, acabamos de encontrar: um K veterano que veio de uma temporada sofrível, com 2 jogos errando chutes que poderiam ter nos dado a vitória, mas vinha treinando bem. E um Rookie vesgo, que não treinou por sentir uma lesão.
  • Depois do treino, QBs e WRs, ficaram em campo mais um tempo correndo rotas em profundidade
  • Lesionados - Jamar Taylor (CB), Cameron Marshall (RB), Caleb Sturgis (K), John Jerry (G)
Palavras pós treino:
  • Ainda temos muito tempo até o dia 8 de setembro, além de 5 jogos de pré temporada. Até lá, todos os RB terão chances de carregar a bola. (Joe Philbin, quando perguntado se Miller estava um passo a frente dos outros RBs)
  • Estou tentando aprender tudo, dia após dia, pegando firme em cada posição em que treino, pois até agora não há nada definido para mim. E os veteranos me disseram para relaxar pois eles iriam me ajudar, para que eu apenas soubesse o que estava fazendo. (Dallas Thomas, sobre jogar em posições diferentes)
Hoje continuam as Training Camps

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Joe Philbin: não temos nenhum starter na OL

Ritchie Incognito é um dos cotados para ser Starter... só cotado, segundo nosso Coach.
Mais tarde teremos o texto sobre o sexto dia de Training Camp, que ficará a cargo de Derek Szabó. Este é um texto que faço ao ler uma frase de nosso Head Coach Joe Philbin: Não temos nenhum Starter na OL. Como assim Bial?

Vá lá que nosso HC tenha que manter motivados os jogadores que chegaram ou até aqueles que já estavam no elenco em 2012, e ao dizer isso ele vai neste sentido. Mas sejamos bem francos: existe apenas uma dúvida no setor, sobre quem será o Right Guard. E se existir mais, não apenas eu não sei onde seria como, pior, seria altamente preocupante.

Comecemos pelo mais óbvio de todos os Starters: Mike Pouncey. Ele, que é o único de todo o setor a ser escolhido no first round, foi classificado apenas como um dos 10 melhores Centers da temporada passada. Portanto ele tem que ser Starter. E ele o é. Portanto uma vaga a menos.

Seguindo nessa linha, vamos para as pontas da Linha: Jonathan Martin e Tyson Clabo não encontram concorrentes no elenco. E se um deles estiver desapontando ai é motivo para ficarmos em pânico. E eu não estou brincando. Calma, até agora não existe indício de que eles estejam treinando mal...

Então sobram os Guards. Bom, e aqui começam os problemas. Nem tanto com o Left Guard Ritchie Incognito, mas sim com relação ao Right Guard. Na temporada passada, o Starter foi John Jerry. Pois bem, ele se machucou e ainda não foi revelada a extensão da mesma. O time trouxe dois jogadores na offseason: Lance Louis e Dallas Thomas. Pois bem, o primeiro vem de uma temporada cheia de problemas e o segundo... bom, este veio com uma contusão já da NCAA. Tanto é que o Center reserva, Josh Samuda, foi usado como RG e para a surpresa de todos, foi muito bem...

Philbin disse que o time está testando diversas opções para poder conhecer a capacidade de todos os atletas disponíveis. E ele não esconde que prefere jogadores com versatilidade e adora jogadores que possam atuar em duas posições. Por causa disso a cotação de Josh Samuda subiu bastante.

Agora é esperar mais treinos e analisar com cuidado os sinais emitidos.

Training Camp 2013: Dia IV

Quinta-feira foi dia de folga. Eles fizeram por merecer...

Inicialmente pedindo desculpa pelo atraso deste post é porque fui dormir muito tarde na quarta e ontem estive só em casa, pois minha esposa foi a capital Recife e tive que cuidar de casa... Portanto, mesmo com atraso, aqui está o que de melhor aconteceu na quarta, pois ontem foi descanso. Hoje o time volta aos treinos: 
  • O Dolphins realizou sua prática mais longa e o Head Coach Joe Philbin disse após o treino que será a maior de toda a TC.
  • O treino de 11x11 focou situações na Red Zone – grave problema na temporada passada. O ataque teve um desempenho melhor do que no dia anterior. Nada de espetacular, diga-se.
  • Ryan Tannehill, especificamente, jogou melhor, evitando as interceptações que o perseguiram ( ou ele as perseguiu? ) na terça. Ele encontrou Mike Wallace algumas vezes no dia, incluindo dois passes para mais de 20 jardas, que podem sinalizar que os dois estão começando a se entender melhor. É muito cedo para se preocupar por que os dois não estão como o esperado, mas é bom ver isso acontecer pelo menos uma vez na primeira semana da TC. Tannehill também lançou um touchdown para Rishard Matthews.
  • O zagueiro Jorvorskie Lane alinhou como um FB pela primeira vez. Não é algo que a equipe fez durante os três primeiros dias. Em vez de usar Lane, a equipe vinha usando os tight ends Dustin Keller, Charles Clay, Dion Sims  e Michael Egnew como bloqueadores adicionais.
  • Egnew teve outro dia oscilante, enquanto ele tenta provar que merece um lugar entre os 53, um ano depois de ter sido selecionado no terceiro round. Claro que cometer dois fumbles em treinos na Red Zone não ajudam em nada, mas convém dizer que o treino consistia em receber o passe, segurá-la com um braço e em seguida, passar por dois defensores que tentaram tirar a bola. É uma situação de partida e além dele Daniel Thomas também cometeu fumble, mas só um. Mas ele teve bons momentos no treinamento pegando vários passes, incluindo um touchdown. No final do dia, ele deixou uma bola fácil cair dentro da end zone.
  • Outra coisa importante sobre recebedores mais fortes: todos os RBs tem alinhado, às vezes, na linha de scrimmage. Penso que a ideia é ganhar versatilidade e possibilidade de criar as big plays com reverses e screen pass. Não confundir isso com a famigerada Wild Cat.
  • E seguem os experimentos na OL. A de quarta foi o Center Josh Samuda substituir John Jerry como Rigth Guard. E o mais incrível: ele foi muito bem nisso.
  • Entre os especialistas os nomes vão caminhando para uma definção. Na terça-feira treinou-se retorno de punts e na quarta-feira retorno de kickoff. Marcus Thigpen continua a ser o favorito para retornar os chutes, como fez no ano passado, mas o time usou também Lamar Miller, Jasper Collins e Nolan Carroll.
  • Falando de equipes especiais, Dion Jordan viu-se trabalhando como um bloqueador em retorno de punt na quarta-feira. Ele estava na segunda unidade, então não é provável que a equipe vá realmente usá-lo nesse papel, mas é uma maneira de mantê-lo ativo sem correr grandes riscos. Com a pausa de ontem, é esperado que Jordan começe a receber um papel mais ativo no setor defensivo.
  • A batalha dos Kickers, Dia IV: Caleb Sturgis segue, curiosamente, chutando menos vezes do que Carpenter. Ele errou duas de suas três tentativas de field goal, todos dentro do treino de ataque, enquanto Dan Carpenter está quente até agora na TC. A dúvida: estariam os treinadores poupando a perna do novato para a temporada regular? 

Lesões 
  • Jamar Taylor segue sendo um provável problema. Ele fez exercícios físicos e apenas simulações de interceptações, para claramente evitar contato físico. Ele tem perdido treinos de red zone pelo o que se presume ser problemas relacionados com a sua cirurgia de hérnia, realizada na offseason.
  • Contudo na quarta tivemos nossa primeira lesão ontem: rookie running back Cameron Marshall ficou parado durante um retorno de kickoff e imediatamente levou as mãos para o tendão. Ele foi visto mais tarde em pé sobre a linha lateral com gelo envolto na sua perna. Nenhuma palavra sobre qualquer gravidade da lesão.  

Algumas declarações feitas após o treino: 
  • “Eles têm uma rara mistura de velocidade e força, além de juventude mesclada com experiência na dose certa. Então como não dizer que eles podem ser de elite?" - Hall of Fame Warren Sapp sobre o nosso Front Seven. É mole ou querem mais?
  • "Talvez assistir a um filme. Amanhã é o nosso dia de folga, vou colocar o os pés para cima, beber muita água, receber uma massagem hoje à noite e tentar relaxar um pouco." - Brian Hartline sobre seus planos para quinta-feira.
  • "É algo normal para mim. Obviamente ano passado vendo Hard Knocks, eu fiz muito isso no ano passado. Não é nada de novo." - John Jerry sobre treinar com a primeira, segunda e terceira linha ofensiva durante a Training Camp. Sinal de que ele será cortado?
  • "Estamos nos esforçando ao máximo todos os dias. Acho que estamos melhorando a cada dia, estamos na direção certa. Temos vários dias antes do nosso primeiro jogo de pré-temporada e, especialmente, antes do início da temporada regular". Mike Wallace sobre encontrar uma química com Ryan Tannehill
  • "Tem dias em que fazemos coisas diferentes. Tenho toda a confiança que o técnico ( Mike ) Sherman vai colocar o ataque na forma necessária. Eu realmente não estou preocupado com isso. Foram até aqui apenas quatro dias de treinos. Temos muito dias para ir a campo e, especialmente, antes da temporada regular. Acho que tudo vai estar no lugar. Acho que eles têm um bom plano para nós”. Mike Wallace falando se a equipa tem praticado as rotas profundas tanto quanto ele gostaria


quarta-feira, 24 de julho de 2013

Cameron Wake tinge e corta o cabelo dos rookies

Foi notícia na Web os cortes extravagantes dos rookies. E ontem apareceu o culpado por isso: Cameron Wake. Foi a forma encontrada de dar as boas vindas aos novatos. Um trote sadio e que foi premeditado, pois foi feito na noite de segunda. Abaixo fotos com duas das vitimas:




terça-feira, 23 de julho de 2013

Training Camp 2013 - Dia III

Grimes sorrindo e que continue assim!!!

Dando sequencia aqui as matérias sobre os TCs dessa temporada


Vamos aos fatos:



  • Não foi um bom dia para os quarterbacks. Ryan Tannehill e o backup Matt Moore lutaram o treino inteiro contra a defesa que estava pela primeira vez completa. Tannehill lançou duas interceptações durante o treino, uma para Chris Clemons e outra para o linebacker Dannell Ellerbe. Moore, que teve um excelente dia na segunda-feira, também lançou uma interceptação para Jimmy Wilson. Esse treino nos fez lembrar que Tannehill é jovem e tem muito que aprender ainda. Ele começou 16 jogos como um rookie em 2012, mas ele ainda terá seus altos e baixos.

  • Uma das razões para os quarterbacks terem lutado o treino inteiro foi porque a linha ofensiva foi instável durante toda a manhã. A linha defensiva fez um bom trabalho chegando varias vezes no pocket, fazendo Tannehill tomar varias decisões rapidas durante o treino. Defesa também mostrou algumas blitzes complicadas que causaram alguns sacks. Dolphins Pro Bowl defensive tackle Randy Starks disse após o treino. "Tentamos dar o tom e nós fizemos isso, foi muito bom”

  • Dion Jordan fez sua primeira aparição no training camp. O rookie defensive end perdeu todas as OTAs e minicamp e o início do training camp depois de receber uma cirurgia no ombro em fevereiro. Jordan fez alguns treinos, mas não participou nas tarefas da equipe. Ele disse que o plano é ter todos tipo de contados possiveis. Jordan falou durante o treino: "Eu sabia o quão longe eu estava com a minha lesão. Estou apenas tentando me esforçar para ter certeza que estou pronto", disse Jordan. "Eu quero estar aqui. Então, eu vou fazer tudo que posso para ter certeza de que estou pronto." 

  • O rookie cornerback Jamar Taylor perdeu o treino dessa terça-feira depois de ser ferido na segunda-feira. Embora esta lesão não tenha sido especificada, Taylor estava lidando com uma lesão de hérnia que o mantinha fora de OTAs e minicamp na offseason. Taylor, uma escolha de segunda rodada, tem a chance de ganhar um papel na equipe, mas antes deve ficar saudável.

Será esta a nossa temporada de redenção? E se não for?

Seria esta a Training Camp da redenção?
Texto inspirado em um que eu li no The Phinsider. E postado por um fã deles, não pela equipe do site. Fiz modificações consideráveis para poder chamar de apenas uma tradução.

Ao longo das últimas nove temporadas, o recorde do Miami Dolphins é de impressionantes 58 vitórias e 86 derrotas, com um pífio aproveitamento de 0,403. Todos nós sabemos que este retrospecto terrível ( bem terrível ) é apenas uma parte da história triste que se abateu sobre a franquia desde 2004. Isso não é tudo, mas demonstra de forma cabal o que aconteceu com todos nós: deixamos de ser torcedores orgulhosos de seu time para torcedores com baixa estima e até mesmo envergonhados. Que me desculpem torcedores de times como Lions, Browns, Cards, Jets e outros times horrorosos desta liga, mas para quem venceu 2 SBs – um deles invicto – ficar nesta mesmice é o fim da picada. Isso não é para nós. E nós, com certeza, não fazemos parte do time dos derrotados da Liga. Tenham 100% de certeza disto.

Nem sempre foi assim. Embora pareça que estamos assim a décadas, nove temporadas atrás ficamos de fora da post-season com um 11-5, por causa de uma derrota para uma então nova franquia ( sim, foi para o odiado Texans ). Pouco mais de 10 anos atrás, a cada nova temporada o sentimento geral de todos era que o Miami poderia estar no Super Bowl. Não era sonho nem loucura disser isso, infelizmente como o é atualmente. Nenhum de nós acompanhou a era de ouro da franquia e suas duas conquistas em 3 Bowls seguidos ( 71/72/73 ). Mas eu, e alguns outros poucos, viramos torcedores por causa de um certo camisa 13. Ano após ano sempre entravamos na temporada sonhando alto. Mas a temporada nunca terminava na conquista suprema. Mas sempre tinha o próximo ano - que sempre prometia ir além do que o anterior. A isso chamasse time vencedor. Nem sempre vence o Super Bowl, mas todo ano está lá entre os que comemoram alguma coisa e terminam com mais vitórias do que derrotas.  Para ilustrar: durante os 25 anos em que Don Shula foi nosso treinador em apenas 2 temporadas o time não teve mais vitórias do que derrotas. E um deles foi 8-8!.

Havia um sentimento de preocupação com a aposentadoria de Marino: quem seria o QB a aguentar o tranco de substitui-lo? A Training Camp de 2000 foi uma das mais esperadas de nossa história. O Miami trouxe Jay “passe pro lado” Fiedler e eis que ele venceu 11 partidas nas temporadas 2000 e 2001. De repente percebemos que o time era mais que Marino, que podíamos vencer mesmo sem ele. Aquelas duas primeiras temporadas sem ele mantiveram o sonho acesso, mas havia uma certeza: o time precisava, urgentemente, de um Power back, aquele corredor capaz de conseguir, no talento puro, mais de 1.500 jds.

Em 2002 o time trouxe tal jogador: Ricky Williams. E ele quase que sozinho conseguiu levar o para os playoffs ( a temporada de Williams é a mais espetacular de um RB que eu vi ). Mas o recorde final de fez 9-7 foi insuficiente. Mas o pior estava por vir, ainda. Em 2003 uma inesperada derrota na abertura da temporada, e em casa, nos custou a post-season. O time? Um tal de Houston Texans. E, claro, era a primeira partida da história deles. Sim eles eram uma franquia de expansão. Mas a entrada deles nos custou a post-season duas vezes. Explico: até 2002 os playoffs continham os campeões de divisão ( eram 3 ) mais 3 times via Wild Card, só que com a adição do ( odiado ) Texans, passaram a ser 4 Divisões. A NFL preferiu então cortar uma vaga de Wild ao invés de mexer no sistema da pós-temporada. Para alguns analistas, o Miami era fortíssimo candidato ao Super Bowl, por ter uma defesa dominante e um jogo corrido eficiente. Alguém ai se lembrou do atual campeão do Super Bowl?

Bom, a partir daí tudo descambou. Em 2004 Ricky Williams saiu da NFL para ir... fumar MACONHA!!!. Diversas picks de draft foram perdidas em jogadores terríveis para serem QBs ( nem vou citar os nomes ). Veio 2006 e os analistas apostaram que poderíamos chegar no Super Bowl. E sim, foi em 2006 em que passamos pela segunda um tal de Drew Brees. A temporada de 2007... bom, pula né?. Nesse meio teve a temporada de 2008, que no fim das contas mais prejudicou ( no longo prazo ) do que ajudou. Os anos de mediocridade voltaram com mais intensidade ainda, pois até a esperança de dias melhores fora embora.

É muito fácil entender porque os fãs entram o ano com baixas expectativas. A temporada anterior ( em qualquer ano, não exatamente a de 2012 ) foi péssima. Os melhores jogadoras caem fora tão logo podem ou, pior, são quase doados pelo Front Office ( vide Brandon Marshall ). O próprio Front Office não ajuda em nada, como quando Stephen Ross fez o papelão de ir até São Francisco conversar com Jim Harbaugh sem ter demitido Tony Sparano. Sem falar que sempre vem o papo de “que este ano é nosso” ou de “tudo pode acontecer”. Os novos contratados, sempre com os bolsos cheio de grana, falam sempre em post-season e de como o ambiente é ótimo e para encerrar de que o time, com certeza, vai jogar em janeiro. Sempre, todo ano...

Este ano parece diferente, mas outros também pareciam, como 2006 ou 2009. A vibração positiva em torno desta equipa não parece ser algo forçado, não parece ser artificial. Aparenta ser uma sensação autêntica. Parece genuína. Mas outras também pareceram no passado recente... Mas se não fosse algo real, o que levaria 2.700 fãs para o primeiro treino? Número que só encontra similar com a temporada de 2006. De alguma maneira os fãs querem acreditar. Os fãs parecem estar prontos para dar ao time seu tempo e atenção. Mas não o seu dinheiro - ainda não.

A venda de ingressos ainda não se recuperou e, convenhamos, por uma boa razão. Nós temos tudo sido enganado muitas vezes por esta equipe. Claro que para qualquer leitor deste Blog que tenha poder aquisitivo para tanto, seria uma honra, um prazer, comprar o carnê da temporada. Claro, eu adoraria poder comprar e assistir as 8 partidas no Sun Life, afinal nunca vi uma sequer até hoje e nem sei se poderei um dia. Mas e se você morasse em Miami e tivesse 50 anos? Você iria gastar seu dinheiro ( e os EUA estão ainda em recessão ) para ver seu 18º QB em 13 anos lançar 3 interceptações, sem TD, diante do Titans?. Acho que não... Precisamos que o time apareça, ou em um ditado famoso: é ver para crer. Nós não queremos que esses treinadores e jogadores nos digam que são bons. Precisamos vê-los fazendo isso em campo.

Isso não significa que o sentimento positivo quanto a esta equipe não seja real. É real... por enquanto. Tal sentimento permanecerá vivo em agosto e no começo de setembro. Contudo ele poderá morrer ( ou aumentar ) a partir de Outubro. Poderá chegar enterrado ( ou renascido com força total ) em Novembro caso o time não corresponda em campo. Se ainda existirá ao menos lembranças dele em Dezembro é longe demais prever.

Toda equipa quer vencer. Não pense que os donos de times como Browns, Jaguars, Cards ou Lions querem perder ano após ano. Não eles não querem, porque os times são negócios lucrativos, portanto, quanto mais vencerem mais lucram os donos. Mas vencer um Super Bowl não é fácil. Temos franquias que estão na Liga desde a sua fundação ( algumas bem antes disso ) que nunca venceram, ou seja, até hoje não acertaram a mão ( alguém ai pensou em Eagles além de mim? ). Goste ou não, nosso time está hoje nessa mesma posição, mas ao menos nós podemos dizer que perdemos o rumo, mas isso o deixa melhor? A mim, com certeza não.

Nas duas offseasons mais recentes, de onde vem o grosso do time atual e que gera essas grandes expectativas, usamos uma top 10 draft pick em um quarterback e distribuímos US$ 171 milhões ( US$ 78,5 milhões garantidos ) nos contratos a sete jogadores. Se essas duas coisas não derem certo, iremos ter perdido ( como digo a desde o draft de 2012 ) mais 5 ou 6 anos. E o sofrimento das temporadas recentes não terá valido a pena. Sem falar nos problemas de Cap que teremos, caso alguns destes “novos” milionários não rendam o esperado. Trocando em miúdos: poderemos ser um time sem QB e sem Cap para 2014. Pode existir cenário pior?

Contudo é possível notar que os fãs têm expectativas altas para o Miami Dolphins em 2013, com os menos otimistas falando em ao menos 9 vitórias e com alguns exaltados falando até em Super Bowl. Neste momento, os efeitos dessas expectativas são todos positivos: excitação, entusiasmo e até mesmo euforia. Mas se o Dolphins ficar aquém disso? Se o time fizer 8-8? Se Tannehill não tiver uma temporada, ao menos, decente? Se os contratados, vide Mike Wallace, não elevarem o nível do time? Bom, tem um certo ditado que diz que quanto maior é o alvo, maior é o tombo...


Como dizem os mais experientes, as expectativas são perigosas.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Preview da Temporada no The Concussion

O Site The Concussion está fazendo uma série de previews da temporada para cada uma das 32 equipes da Liga. A matéria de hoje é sobre o nosso time. Curioso para ler outra opinião em português diferente da nossa? Clique aqui

Training Camp 2013 - Dia II



Dando sequencia aqui as matérias sobre os TCs dessa temporada


Vamos aos fatos:
  • Uma batalha interessante ocorreu nas trincheiras, entre Martin e Vernon, com Martin se saindo melhor, conseguindo um Pancake em cima do DE durante uma boa corrida de Lamar Miller;
  • Jamar Taylor segue de fora por causa da Hérnia. Visto como um jogador para causar impacto imediato na secundária do Dolphins, Taylor ainda não participou dos treinos e vai ter que correr pra ficar saudável e estar disponível na week 1;
  • As estrelas do 2º dia de Training Camps foram Matt Moore e Dustin Keller. Moore conduziu bem o time reserva conectando passes longos para TD para Rishard Matthews e Kenny Stafford. Enquanto Keller conseguiu por várias vezes se desmarcar e pegar bons passes no meio do campo durante os treinos. Tannehill e Keller estão conseguindo desenvolver uma boa química;
  • Kaleb Sturgis sofreu nas tentativas de Field Goal, errando um dos 3 chutes tentados, enquanto o veterano Dan Carpenter fez 10 seguidos no primeiro dia de TC. Apesar de Sturgis ainda ser favorito, e cometer erros de rookie, ele terá que ser mais consistente se quiser estar no time durante a temporada regular.
  • O Dolphins ainda procura um bom punt returner dentro do plantel, já que perdeu Bess e Bush. Hoje, cinco jogadores retornaram punt: Brandon Gibson, Lamar Miller, Brian Hartline, Brent Grimes e Jasper Collins.
  • A Read Option está no playbook. Não preciso falar mais nada além disso.
  • Apesar de Lamar Miller ser o RB starter e estar na maioria dos snaps, há quem diga, dentro do clube, que se (e mesmo sendo um graaaande SE) Daniel Thomas conseguir ficar saudável, está pronto para ter uma grande temporada pelo Dolphins.
  • Detesto reportar isso, mas ainda estamos esperando o canhão longo do braço potente do Tannehill para sua mais nova ameaça vertical. Os dois já tiveram bons passes em Slant routes e passes laterais. Mas quanto ao canhão? Ainda não.
  • Sim! EGNEW RECEBEU UM PASSE!!!! Boa Devlin!
  • Philbin: "A disputa pelas vagas de Tight End ainda estão em aberto." Mas se uma delas não for de Keller, algo estará errado.
Amanhã continuam as TCs. Amanhã é a vez do Dan Pereira

Training Camp 2013: Dia I

O primeiro treino. Agora é pra valer...
Hoje teve início, finalmente, a Training Camp do Miami Dolphins. Diversas coisas aconteceram e eu tentarei resumir da melhor forma o que de melhor ocorreu: 
  • Este primeiro dia quem chutou foi Dan Carpenter. E ele acertou 10 de 10 chutes, com 2 dos mais longos chutes sendo 49 jds. Caleb Sturgis começa na segunda-feira
  • Marvin McNutt foi um dos recebedores mais ativos durante a prática. Matt Moore contribuiu muito para isso, mas ele fez uma série de catches com um grau elevado de dificuldade.
  • Dannell Ellerbe sacou Ryan Tannehill em uma blitz durante uma situação de pass rush. A primeira impressão da nova OL é que precisa melhorar a sua comunicação. O pocket ruiu sobre Tannehill em uma blitz e Kheeston Randall quase o derrubou. Outro que quase conseguiu isso foi Olivier Vernon.
  • Tannehill conseguiu lançar uma bola longa para Wallace com marcação cerrada de Grimes. O povão gostou...
  • O terceiro QB Pat Devlin conectado com Jeff Fuller para um touchdown de 70 jds, no qual ele bateu Jamar Taylor.
  • Tannehill usou bem as pernas, aparentemente melhorou na leitura da defesa hoje.
  • Se corre risco de ser cortado, Dimitri Patterson deixou uma ótima impressão hoje, ao impedir um passe para Brian Hartline, dado por Tannehill feito sob pressão de Vernon.
  • Linebacker Michael Clay interceptou Pat Devlin.
  • Mike Wallace deixou cair uma série de passes que podemos considerar como “pegáveis” durante este dia.
  • Lamar Miller fez um bom salto para fugir de Paul Soliai, que conseguiu entrar no pocket com preocupante facilidade.
  • Jared Odrick passou a maior parte do treino como o DT ao lado de Paul Soliai.
  • Brent Grimes e Richard Marshall começaram o treinamento como os cornerbacks starters. Entre os Safeties, tudo como antes: os Starters são Reshad Jones e Chris Clemons.
  • Jogadores fora do treino ou com participação limitada: DE Dion Jordan (ombro), CB Jamar Taylor (hérnia), G Lance Louis (joelho) e LT Dallas Thomas (ombro).
  • Top 3 atuações Training Camp Day 1 foram: 1.WR Marvin McNutt, muito ativo; 2. Jeff Fuller, um lindo TD de 70 jardas; 3. Michael Clay, uma bela Interceptação.

Algumas declarações feitas após o treino:
  • "Eu gosto do que vejo, acho que temos muito talento em campo e caras que podem ficar abertos... Temos armadores em campo agora", Tannehill.
  • “Jonathan Martin está se ajustando no lado esquerdo. Eu amo isso. Sentimos falta de Jake ( Long ), mas desejo-lhe tudo de bom." Mike Pouncey.
  • "Nós gastamos um monte de dinheiro para agir de determinada maneira e é assim que devemos agir.” Mike Pouncey.
  • "É por isso que eu estou aqui É por isso que o técnico me trouxe aqui Ele quer os melhores jogadores." Mike Wallace.
  • "Você tem que falar com o treinador sobre quanto tempo eu irei demorar para poder treinar." Dion Jordan
  • "É muito cedo para dizer... .” Joe Philbin sobre não opor-se aos rookies jogarem mais cedo.
  • "É importante que todos os membros desta organização representem o Miami Dolphins de maneira adequada." Joe Philbin quando perguntado sobre o uso de um boné por Mike Pouncey em solidariedade a Aaron Hernandez.
Por hoje isso foi o de mais relevante. Foi apenas o primeiro dia. Teremos outros. Amanhã o texto fica a cargo do Derek Szabó.

domingo, 21 de julho de 2013

Quem são os 90 jogadores que estão participando da TC?

por enquanto é gente pra burro. Mas você conhece todos os 90 jogadores?
Resolvi trazer posta esta lista que vem abaixo para facilitar os nomes de alguns totais desconhecidos. Por ela será possível saber qual a experiência, a idade, a posição e de qual universidade vieram todos os jogadores. Espero que gostem:

N.º
Jogador
Pos
Idade
Exp
Faculdade
51
C
23
3
Flórida
65
C
23
R
Utah
21
CB
30
7
Shippensburg
22
CB
22
R
Boise State
23
CB
23
1
Appalachian State
24
CB
30
7
Tuskegee
25
CB
25
3
Utah
28
CB
26
4
Maryland
29
CB
23
R
Utah State
31
CB
28
7
Fresno State
36
CB
23
R
Arkansas State
38
CB
25
2
Ohio
50
DE
22
2
Miami (Flórida)
66
DE
23
R
Fresno State
69
DE
23
R
Louisiana (Lafayette)
79
DE
24
2
Utah
91
DE
31
5
Penn State
95
DE
23
R
Oregon
98
DE
25
4
Penn State
90
DL
27
5
Western Ontario (Canadá)
76
DT
23
R
Maryland
78
DT
23
R
Old Dominion
89
DT
23
1
Baylor
94
DT
29
10
Maryland
96
DT
29
7
Utah
97
DT
23
2
Texas
41
FB
26
2
Texas A & M
61
G
28
5
San Diego State
62
G
22
R
Nevada
63
G
23
1
Kentucky
64
G
24
2
Massachusetts
68
G
30
9
Nebraska
73
G
23
R
Texas A & M
74
G
27
4
Mississipi
75
G
28
6
Arkansas
70
G / T
23
R
Tennessee
5
K
27
6
Montana
9
K
23
R
Flórida
43
LB
21
R
Flórida
45
LB
23
R
Arkansas
47
LB
23
R
Florida Atlantic
49
LB
21
R
Oregon
52
LB
28
6
Georgia Tech
53
LB
26
4
Ohio State
55
LB
26
4
Utah
56
LB
24
2
Rutgers
57
LB
23
2
Oregon
58
LB
26
1
Alcorn State
59
LB
27
5
Georgia
93
LB
29
7
Ohio Northern
92
LS
34
9
Brigham Young
2
Brandon Fields
P
29
7
Michigan State
3
QB
24
1
Richmond
7
QB
25
3
Delaware
8
QB
28
7
Oregon State
17
QB
24
2
Texas A & M
6
RB
21
R
Arizona State
26
RB
22
2
Miami (Flórida)
32
RB
23
1
Notre Dame
33
RB
25
3
Kansas State
34
RB
27
2
Indiana
35
RB
22
R
Flórida
48
RB
24
2
Temple
20
S
25
4
Georgia
27
S
26
3
Montana
30
S
27
5
Clemson
37
S
24
2
Arkansas State
40
S
23
R
Arizona State
44
S
23
R
Michigan
60
T
23
1
Columbia
67
T
24
1
Indiana
71
T
23
2
Stanford
72
T
25
3
Maryland
77
T
31
9
Wake Forest
42
TE
26
3
Tulsa
80
TE
22
R
Michigan State
81
TE
28
6
Purdue
84
TE
23
2
Missouri
86
TE
25
2
Mount Union
10
WR
25
5
Washington State
11
WR
26
5
Mississipi
14
WR
23
1
Texas A & M
16
WR
23
R
Mississippi State
18
WR
23
2
Nevada
19
WR
23
2
Cincinnati
82
WR
26
5
Ohio State
83
WR
21
R
Mount Union
85
WR
24
1
Florida A & M
87
WR
24
1
Iowa
88
WR
23
1
Toledo