segunda-feira, 1 de junho de 2020

Perfil dos Escolhidos: Jason Strowbridge - Pressão nos QBs adversários

Esperamos ver cenas assim várias vezes por ano...
No começo da quinta rodada, o Miami tinha duas escolhas seguidas. Decidiu trocar a segunda para adquirir Matt Breida, RB dos Niners ( numa ótima sacada ). E na primeira das escolhas back-to-back foi na direção de melhorar o outro lado das linhas: a defensiva. Para isso escolheu Jason Strowbridge, DE de North Carolina, Na hora eu pensei ( mais uma vez ) quem? Pois é, este Draft fez isso com todos, buscamos jogadores fora do radar, mas que se encaixam ( ou acreditamos ) no Esquema que Flores e sua trupe querem implementar.

Strowbridge se encaixa perfeitamente no perfil: forte e instintivo além de possuir certa versatilidade. Será usado como rotação no começo, mas não se enganem: ele tem capacidade para ser Starter, mas tem que refinar a sua técnica. E para isso demandará desenvolvimento muito bom. Contudo ele parece demais com o tipo de jogador que Flores gosta e fez render em alto nível nos Pats. O ano Sênior dele não foi tão bom assim, o principal fator que ele caiu para nós no quinto round.

Dado o potencial existente e o round em que foi selecionado, é um prospecto e tanto. Acontece que o próximo da lista é BEM melhor que ele, mas isso fica para o post seguinte. A Nota no dia será mantida, porque o B retrata bem o que foi escolha: uma aposta em um jogador que apesar do ótimo Sênior Bowl, ele tem questões a serem resolvidas. Também é preciso pontuar que a maioria deles é contornável e se forem, os pontos positivo tendem a nos trazer excelentes resultados.

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Perfil dos Escolhidos: Soloomon Kindley - Solomon, o Grande!!!

Força bruta para a OL...
Em draft normalmente existem muitas dúvidas e pouquíssimas certezas. Mas além de um Quarterback, o time precisava ter uma OL. E saímos do Draft com 3 novos jogadores para o setor e o terceiro deles é Solomon Kindley, que fazendo alusão ao personagem dos desenhos animados da Liga da Justiça, é Grande. E é grande para valer: 1,93m e 152kg, uma parede humana, por assim dizer.

Seu ponto forte é a proteção ao passe, não sendo deficiente em abrir espaços para as corridas. Mas devido a sua massa corporal, ele não tem a agilidade que muitos procuram em um Guard. Existem erros em sua técnica que podem ser corrigidas com treinamento adequado, mas existe talento para virar um jogador de bom nível. Escolhido no quarto round, após uma trade, ele era considerado talento de segundo round e sobrou para nós. O que pode ser mais um Steal deste nosso Draft.

Ele, teoricamente, não chega para ser Starter no começo, devendo ficar na reserva de Erick Flowers. Mas como não gostei da contratação dele, adoraria que ele ficasse com o posto de Starter. Talvez ele tenha que perder peso, mas o biotipo dele parece por demais adequado com o estilo de jogo do nosso novo OC, Chan Gailey, baseado em corridas. 

Não dei nota no dia, mas no Twitter eu fiz um post e coloquei A+. Assim sendo eu mantenho a nota. Existe talento de sobra, embora riscos também. No quarto round, as escolhas óbvias praticamente inexistem. Então, com trabalho árduo e a utilização adequada, acredito que tenhamos feito uma grande escolha ao escolher Kindle.

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Perfil dos Escolhidos; Brandon Jones - Um achado no 3º round?

Ele parece ser diferente...
Brandon Jones não é um jogador comum. Talvez esta seja a frase que melhor defina o jogador que veio de Texas Longhorns. Embora falte-lhe capacidade para ser um ótimo marcador no mano a mano, ele compensa isso com muita garra e atleticismo. Atua bem em vários sistemas, sendo melhor na cobertura. Além disso, pode atuar no Special Team, o que sempre é um bônus. Os defeitos existem, mas com dedicação que este jogador, podem ser em muito reduzidos.

Ele sofreu algumas contusões na carreira, sendo a sofrida no tornozelo a pior delas. Devido a ela, Jones não pode participar do Combine. Mas ai ele fez algo surreal ( e que eu não me canso de citar ): assistiu 4 partidas de cada um dos 32 times e fez anotações detalhadas sobre cada sistema de defesa. Quando ele conversou com os olheiros das franquias, ele citou lances, falhas, destaques das defesas. Todos ficaram assustados quando ele explicou como sabia disso. Isso demonstra a sua dedicação ao jogo. E isso cativou Brian Flores, que adora jogadores assim. 

A escolha veio quando outros Safeties considerados melhores estavam disponíveis e para alguns analistas aqui foi um reach imenso, mas eu prefiro ver que Flores e cia entenderam que ele é o cara certo para o lugar que precisamos. Curiosamente é um Jones chegando para o lugar de um Jones que saiu. Em todo caso, eu gostei da escolha depois do que li. Quem analisa sem levar isso em conta, pode cair do cavalo. Ele tem os intangíveis que tanto os Coachs gostam de ter no time.

No dia a nota auferida foi A+. Porque? Eu entendi que um Safety era uma carência declarada do elenco. E eu li pelo Twitter sobre o fato relatado acima sobre o estudo que ele fizera para superar os limites impostos por uma cirurgia. E como não existe nota acima de A+.

Perfil dos Escolhidos: Raekwon Davis - Baita reforço para DL

Nossa DL agora mudou de patamar...
Antes de falar de Davis, um reforço e tanto para nossa DL, uma breve explicação pela ausência de postagem: além da Pandemia que assola o mundo e nossa querida nação, o trampo está me exigindo ainda mais. Por isso a espaçamento entre esta postagem e a anterior. Peço desculpas, mas buscarei manter um ritmo mais forte até porque este é apenas o quarto perfil de 11 ( fora Matt Breida ). Então, vamos em frente...

Davis era um talento CERTO de primeira rodada. Em 2019. Ele ficou para o ano de sênior e com isso veio uma contusão e... ele caiu por segundo round, com alguns analistas achando ele talento de terceiro round. Acho que ele pode ser um grande Steal, porque o talento é o mesmo de 2019. Mas assim como no caso de Tua, melhor para nós, não?? Pois é...

Ele é um jogador forte, com muita habilidade e tem como dar conta do recado. Vem do, questionavelmente, melhor programa da NCAA e os jogadores de Bama que atuam na defesa tem mais bons jogadores do que busts na NFL. Ele chega num setor que é de razoável para bom, mas tem sérios problemas em parar corridas. E qual é a maior qualidade do draftado? Parar as corridas. Escolha cirúrgica, que chega para elevar o nível da primeira linha de defesa. Com a Secundária que montamos, acho que poderemos esperar diversas interceptações. Isso porque é na pressão da DL que os QBs são forçados a lançarem passes menos precisos. E ai Howard e Jones devem deitar em cima disso.

A nota dada no dia foi B+, que eu mantenho apesar de todos os elogios que fiz no Post. Porque existiam, teoricamente, jogadores melhores na Board e ele vem de contusão, o que sempre é uma questão a ser observada. Mas o potencial dessa nota mudar no futuro é grande, eu diria imensa. Parecido com a "estrutura" do escolhido...

sábado, 16 de maio de 2020

Perfil dos Escolhidos: Robert Hunt - Peso pesado para a OL

Ele é apenas força bruta???
Reforçar a OL era uma prioridade nos Dolphins para 2020, depois de pegar o FQB é claro. Depois de realizar uma aposta arriscada em Austin Jackson e outra complicada e sem sentido em Noah Igbinoghene, os Dolphins foi atrás de Robert Hunt, um Guard de Lousiania... Laffayete. Pois é, ele não jogou em LSU e sim num programa quase de segunda divisão da NCAA. Será este um grande problema?

Nem sempre os grandes atletas apenas surgem nas grandes Universidades. Existem casos de alguns que conseguem superar esta barreira da grandeza da Universidade. Mas Hunt tem outros pontos a se observar, uns bons e outros nem tantos. A questão central é: ele se encaixa na nossa filosofia?

Força bruta é, talvez, a melhor definição dele. Hunt adora derrubar os defensores, mas isso foi na NCAA. Na NFL ele enfrentará a elite e as DLs da divisão estão entre as melhores da Liga. Na Liga ele precisará ser mais do que força, e é aqui onde aparecem as dúvidas quanto a ele. Mas ele terá condições de se adequar aos poucos. Outra vantagem dele é que pode atuar como Tackle e Guard. Além disso pode ser o Right Tackle perfeito para proteger o lado cego de Tua Tagovailoa, que é canhoto. E capacidade para isso, ele tem de sobra. Mas a transição precisará de cuidados específicos. 

Hunt tem mais pontos forte dos que ruins, e foi no final das contas uma boa escolha. Para ficar ótima ele precisa virar um Tackle de destaque na Liga. Por causa disso a nota A permanece adequada. Existe risco embutido nesta escolha cono em todas, mas o retorno aqui pode ser muito grande. 

domingo, 10 de maio de 2020

Um olhar sobre o calendário divulgado na quinta

Tua com a camisa 1.
O calendário, já sabíamos, era pesado antes da ordem ser conhecida. Mas ao conhecermos as sequências que teremos, algumas coisas interessantes eu posso falar, em forma de tópicos:

  • Não me lembro de termos partidas seguidas contra nossos rivais de divisão. Na semana 10 e na 12 encararemos os Jets, om a Bye Week no meio. É interessante, porque primeiro jogamos em casa, ai folgamos e depois encaramos o rival fora de casa. É curioso a Liga fazer assim, mas eu gostei.
  • Falando de Bye Week, o nosso ser na Semana 11, a situação é complexa. O time precisará de um grande trabalho na preparação física, porque será puxado jogar 10 partidas sem descanso. Por outro lado não teremos a partida em Londres, para atenuar o esforço;
  • Depois de muito tempo, receberemos os Bills no calor de Setembro no início da tarde. Eles derreterão com certeza, por outro lado terminamos a campanha jogando em Buffalo, no gelo intenso, já em 2021;
  • A sequência de duas partidas no Oeste também é uma boa, mas só se o time ficar por lá. Pegamos os Niners e na semana seguinte os Broncos. Ficando na Califórnia ( ou indo para Denver ), o time não se cansaria com a volta.
  • Minha ideia de campanha fica entre 5 e 10 vitórias, tudo depende de ritmo. Engrenando vitórias contra Pats e Bills, o time ficará forte. Se por outro lado perder as duas, será um duro golpe. Tudo, pra mim depende do que fizermos dentro da divisão. 
É isso, a sorte está lançada. E agora é esperar pra ver. Time, ao que parece, temos pra fazer uma boa campanha. O que já é muito...

sexta-feira, 8 de maio de 2020

Calendário 2020 divulgado

Aleas Jacta Est...
Já sabemos contra quem e quando jogadores. Depois eu comento o que temos de bom e de ruim neste calendário. Antecipo que todos os times terão 2 partidas fora e 2 em casa. E isso não é por acaso: a ideia é que se a temporada ficar para Outubro por causa do Corona Vírus, a temporada seguiria com os times tendo mais 6 partidas em casa e fora, ou seja, todos na mesma condição. A ordem, a saber é essa:

  • Week 01 at Patriots - 13/09
  • Week 02 vs Bills - 20/09
  • Week 03 at Jaguars - 24/09
  • Week 04 vs Seahawks - 04/10
  • Week 05 at Niners - 11/10
  • Week 06 at Broncos - 18/10
  • Week 07 vs Chargers - 25/10
  • Week 08 vs Rams - 01/11
  • Week 09 at Cardinals - 08/11
  • Week 10 vs Jets - 15/11
  • Week 11 Bye
  • Week 12 at Jets - 29/11
  • Week 13 vs Bengals - 06/12
  • Week 14 vs Chiefs - 13/12
  • Week 15 vs Patriots - 20/12
  • Week 16 at Raiders - 27/12
  • Week 17 at Bills - 03/01

segunda-feira, 4 de maio de 2020

RIP Coach Shula

Adeus Coach Shula...
É com tremenda dor que recebo a informação do falecimento de Coach Shula, como era tratado por todos. Ele morreu aos 90 anos e é simplesmente impossível falar de Miami Dolphins sem falar dele. Foi na off-season de 50 anos atrás que o tiramos a peso de ouro do Baltimore Colts. O resto é história. Foram 25 temporadas no Comando dos Dolphins e apenas 2 temporadas com menos vitórias do que derrotas. 

Não tenho palavras para dimensionar aos mais novos do quão importante ele foi para o Miami. Ele é o Coach com mais vitórias ( 347 ) na História da Liga e tem um feito que nenhum outro Coach possui: a temporada perfeita. Foi a 6 Super Bowls, tendo conquistados 3 ( 2-4 com Miami ).

Don Shula deixa um legado incrível, que se mistura com os Dolphins. Eu mesmo não seria torcedor e este Blog, por tabela, não existiria, não existiria. A sua família as minhas mais sinceras condolências e que cada jogador que já vestiu nossa camisa lembre-se que sem ele, o Miami Dolphins não existiria. E que nesta temporada, todos deem o máximo de si para fazer desta uma homenagem a quem se mistura com a história da franquia.

Don Shula para sempre, o melhor Head Coach da História da NFL. Jamais será esquecido.

domingo, 3 de maio de 2020

Perfil dos Escolhidos: Noah Igbinoghene - Faz sentido mais um CB?

Ele é bom e Flores gostou dele. Valerá a pena tê-lo em Miami?
Noah Igbinoghene. Este nome, complicado pacas, será motivo de uma enorme expectativa em nossos jogos pelas próximas temporadas: um grande achado ou um grande erro? Até que temporada comece e possamos ver como será o seu encaixe no esquema de Flores, tudo será e ficará nebuloso. No momento em que Roger Goodell disse o nome de um CB, duvido que não tenha passado pela cabeça de todos a pergunta: quem é este cara e porque outro CB? É a pergunta natural de todos. E, claro, foi a minha...

Mas no dia seguinte, algumas explicações apareceram. Não que desfaça por completo a primeira impressão - ruim - do dia anterior, mas que davam elementos para que pudêssemos ao menos entender o porque da escolha. Primeiro fato é que o Pro Day de Auburn foi um dos poucos em que Flores e cia puderam acompanhar, porque logo seriam cancelados devido à Covid-19. E Flores conversou em separado com 4 atletas, um deles Noah, Depois voltou ao campo com os 4 para fazer exercícios sobre o que conversaram antes. Muito provavelmente ele impressionou demais a nosso HC, porque só assim para explicar o Reach dado para draftá-lo.

Outra explicação plausível é que ele atua exatamente da maneira que Flores mais gosta: no mano-a-mano. E aqui vem outra explicação: é preciso reposição em qualidade na rotação, porque do contrário o sistema desanda. E seus números são impressionantes, com ele cedendo pouquíssimas recepções e menos ainda TDs. Mas existem problemas: 2 anos apenas como Corner, antes era WR. E curiosamente o uso das mãos para interceptar é uma falha, por mais irônico que isso possa aparecer.

Tem trabalho a ser feito, mas ele tem potencial. Problema é que não era na posição mais carente. Ele deve atuar como CB Nickel, e este é um luxo que pode custar caro. Mas outra vez: nada sinaliza que Flores espera ser competitivo este ano, mas sim em 2021. A nota do dia, que curiosamente não foi publicada, é um B. E segue inalterada, porque existem mais dúvidas do que certezas. Mas a escolha de Noah é do tipo que pode virar A+ ou decair parau um D. Tudo depende do desenvolvimento futuro do jogado dentro do time. Agora é aguardar,


Perfil dos Escolhidos: Austin Jackson - Uma aposta arriscada?

Jackson tem todas as condições para ser grande em Miami
Após a escolha do seu Franchise Quaterback, a espera pelas outras escolhas ficou alta. O que fariam os Dolphins para montar um time no entorno de Tua Tagovailoa? Bom, uma série de escolhas que não fizeram muito sentido no primeiro momento. Uma delas, a do Tackle de USC, Austin Jackson.

Primeiro é preciso dizer que os Tackles inquestionáveis já tinham saído. Os melhores Receivers, idem. Escolher um RB não faria sentido e nenhum dos Safeties ainda tinham saído. O que fazer então? Bom, de modo seguro escolher um Tackle. Existiam 2 com destaque para a escolha: Josh de Jones, de Houston, um prospecto mais "próprio" para iniciar como titular e Austin Jackson, bom valor mas um tanto quanto cru, muito devido a idade: ele ainda tem 20 anos. Miami escolheu o segundo. Porque? Bom, ai é que está a pergunta do título do post...

Flores não esconde que gosta de desenvolver seus atletas, ao contrário de pegar um que já esteja "pronto". Para se ter uma ídeia, o único atleta do elenco mais de 30 anos agora é Ryan FitzPatrick. Todos os outros tem menos de 30. Por isso, creio eu, a escolha de Jackson em detrimento da de Jones. Mas foi só por isso a escolha? Não, claro que não foi só por isso. Existe mais atrás desta escolha.

A primeira coisa a se observar é que ele tem um teto muito alto, maior que o de Jones por exemplo. Segundo ponto é que ele é possivelmente um melhor encaixe no esquema do Miami. E por fim, Flores e sua equipe preferem atletas que tenha personalidade. E isso Jackson. Em seus anos de USC ele foi bem, mas também não foi exatamente super exigido. Ele chega para reforçar uma das piores OLs da NFL e é impossível passar batido pela sua altura e força. Aliás, ele é um dos muitos jogadores escolhidos que tem mais de 1,9m e mais de 130kg. Falta-lhe o já mencionado desenvolvimento, mas podemos esperar que ele consiga isso em Miami. 

A nota que eu dei no dia da primeira rodada, foi B. Hoje, com uma melhor perspectiva sobre  o que existe por trás da escolha eu subo um pouco para B+. Não é uma escolha no nível das que esperamos, existia um Tackle mais "pronto", mas o seu potencial pode - atenção - tornar a escolha melhor no futuro. Em todo caso, temos um jogador para começar a proteção à Tua. E isso, claro, é bom.


sexta-feira, 1 de maio de 2020

Perfil dos Escolhidos: Tua Tagovailoa - Habemus QB

 )
Agora vai...
Poucas vezes eu vi uma escolha ser tão boa em Miami, onde praticamente ninguém reclamou, não que eu tenha visto. As reações de gringos é impactante e comovente ao mesmo tempo. Eu resumo como sendo um sentimento libertador, como sair de uma hibernação. Estamos parados no tempo faz muito tempo e mesmo antes de Dan Marino se aposentar as coisas já estavam ruins. Mas este post não é para falarmos do passado, e sim do futuro.

Tuanigamanuolepola Tagovailoa, ou simplesmente Tua, chega em Miami sendo o 5º jogador da posição escolhido no primeiro round. Além dos HOFs Bob Griese ( 1967 ) e Dan Marino ( 1983 ), o time escolheu Rick Norton em 1966. E claro, em 2012 jogamos uma pick e quase 10 anos no lixo, ao escolher Ryan Tannehill. Então, ele é o quinto QB e foi escolhido na pick 5. Sinal de que teremos sucesso com ele? Quem sabe... coincidências as vezes acontecem.

O nosso FQB tão aguardado, chegou. E ele é vencedor, líder nato e tem praticamente tudo o que é necessário a um QB para ele dar certo na Liga. O risco fica por conta da sua contusão no quadril, que passou por uma delicada cirurgia. Mas como bem disse Paulo Antunes: risco era não draftar Tua. Ele terá o tempo que for necessário para se recuperar 100% da contusão, uma vez que o plano não é vencer este ano, mas sim ao longos dos próximos anos. Ele pode ser titular este ano? Pode, mas não podemos arriscar fazer com ele o que os Redskins fizeram com RGIII. Logo, ele começará no banco. Mas duvido que termine o ano lá.

O que pode-se dizer dele de diferente do que foi dito antes, durante e depois do Draft? Acho que nada. Mas que tal relembrar o dia em que descobrimos a sua existência? Na final da NCAA, entrando no intervalo com o time tomando uma e ele comandando a virada espetacular?


Sangue frio. Antes lançar a bola que daria o título à Alabama, ele tomou um sack típico de rookie: segurou a bola procurando alguém para passá-la. Depois fez história. Existem tantos outros vídeos de momentos marcantes dele, mas eu destaco este, porque ele era Novato. E já conseguiu fazer destas e num jogo decisivo, contra grande adversário e que vencia. Ele foi interceptado e não se abateu. É deste tipo de jogador que times vencedores precisam. E agora temos.

Como disse no dia, a Nota é A+. Não é apenas boa, é espetacular. A partir de agora temos outros problemas, mas nenhum deles é se referem a QB. Temos o nosso cara, a nossa cara. Ele tem tudo para ser grande e nos recolocar no caminho que é nosso de Direito. Agora é aguardar, porque Habemus QB.

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Análise do Draft 2020: bom, ótimo ou maravilhoso?

Filho de Coach Flores falando com Tua...
E findo o Draft, temos 11 jogadores novos vindos pelo Draft. E o que isso nos oferece de perspectivas para o futuro? Um esteio para o futuro, mas não neste ano. O time preencheu os buracos mais evidentes, mas faltou - teoricamente - os playmakers. Estes talvez apareçam em 2020.

Conseguimos com a nossa escolha 5 o mesmo jogador que queríamos no começo da temporada passada. E isso é incrível, porque no final das contas o #tankforTua deu certo. Ele chega para ter uma time montado no seu entorno, de acordo com suas qualidades e defeitos. E isso ajuda bastante para a transição da NCAA para a NFL. Além disso, não existirá a pressão para ele ser Starter na semana 1, embora possa sê-lo. Tua chega para ser o comandante da franquia por perto de 2 décadas. Show de bola, porque temos - enfim - nosso Franchise QB, vindo de Alabama.

A partir desta escolha, excelente, vieram escolhas que não chamaram tanta atenção assim. Primeiro porque os melhores Tackles saíram cedo, assim como os WRs. E na escolha 18 o time pegou o Austin Jackson, de USC. Um Reach, não tem como negar. Mas o que fazer sem ter uma OL? Chris Grier resolveu não arriscar e pegar logo um Tackle que era do agrado de todos em Miami. E assim seriam a escolhas seguintes: jogadores que tem a simpatia do Coach Flores e cia. Prova foi a escolha do final da rodada: Noah Igbinoghene, um CB de Auburn. Faz sentido pra vocês ter um CB aqui quando o time tem a dupla de Cornes mais bem pagos da NFL em Xavien Howard e Byron Jones? Outra vez veio um jogador que é preferido da comissão técnica. Assumiram um risco, sobretudo por passar talentos diversos que existiam disponíveis na board.

Na 2ª rodada, o time seguiu no plano: melhorar os 2 lados das trincheiras. E veio um Tackle ( assim está listado no site do Miami ), Robert Hunt. Um monstro fisicamente, que também pode atuar como Guard. Problema? Para mim, o maior é ter vindo de uma Universidade "fraca" e que atua contra adversários igualmente "fracos". Mas ele tem capacidade para render bem e alguns veem que ele pode virar jogador Top. Aguardemos. Na outra escolha o time foi atrás de um DT forte em parar corridas, Raekwon Davis, de Alabama. Uma contusão e ter ficado para o quarto ano fizeram ele cair, mas ele tem condições de ser Starter no meio da DL, tanto no 3-4 ou 4-3, embora possa ser deslocado para DE. Na outra escolha do 2º dia, veio enfim um Safety: Brandon Jones, de Texas Longhorns. Ele é intuitivo, mas falta físico para a NFL se for atuar de SS. Deveria ficar como Free, mas o esquema de Flores não usa tanto o FS. Enfim, ele é bom. E demonstrou que tem vontade aprender. E é um Jones para substituir outro.

Abrindo o terceiro dia o Miami fez uma Trade usando suas duas picks para uma Trade com os Texans e escolhendo outro OL: Solomon Kindley, de Georgia. Para variar, outro monstro fisicamente, daqueles que destroem adversários. Chega com toda cara de ser Starter e foi um grande valor no quarto round, ele era cotado até para sair no segundo. Depois no quinto round o time escolheu um DE em Jason Strowbridge de North Carolina e fez uma troca com os Niners por Matt Breida. Bons moves, porque Brieda chega para ser Starter e Strowbridge pode ser bastante útil desde o começo na rotação e no futuro até como Starter. Mas ai o time fez outra Trade para obter o Steal do Draft: Curtis Weaver. Tem stock para ser Starter e até mesmo o nosso melhor jogador de Front Seven, já este ano. Existem problemas para corrigir, mas nada que assuste, é claro. Na sequência o time escolheu o Long Snnaper. Blake Fergunson de LSU ( sem comentários ) e Malcolm Perry, de NAVY para ser o nosso Taysom Hill, aquele jogador para deixar as defesas malucas, pois ele pode passar, correr ou receber. 

Somando tudo isso, como responder a pergunta do título? Eu acho que foi bom e seu valor pode demorar a aparecer. Ou nem aparecer, mas se Tua for tudo o que ele pode ser em Miami, a classe já estará salva. Mas no geral o pensamento foi reforçar os 2 lados das trincheiras e melhorar a secundária, para ter mais peças que sustentem o esquema de mano-a-mano de Flores. A nota de tudo isso é um A-.

Durante a semana, eu farei os perfis dos 11 escolhidos. Será trabalhoso, mas eu farei.

domingo, 26 de abril de 2020

Eis o Trabalho de 2020 até aqui dos Dolphins




Nestas duas imagens temos o resumo de todos os movimentos deste ano, na Free Agency, no Draft, nos UDFA e nas Trades. Ao todo temos 21 novos jogadores ( 12 pelo Draft ) e mais 8 rookies não-draftados ( UDFA ). Mais de meio time de novos jogadores para reforçar o elenco que fez 5-11 em 2019. 

Além de tudo isso, teremos mais 9 escolhas no Draft do ano que vem, a saber:

Rodada 1
Rodada 1 via Texans pela Trade 
Tunsil / Stills
Rodada 2
Rodada 2 
via Texans pela Trade Tunsil / Stills
Rodada 3
Rodada 4
Rodada 5
Rodada 6 via Steelers pela Trade FitzPatrick
Rodada 6 via Seahawks pela Trade feita na Sétima Rodada 2020

Sexto e Sétimo Round: um LS, uma trade e um faz tudo

Respeito. E agora são parceiros de time...
Este é um faz tudo, tipo o Tyrek Hill
Depois de 5 rounds pavimentando as Linhas, a Secundária e tendo escolhido o nosso Franchis QB, os Dolphins resolveram - digamos assim - inovar. Até porque no fim de feira, muitos jogadores nem sobrevivem aos primeiros cortes e, normalmente, não nos lembraremos deles com nossa camisa. Sendo assim, vale demais pensar fora da caixinha. 

Com a escolha de sexta rodada o time trouxe um Long Snapper, Blake Fergunson de LSU. Bom... dizer o que né? O time entendeu que precisa de solidez nesta posição e foi no melhor deles. Acontece que, normalmente, este tipo de jogador nem é draftado. Mas, outra vez, é preciso entender que Flores e cia tem um plano. E quando ouvimos falar do LS é porque ele fez merda numa partida. Então, é aquela coisa: eu não gastaria pick com isso. Mas o time fez e agora é torcer que nunca ouçamos falar dele. Ademais, o cara merece todo nosso respeito pelo gesto que ilustra este post...

No sétimo round, o time foi além: draftou um tweener de QB/RB/WR, Malcolm Perry de NAVY. Bom, está moda ter o chamado jogador de ataque, aquele que faz mais de uma coisa. Tem o Tyrek Hill e tem o Juluis Edelman. Ele alinha, normalmente, como WR e pode receber o passe, correr e até passar a bola. Vira uma arma imprevisível para as defesas, deixando o ataque bem aberto e com opções quase infinitas. Ele, quem sabe, pode dar aquele passe numa terceira longa, correr aquela terceira pra 6 ou ainda receber o passe desmarcado. Dará certo? Olha, em sétima rodada se ficar entre os 53 é uma glória. E ter uma peça assim pode ser de grande valia.

E ainda teve uma trade. Miami trocou sua escolha 251 por uma escolha de sexta rodada com os Seahawks. Um achado e tanto.

Notas? Fergunson é um C+ ( por mais que dê certo, não é uma boa decisão ) e Perry é um B+, pela possibilidade de ganho que a escolha traz. A trade é Nota A+, porque subimos um round pro ano que vem.

Quinto Round: duas boas escolhas e uma trade interessante

Reforço de peso para a DL? Temos mais um...
RB era o que vocês queriam? Também conseguimos um...
E que tal um puta dum Steal? Também conseguimos...
Quinto round é onde os GMs mostram que a equipe de análise de jogadores funciona. Aqui não existem mais escolhas óbvias, salvo quando alguém cai ao extremo. Portanto, escolher bem aqui depende de capacidade além do comum. E, sendo bem sincero, não tenho do que reclamar. 

A primeira escolha do round foi um DE que pode atuar tanto no 3-4 ou no 4-3. Acontece que ele caiu porque tem alguns problemas, sobretudo no uso dos pés e não ter tanta agilidade quanto exige a NFL atual. Problemas que agora são responsabilidade de Bryan Flores e cia resolverem. Mas existe talento e qualidade em Jason. Deve começar no banco e ser usado na rotação. Nota importante: ele bloqueou 3 chutes nas 4 temporadas no College. Convém ficar de olho nisso.

Quando o time entraria novamente no relógio, fizemos uma trade interessante com os Niners: demos uma escolha de quinta rodada pelo RB Matt Breida. Eu adorei o negócio porque, na prática, trocamos Kennyan Drake por Breida. E o nosso novo RB é melhor que Drake. Então foi um negócio muito bom porque não existia RB igual a Breida na Board. E ele já chega para jogar, ao contrário de um novato. Tem é claro a questão da durabilidade dele, mas isso aconteceria também com os novatos disponíveis. Então, bola dentro de Grier.

Nossa escolha final do quinto round demoraria muito e tinha um jogador de grande qualidade sobrando na Board: Curtis Weaver. O que fazer? Aguardar e corrermos o risco de vê-lo sair antes? Grier resolver queimar ( no bom sentido ) uma escolha de sétimo e ter na escolha 164 a, talvez, melhor escolha do nosso draft, excluindo Tua é claro. Weaver caiu não se sabe direito porque, mas é um talento nato para a posição. É um jogador que pode melhorar demais nossa defesa, pois tem a versatilidade que Flores tanto admira. Sensacional escolha.

Notas? Bom, para Strowbridge é B, para a trade por Breida é um A e para a ousadia/alegria de escolhermos Weaver é um A+ bem gigantesco.  

sábado, 25 de abril de 2020

Miami troca com Texan e escolhe Solomon Kindley

Mais um OL para proteger o Tua... gostei.
Chris Grier realmente quer uma muralha a frente de Tua. E por isso trocou duas escolhas de quarta rodada com os Texans ( 136+141 pela 111 ) para escolher o Guard Solomon Kindley, de Georgia. É um valor de segunda rodada no início da quarta. E a subida, que numa primeira reação parece cara, tem um atenuante: uma das escolhas não era nossa, mas dos Packers e a obtivemos numa descida de 4 escolhas. Então, podemos ter conseguido um grande valor por muito pouco.

O draft segue numa clara linha para proteger Tua. Até agora escolhemos 2 OLs além de Kindley: Austin Jackson e Robert Hunt. E ainda 2 jogadores vindos da FA ( Karas e Flowers ). Nada mal para proteger nosso novo QB. Que sigamos assim, com boas escolhas...

Vamos às apostas dos rounds finais

Alguém ai está cansando de fotos do Tua por aqui???
Existem vários jogadores no Hall da Fama que não foram escolhidos nas 3 primeiras rodadas. Alguns nem foram draftados. Logo, existe valor em jogadores que ficaram fora das 100 primeiras escolhas de cada recrutamento. Os Dolphins tem ainda 9 escolhas, nesta ordem:

Round 4 - Pick 30 (136) - via Packers trade no 1º round;
Round 4 - Pick 35 (141) - Compensatória;
Round 5 - Pick 07 (153) - via Cardinals trade Kenyan Drake;
Round 5 - Pick 08 (154) - via Jaguars/Steelers trade Minkah FitzPatrick;
Round 5 - Pick 27 (173) - via Ravens/Rams trade Aquib Talib;
Round 6 - Pick 06 (185);
Round 7 - Pick 13 (227) - via Colts trade Evan Boehm;
Round 7 - Pick 32 (246) - via Chiefs trade Jordan Lucas;
Round 7 - Pick 37 (251) - Compensatória.

Segundo dia de escolhas promissoras




Miami Dolphins tem um plano e restou claro que ele passa pelas trincheiras e por uma marcação homem a homem na secundária. Não tem como não realizar esta constatação após as 6 escolhas e olharmos para os jogadores draftados. Existe uma máxima que ganha-se ou perde-se as partidas na batalha das trincheiras. E Chris Grier e Bryan Flores estão levando isso bem a sério. Foram mais 3 jogadores ( OL, DL e S ) pensando nisso. E eu recebi valiosas informações que me ajudaram a entender melhor as escolhas, de um amigo via WhatsApp. O amigo é o Andrei Farias ( @theandreifarias ), a quem agradeço demais.

O segundo round começou com o - de acordo com todos - Guard Robert Hunt, de Louisiana Lafayette. Ele é um monstro fisicamente falando, alto, forte e tem qualidades que saltam aos olhos. Além disso, ele pode atuar com Tackle e se olharmos melhor para a arte que aparece neste post, feita pela franquia, ele está listado como TACKLE. A informação é importantíssima, porque ele pode perfeitamente atuar como RT, protegendo o blindside ( ponto cego ) de Tua, uma vez que este é canhoto. Isso aumenta o valor da escolha e mostra que a escolha foi feito pensando em diversos fatores. Nada mal...

Depois o time foi atrás de um Defensive Tackle, Raekwon Davis de Alabama. Porque um DT neste momento, podem perguntar o amigo leitor. E a resposta é simples: ele é um monstro parando o jogo corrido, que por acaso é uma das maiores carência do elenco. Outra vez temos uma escolha bem arquitetada. E vai além: segundo minha fonte, ele pode atuar como DE no esquema 3-4, sendo assim versátil. Davis também escolheu ficar o quarto ano em Alabama e caiu do Draft por isso. Ano passado seria até first round. Sorte nossa.

Por fim, uma escolha que eu não conhecia praticamente nada do jogador, veio o Safety dos Texas Longhors, Brandon Jones. Antes de mais nada, é no mínimo curioso um safety escolhido ter o mesmo sobrenome do antigo ídolo. E se eu falar que ele, assim com Reshad em 2010, caiu por causa de cirurgia ( no caso dele 2, uma no ombro e outra no joelho )? Pois é... o Jones em questão é um cara com uma história sem igual neste Draft: devido a cirurgia, ele não participou do Combine. O que ele fez então? Assistiu 4 jogos de cada uma das 32 equipes, marcou as jogadas nestas partidas ( 128 jogos e mais de 8 Snaps ) e falou sobre elas nas conversas com Coachs e GMs. Quer mais? No jogo contra LSU ele foi muito bem e ainda sacou o Joe Burrow e foi quem marcou Justin Jeferson. Adorei a escolha, mas claro que só depois das dicas do amigo.

Em suma: três boas escolhas. As notas, são A para o Hunt, B+ para Davis e A+ para o Jones. Nada mal.

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Daqui a pouco tem 2º e 3º Rounds

Não se esqueçam: temos um QB!!!!
O Draft continua hoje com o Segundo e o Terceiro Rounds. Neles temos 3 escolhas, sendo duas no 2º Round. Temos, claro, muitas picks e Trades podem e devem aparecer. Passado o dia de ontem, onde conseguimos nosso tão sonhado FQB, agora é melhorar o time no entorno dele. A saber as necessidades maiores são:

  • Runningback. Ter um nome forte no backfield será a melhor forma de tirar pressão do QB, seja ele FitzPatrick ou Tua. Então, ter puro corredor é uma necessidade proeminente;
  • Safety. Depois de ontem, nem sei mais se isso é uma necessidade. Existiam 3 grandes opções ( Winfield Jr, Delpit e McKinney ) e o time foi atrás de um CB para atuar de Nickel. Mas ainda precisamos de um Safety;
  • Interior da OL. Austin Jackson é muito crú e o meio da OL ainda é ruim pacas. Assim sendo escolher pelo menos um jogador pro meio do setor é quase que obrigatório;
  • Front Seven - É aquela coisa, existem bons talentos para a DL e o corpo de LBs. E por mais que tenhamos nos reforçado neste setor, talento não costuma ser demais. 
Não vejo saindo jogadores fora disso ai. O draft recomeça as 20:00.

Um ótimo dia ou um dia mais ou menos?

Tua vale o draft todo?
Antes de começar, informo a todos que perfis só no final de semana. Dito isto, temos um QB. Tua ( assim será chamando aqui neste Blog ) é um vencedor. E se duvidarem, bastam buscar no Youtube o que ele fez na final do College como NOVATO. Entrou no segundo tempo e virou uma partida praticamente perdida. Não para ele.

É este jogador que agora jogará para nós. Mas jogará quando? Pouco importa. Não temos - ainda - time para comandar a AFC e não podemos nos arriscar com ele. Voltando de uma cirurgia no quadril ( a mesma que por acaso acabou com a carreira de Gustavo Kuerten ), tempo é o que precisamos dar a ele para se recuperar 100%. E estando no máximo da forma física e totalmente saudável, Tua é um QB como poucos. Convém lembrar que ele é o 5º QB escolhido pelos Dolphins em primeira rodada. E que 2 deles estão no Hall da Fama, em Canton. O primeiro não vingou e o outro da lista é um dos maiores erros nossos em Draft. Então se formos comparar Tua com alguém é com a dupla Griese/Marino.

Nem preciso dizer o quanto estou feliz. Muito feliz. E assumo um compromisso: Chris Grier jamais será criticado por mim devido a esta escolha. O máximo que pode acontecer é ele ser malhado por não ter formado um time no entorno de Tua. Se Tua não vingar, a culpa não recairá sobre Grier, mas sobre Flores. A escolha foi precisa. Ponto final...

Já as outras duas escolhas... bom, ai não seguem a mesma toada. Austin Jackson e, sobretudo, Noah Igbi ( como ele será chamado aqui ) são escolhas questionáveis, cada uma de maneira distinta. Comecemos pela do Tackle dos Trojans de LA: ele não é uma escolha ruim, mas diversos analistas colocavam ele atrás de Josh Jones, de Houston. Inclusive no Mock que eu postei ontem era Jones na escolha 18 e não Jackson. Não chega a ser uma escolha ruim, mas Jackson é o tipo de grande risco/grande retorno. Mas se tudo der certo, é claro. Algum erro no desenvolvimento dele e tudo pode se perder. Agora é torcer pela carreira coesa e dentro de uma normalidade. E não esqueçamos de que o nosso time é o Miami Dolphins e temos tudo menos normalidade como norma básica. 

Já o CB de Auburn... não era necessário, não era BPA, não era NEED... mas era o preferido de Bryan Flores. Ele preferiu ele a um Safety de origem ou um RB ou ainda um EDGE. A escolha é questionável sob diversos aspectos e só será boa se ele se tornar um CB All-Star. E não me parece que ele posso tornar-se um. Mas para Flores vale a pena o risco, aliás ele nem acha que tenha riscos, ao ignorar uns 10 jogadores melhores que estavam no Board. O time segue sem Safety e Bobby McCain deve atuar como um ao lado de Eric Rowe. Pra mim, é pouco. Fala-se também de que atuaremos, ainda mais, no mano a mano, no que seria a melhor qualidade dele, atuando como Nickel. Meu ponto é: não se faz isso quando posições não tem nem mesmo Starters definidos e nem se faz usando escolha de primeira rodada. Igbi muito provavelmente estaria disponível na nossa escolha de segunda rodada (39) e se houvesse medo dele sair, temos picks mais do que em quantidade suficiente para subir. Ademais, sem ser BPA e nem ser NEED, deixar para o segundo round era o mais acertado. Enfim, agora já foi.

Perfis no final de semana, mas eu antecipo as notas para Tua ( A+ ), Jackson ( B ) e Igbi ( D ). No geral, B+. Uma pena, pois eu esperava que teríamos 3 estrelas para pavimentar o futuro da Franquia. E só conseguimos 1 e metade de outro. Fica, portanto, uma ponta de frustração. Mas que pode ser facilmente apagada graças a escolha do nosso Franchise Quarterback. O que já é mais do que nunca tivemos desde a saída de Dan Marino, 20 anos atrás. Que Tua seja o que todos sabemos que ele é capaz de ser.

With 30º Pick the NFL Draft 2020 Miami Dolphins Select...

Não gostei... e reitero: não gostei...
Noah Igbinoghene, CB de Auburn. Escolha terrível, no melhor estilo Miami Dolphins de escolher errado. Nâo direi mais nada para não esquecer que conseguimos nosso FQB. Por hora é isso.

Miami troca com Packers por uma escolha de 4ª rodada

Trade com Packers
Neste momento Miami preferiu trocar sua escolha com os Packers, por uma escolha de quarta rodada. Sinceramente não gostei, porque são 4 escolhas para baixo por um valor irrisório. Agora o time escolhe na 30ª posição...

quinta-feira, 23 de abril de 2020

With 18º Pick the NFL Draft 2020 Miami Dolphins Select...

Não é uma brastemp, mas é uma necessidade...
Austin Jackson, OL de USC. Fomos de necessidade na segunda escolha, porque os WRs e os Tackles melhores já tinham sido selecionados. E como o time não quis ir de Safety e como Bryan Flores supostamente prefere Anthoine Winfield Jr. Jackson é um cru, mas tem apenas 20 anos ainda e podemos desenvolvê-lo. 

With 5º Pick the NFL Draft 2020 Miami Dolphins Select...

Que Homem!!!!

Tua Tagovailoa QB de Alabama. Para a surpresa de zero pessoas.  Temos um QB. E o #tankforTua deu certo. Depois comento.  Por hora,  eu estou em êxtase. 

É daqui a pouco...

Que ótimas escolhas rolem hoje...
Chris Grier é Gerente Geral na posição de realizar o grande Draft de nossa História e virar lenda. Ou passar para a História como o cara que mais ferrou a Franquia. Como ele será lembrando no futuro depende de como gerenciar o Draft que começa em 1 hora. Se eu estou plenamente confiante? Não estou. Mas acredito que temos motivos para esperar coisas boas. Espero que o tempo de escolhas ruins tenham, realmente, ficado no passado. 

Mock Draft 2020

É hoje...

O Draft é hoje. Sabemos o quanto isso nos deixa ansiosos e apreensivos. Então trago um Mock feito pelo amigo Pedro, do Grupo de WhatsApp que trata exatamente da análise dos prospectos. O perfil dele no Twitter é @bullschecha. Comentarei apenas nossas escolhas e o Mock é integral sem Trades.

1- Cincinnati Bengals - Joe Burrow - QB - LSU
2- Washington Redskins - Chase Young - EDGE - Ohio State
3- Detroit Lions - Jeffrey Okudah - CB - Ohio State
4- New York Giants - Tristan Wirfs - OT - Iowa
5- Miami Dolphins - Tua Tagovailoa - QB - Alabama - Nada mais óbvio do que esta escolha. Tua é uma aposta coesa para o futuro da franquia.
6- Los Angeles Chargers - Justin Herbert - QB - Oregon
7- Carolina Panthers - Isaiah Simmons - LB - Clemson
8- Arizona Cardinals - Jedrick Wills Jr - OT - Alabama
9- Jacksonville Jaguars - Derrick Brown - DT - Auburn
10- Cleveland Browns - Andrew Thomas - OT - Georgia
11- New York Jets - Jerry Jeudy - WR - Alabama
12- Las Vegas Raiders - CeeDee Lamb - WR - Oklahoma
13- San Francisco 49ers - Henry Ruggs III - WR - Alabama
14- Tampa Bay Buccaneers - Mekhi Becton - OT - Louisville
15- Denver Broncos - Justin Jefferson - WR - LSU
16- Atlanta Falcons - C. J. Henderson - CB - Florida
17- Dallas Cowboys - K'Lavon Chaisson - EDGE - LSU
18- Miami Dolphins - Josh Jones - OT - Houston - Outra boa escolha. Tackle com bom destaque e que pode ser o guardião de Tua por muito tempo.
19- Las Vegas Raiders - Javon Kinlaw - DT - South Carolina
20- Jacksonville Jaguars - Kristian Fulton - CB - LSU
21- Philadelphia Eagles - Brandon Aiyuk - WR - Arizona State
22- Minnesota Vikings - Jeff Gladney - CB - TCU
23- New England Patriots - Jordan Love - QB - Utah State
24- New Orleans Saints - Kenneth Murray - LB - Oklahoma
25- Minnesota Vikings - Cesar Ruiz - IOL - Michigan
26- Miami Dolphins - Xavier McKinney - S - Alabama - Meu Safety dos sonhos. Viria com clara função de suprir o corte de Reshad Jones.
27- Seattle Seahawks - A. J. Epenesa - EDGE - Iowa
28- Baltimore Ravens - Patrick Queen - LB - LSU
29- Tennessee Titans - Austin Jackson - OT - USC
30- Green Bay Packers - Denzel Mims - WR - Baylor
31- San Francisco 49ers - A. J. Terrell - CB - Clemson
32- Kansas City Chiefs - Jaylon Johnson - CB - Utah

terça-feira, 21 de abril de 2020

Tá chegando...

Clima tá leve pelos lados de Davie...
A semana está passando, hoje já é terça, e o clima pelos lados de Davie ( onde ficam as instalações de treino e administrativa ) é de tranquilidade. Não existe uma pressão exagerada em cima de Chris Grier. O que é muito bom, mas muito bom mesmo. Este clima evita que o GM precise mostrar algo. Os fãs parecem realmente acreditar no Plano. Eu mesmo estou animado, mas sempre aponto - meu papel aliás, para ser comedidos no oba-oba. Afinal, o histórico em drafts é desastroso...

Contudo existe esperança. O Miami é a oitava equipe a ter 5 escolhas nos 2 primeiros rounds e o histórico é bom para estas equipes, como demonstra este texto. Embora algumas equipes tenham feito Playoffs na temporada anterior a terem as 5 escolhas, 3 delas saíram de déficits em temporadas para post-season naquele em que escolheram 5 jogadores. O que ninguém deste grupo fez foi escolher um QB, o que COM CERTEZA faremos. Se seguiremos a história, ou não são outros 500.

Lendo por ai, encontrei uma Board com nada menos que 350 jogadores(!!!). Vale demais a pena ler e brincar de adivinhação sobre quem realmente sairá nestas posições. quem subirá ou cairá. Recomendo demais o exercício. Também sugiro a leitura de um ranking por posições feito pelo analisa do The Phinsider ( site onde busco notícias sobre os Dolphins ) Josh Houtz ( @houtz no Twitter ). Bom ver como um de nós analisa e classifica o 5 melhores de cada posição.

Este ano, pela primeira vez, não farei perfil dos jogadores alvo. Acho que com o tempo todos os leitores aprofundaram nisso, via vídeos e leitura dos perfis direto dos EUA. E também dá um trabalho imenso fazer isso e não tenho mais este tempo que isso demandava. Assim sendo, perfil só dos escolhidos. Uma pena mas, sem equipe, não dá para fazer. Quem sabe no ano que vem.

Até quinta, e que Deus nos ajude a ter um Draft estupendo. Precisamos mais do que nunca de um recrutamento perto da perfeição. Mesmo que o medo de que seja igual aos outras siga-nos rondando. Mas precisam acreditar... mesmo que desconfiando.